Home / Saúde e Bem-Estar / Dores nas Costas obrigam portugueses a faltar ao trabalho

Dores nas Costas obrigam portugueses a faltar ao trabalho

olhe-pelas-suas-costas

Dia Mundial da Coluna assinala-se a 16 de outubro.

O transporte de materiais pesados, os movimentos repetitivos ou o facto de estar sentado durante longos períodos de tempo são exigências da vida profissional que podem trazer consequências a longo prazo para a saúde dos portugueses.

O alerta é da campanha Olhe Pelas Suas Costas, que pretende sensibilizar para os riscos inerentes a atitudes incorretas no local de trabalho, no âmbito do Dia Mundial da Coluna, que se assinala a 16 de outubro.

“As dores nas costas como consequência da atividade laboral podem surgir tanto em empregos sedentários, como naqueles em que é exigido um esforço físico mais elevado. É necessário salientar que as dores nas costas representam uma das principais causas de absentismo laboral em todo o mundo e são um dos principais motivos de visita ao médico”, explica Paulo Pereira, neurocirurgião e coordenador nacional da Campanha Olhe Pelas Suas Costas.

E acrescenta: “As profissões que exigem um esforço físico mais intenso, as que obrigam à prática de movimentos repetitivos ou as que implicam que o trabalhador se mantenha sentado por longos períodos de tempo podem contribuir para as dores e provocar lesões na coluna vertebral”.

Segundo um relatório do Observatório do Risco da Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, Portugal está entre os países europeus com mais trabalhadores com problemas do foro músculo-esquelético provocados pela atividade física desenvolvida no trabalho. Um outro estudo, realizado no âmbito da campanha Olhe Pelas Suas Costas, indicou que 28,4% dos portugueses referem que a sua atividade profissional já foi prejudicada ou comprometida de alguma forma pelo facto de terem dores nas costas e mais de 400 mil portugueses, em cada ano, faltam ao trabalho por este motivo.

De forma a minimizar os riscos, a campanha Olhe Pelas Suas Costas alerta para pequenos gestos a adotar no local de trabalho, que considera serem determinantes para a saúde dos portugueses: se trabalhar durante muitas horas em frente a um computador, deve sentar-se com os joelhos um pouco mais altos que as ancas, colocar o monitor ao nível dos olhos e fazer pequenos intervalos, levantar-se e dar alguns passos periodicamente. Se, por outro lado, a profissão exige que a pessoa carregue objetos pesados, deve optar por segurá-los perto do corpo e, se possível, obter ajuda para o transporte de forma a distribuir a carga. A utilização de calçado adequado pode ajudar a atenuar as dores, pois permite uma postura mais correta, mas mais importante é mudar de posição com frequência e reduzir os períodos de pé parado, alternando-os com curtas caminhadas para exercitar os músculos.

Sobre as dores nas costas:

As dores nas costas são a causa mais frequente das visitas ao médico. As doenças que afetam a coluna representam mais de 50 por cento das causas de incapacidade física. Estima-se que 7 em cada 10 portugueses sofrem ou já sofreram de dores nas costas.

Sobre a campanha Olhe Pelas Suas Costas:

A campanha Olhe pelas Suas Costas visa sensibilizar a população em geral para as dores nas costas, alertar para as suas consequências na vida pessoal e profissional dos portugueses, e educar sobre as formas de prevenção e tratamento existentes. A campanha conta com o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, da Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia, da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação e da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia.

Para mais informações consulte: http://www.olhepelassuascostas.com/ ou visite a página de Facebook: https://www.facebook.com/paginaolhepelassuascostas

PartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someonePin on Pinterest0

Veja Também

Projeto inovador para doentes oncológicos no Algarve

A Administração Regional de Saúde (ARS) Algarve, através do seu Agrupamento de Centros de Saúde …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *