Home / Concelho / Obras avançam no Jardim da República, em Silves

Obras avançam no Jardim da República, em Silves

Encontram-se a decorrer, pelo prazo previsto de 14 meses, as obras de renovação e requalificação do velhinho jardim frente à Escola Secundária de Silves, o Jardim da República.
Os trabalhos de corte de árvores e remoção de árvores, arbustos e mobiliário do jardim já se iniciaram há cerca de duas semanas, havendo também algumas restrições ao trânsito, embora se tivesse mantido uma faixa de circulação de sentido único, com velocidade máxima de 30 Km/h e o estacionamento com 79 lugares, nas traseiras da Escola Secundária de Silves.

Entretanto, a Câmara Municipal de Silves divulgou um folheto explicativo sobre as obras que irão ser desenvolvidas. A nível da vegetação, a autarquia explica que tiveram de ser cortadas várias árvores que apresentavam perigo para pessoas e bens e espécies que não reuniam as condições mínimas em termos de fitossanidade, de acordo com o “Levantamento Fitossanitário e Avaliação de Risco de Rutura de Árvores no Jardim do Largo da República” feito em 2016 por uma equipa técnica do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa.

“Manter-se-ão as árvores de grande porte localizadas no lado poente, as duas palmeiras existentes (uma delas será deslocalizada) e várias outras espalhadas pelo Jardim, num número aproximado de quinze. Plantas e arbustos serão transplantados para outros locais da cidade.” O novo projeto prevê a plantação de 65 árvores, 165 arbustos (grandes), 596 arbustos (pequenos) e 2846 herbáceas vivazes.

As luminárias existentes no interior do Jardim, elementos marcantes da imagem e história do espaço, serão recuperadas e relocalizadas na zona poente, assim como o bebedouro existente que será também relocalizado. Alguns dos bancos serão também recuperados e instalados.

O espaço do jardim permanecerá estruturado em três zonas distintas: Alameda das Árvores – lado poente (espaço mais aberto), Praça Central (receção de eventos, concertos, feiras, exposições) e Jardim do Fresco – lado nascente (área com carácter mais intimista e romântico).

A empreitada de obras públicas, que representa um investimento na ordem dos 1,8 milhões de euros, com comparticipação comunitária de 558 mil euros, contempla espaços verdes, pavimento, remodelação integral das infraestruturas das redes de abastecimento de água, saneamento e águas pluviais, iluminação pública, telecomunicações, mobiliário urbano (abrigo de paragem, bancos e mesas de piquenique, estacionamento de bicicletas, papeleiras, bebedouros, ilha ecológica), criação de elemento de água com nebulizadores, construção de edifício com cafetaria, sanitários de uso público e esplanada com sombreamento.

Imagem do projeto

Veja Também

Museu do Traje em Messines fechado para desinfestação

O Museu do Traje e das Tradições, localizado em São Bartolomeu de Messines, estará encerrado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *