Home / Concelho / Trabalhadores da ex- Alicoop vão protestar em Lisboa

Trabalhadores da ex- Alicoop vão protestar em Lisboa

Os trabalhadores da ex- Alicoop/Alisuper deslocam-se amanhã (dia 26) a Lisboa, para protestarem junto ao BIC/BPN e ao Banco de Portugal contra cobranças indevidas relacionadas com o processo de insolvência da empresa.

Trabalhadores em luta em Lisboa (foto de arquivo)

Os trabalhadores irão à sede central do BIC/BPN e à sede do Banco de Portugal para entregar exposições “exigindo que ponham termo às perseguições e deixem de querer cobrar empréstimos que os trabalhadores não devem, porque foram transferidos para a N&F (acordo homologado pelo Tribunal Judicial de Silves, em 13 de março de 2012, e objeto posterior de Acordo Particular entre BIC e N&F, em 12 de junho de 2013)”.

Segundo um comunicado do CESP – Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, “o BIC, pelo menos quando fez este Acordo com a N&F, deveria ter devolvido os documentos e livranças de garantia executiva que tinha em seu poder, assinadas em branco pelos trabalhadores em 2008, para evitar qualquer uso abusivo das assinaturas, mas não o fez. Em finais de 2018, depois de ter reclamado os créditos no processo de insolvência da N&F, desenterra abusivamente as livranças e vem pressionar os trabalhadores a pagar créditos que ele BIC, acordou transferir para a N&F, mandando fazer execuções simples aos bens dos trabalhadores e acionando processos executivos nos tribunais, em particular no Tribunal Judicial de Silves”.

Assim, os trabalhadores vão deslocar-se a Lisboa, “para exigir ao BIC que cesse esta perseguição, termine com as comunicações e os processos executivos, e devolva o dinheiro indevidamente cobrado a trabalhadores e devolva os documentos que já não deveria ter em seu poder, nomeadamente as livranças assinadas em branco.” E vão ainda exigir, junto do Banco de Portugal, que “exerça as suas competências de supervisão” em relação ao BIC/BPN  e “dê indicações aos serviços do Centro de Responsabilidades, para analisarem com atenção o exercício das suas funções, que não são de mero balcão de despacho da banca privada”.

Os ex-funcionários da Alicoop/N&F vão ainda “contestar as reclamações de créditos do BIC/BPN logo que recebam a respetiva comunicação” e “contestar o processo de execução no Tribunal”.

Face a esta situação, os trabalhadores têm “a expetativa” que os tribunais não atuem despachando “a monte” os processos executivos do BIC/BPN, “sem considerar as condicionantes, aldrabices, abusos, Acordo e Sentenças transitadas em julgado que estão a ser violadas”, afirma ainda o CESP.

Recorde-se que esta situação teve origem em 2008, quando centenas de trabalhadores do grupo Alicoop foram coagidos a contrair créditos para aumentar o capital social da Alicoop,  sob pena de perderem os seus postos de trabalho, com o encerramento das empresas do grupo.

 

 

Veja Também

DECO informa: “Qual o impacto da redução para a taxa mínima do IVA na energia?”

Delegação Regional do Algarve CONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO “Qual o impacto da redução para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *