Home / Algarve / Até 15 de novembro mantém-se o dispositivo de combate a incêndios

Até 15 de novembro mantém-se o dispositivo de combate a incêndios

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou o prolongamento do dispositivo de combate a incêndios até ao dia 15 de novembro, incluindo meios aéreos, meios humanos e postos de vigia.

Esta decisão resulta da previsão de condições meteorológicas adversas e da manutenção do risco elevado de incêndios florestais por parte do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e do European Forest Fire Information System (EFFIS).

Segundo uma nota divulgada pelo ministério, o “prolongamento abrange os 17 meios aéreos que reforçaram o dispositivo na última semana (13 helicópteros ligeiros e 4 aviões médios anfíbios) e os 12 contratados para o período de 16 a 31 de outubro (8 helicópteros médios, 2 aviões pesados anfíbios e 2 aviões médios anfíbios).

Assim, estarão disponíveis, até dia 15 de novembro, 35 meios aéreos de combate a incêndios em vários concelhos, entre os quais Loulé e Monchique, no distrito de Faro.

Será igualmente prolongado, até 15 de novembro, o período de funcionamento de 72 postos de vigia da Rede Primária de Postos de Vigia e a GNR manterá as Equipas de Manutenção e Exploração de Informação Florestal (EMEIF) junto de cada Comando Distrital de Operações de Socorro.

O quadro operacional para a próxima quinzena envolve um dispositivo global de 6957 operacionais, entre os quais 3100 bombeiros. Inclui ainda patrulhamento ostensivo no terreno por parte das Forças Armadas, em articulação com a GNR e a PSP.

Os procedimentos aquisitivos relativos ao reforço de 17 meios aéreos até 31 de outubro, decidido pelo Ministro da Administração Interna, estão publicados em www.base.gov.pt/

Os procedimentos aquisitivos relativos ao prolongamento do dispositivo até 15 de novembro serão publicados no prazo legal previsto”.

Veja Também

Petróleo no Algarve tem mais um episódio judicial depois de Ministério do Mar recorrer da sentença do Tribunal de Loulé

A exploração de petróleo no Algarve tem mais um episódio judicial, agora que se tornou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *