Home / Algarve / PCP questiona sobre a atividade da Uber que já se estendeu a todo o Algarve

PCP questiona sobre a atividade da Uber que já se estendeu a todo o Algarve

A empresa de transporte de passageiros,  Uber, que se “encontrava a operar há um ano nas zonas de Faro e Albufeira, estendeu na passada terça-feira a sua atividade a toda a costa algarvia, desde Vila Real de Santo António até Sagres”, afirma o PCP que entendeu questionar a ministra da Administração Interna sobre esta situação.

Assim, o Grupo Parlamentar do PCP, por intermédio dos deputados Paulo Sá e Bruno Dias, apresentou a seguinte questão: “Que medidas serão adotadas pelo Governo para garantir a aplicação da Lei n.º 35/2016, impedindo a Uber (e outras multinacionais do mesmo género) de realizar serviços ilegais de transporte de passageiros em viaturas ligeiras no Algarve e no País?”

No seu documento, o “PCP reafirma que a liberalização da atividade no sector do transporte individual de passageiros com veículos ligeiros terá como consequência a liquidação do sector do táxi, fundamentalmente constituído por milhares de micro e pequenos empresários nacionais, substituindo-os pela presença hegemónica e monopolista de operadores estrangeiros (Uber e outras multinacionais)”.

O PCP sublinha que “enquanto hoje a receita do sector do táxi vai para a economia nacional, se as multinacionais tomassem conta do sector, os seus lucros e dividendos em vez de ficarem no País, seriam drenados para o estrangeiro.

O sector do táxi, apesar das muitas dificuldades que foi atravessando ao longo dos anos, tem feito um esforço de modernização e melhoria do serviço que só não foi mais longe porque a opção de sucessivos governos nunca foi a de um efetivo reforço no desenvolvimento e modernização deste sector. Se o objetivo fosse o da melhoria do serviço prestado, então aquilo que se exigiria seria o apoio à modernização do sector (como tantas vezes foi reivindicado) e a imposição à Uber das mesmas regras e condições a que o sector do táxi está sujeito”.

“Em maio de 2016, o PCP apresentou o Projeto de Lei n.º 233/XIII, o qual, tendo sido aprovado, deu origem à Lei n.º 35/2016, de 21 de novembro, que regulamenta o acesso à atividade e ao mercado dos transportes em táxi, reforçando as medidas dissuasoras da atividade ilegal neste setor.

A Uber não se encontra acima da lei, pelo que as autoridades deverão garantir a aplicação da Lei n.º 35/2016, impedindo esta multinacional (e outras do mesmo género) de realizar serviços ilegais de transporte de passageiros em viaturas ligeiras no Algarve e no País”, conclui o PCP.

 

PartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someonePin on Pinterest0

Veja Também

Aberto concurso para exploração do bar das Piscinas Municipais de Silves

Foi publicado, no dia 13 de abril, em Diário da República, o aviso de abertura …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *