Home / Economia & Emprego / Economia / DECO: Podemos dizer adeus ao velho boletim de vacinas em papel?

DECO: Podemos dizer adeus ao velho boletim de vacinas em papel?

CONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

“Podemos começar a dizer adeus ao velho boletim de vacinas em papel?”
Brevemente, a desmaterialização do boletim de vacinas será uma realidade para a globalidade da população.
Até ao final do ano, espera-se que os boletins de vacinas passem a ser digitais para todos os utentes do país. Para já, este formato digital apenas existe para os utentes do litoral alentejano (no âmbito de um estudo da Unidade Local de Saúde dessa região) e para as crianças nascidas a partir de junho de 2013.
Este novo boletim de vacinas, denominado e-Boletim, irá facilitar o acesso da informação por qualquer profissional de saúde, em qualquer momento e local, e a sua atualização será mais prática.

Para o utente esta invocação também será vantajosa, já que poderá consultar o calendário de vacinas no Portal do Serviço Nacional de Saúde, através da “área do cidadão”, e verificar as vacinas já tomadas (e respetivas doses) e aquelas que estão em falta. Com a chegada deste novo boletim, prevê-se ainda que o utente possa ser vacinado em qualquer centro de saúde, se necessário.

No caso dos pacientes mais novos, a consulta do boletim eletrónico permite mesmo que os pais sejam alertados, por exemplo, sobre a calendarização de vacinas e reforço das mesmas, as datas previstas para consultas regulares e realização de exames clínicos. Este processo permitirá igualmente, para recém-nascidos, o registo do número de utente no Sistema Integrado de Informação Hospitalar (SONHO) e a criação do e-Boletim na Plataforma de Dados da Saúde, por forma a que aqueles fiquem automaticamente associados ao médico de família da mãe e a uma unidade de saúde.
Em termos práticos, esta medida de modernização representa, pois, um grande avanço, já que, por exemplo, numa urgência pode ser fundamental saber se o doente tem a vacina do tétano em dia.

A DECO aplaude esta medida de modernização, uma vez que permitirá ao utente beneficiar de mecanismos inteligentes e automatismos de alertas, assim como facilitará o trabalho dos profissionais de saúde.

Veja Também

Proibida a caça nas zonas afetadas pelo incêndio de agosto

A partir de ontem (dia 21 de setembro) e até ao final da época venatória …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *