Home / Vida / Pessoas / Silves integra Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica

Silves integra Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica

O Município de Silves foi um dos que assinou “dois protocolos da nova geração para a  Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica”.

Assinatura do protocolo (Foto CIG)

A cerimónia decorreu no dia 5 de abril, em Faro, na CCDR Algarve, contando com a presença da ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva.

Estes protocolos, que foram assinados por todos os municípios do Algarve e também um do Alentejo (Odemira), envolvem  “mais de setenta entidades parceiras de diferentes áreas governamentais: cidadania e igualdade, educação, emprego, forças de segurança, justiça, reinserção social, saúde e segurança social. Assim, todo o território do Algarve passa a ter respostas de atendimento especializado a vítimas de violência contra as mulheres e violência doméstica”, informa a CCDR Algarve.

De referir que, segundo a ministra afirmou na ocasião, no distrito de Faro as forças de segurança registaram, no ano passado, um total de 1.406 participações, o que representa uma média de quatro por dia.

Esta nova geração de Protocolos de Territorialização, iniciativa da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, integra a Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação – Portugal Mais Igual, chega ao Algarve com a criação de três Gabinetes de Apoio às Vítimas, decorrentes deste compromisso e cujas ONG coordenadoras são a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima e TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado e envolvem um investimento de 268.000 euros, assegurados pelo Governo e municípios.

Além da criação dos três centros de atendimento às vítimas,  está também prevista a implementação de um modelo de itinerância que levará  as equipas aos locais mais próximos de cada centro, cobrindo assim todo o território do Algarve.

De destacar ainda, enquanto entidades outorgantes, as CPCJ locais, as Federações de Bombeiros do Algarve e de Beja e as Universidades do Algarve e de Évora.

 

 

Partilhe nas redes socias:
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Veja Também

Contrato de Permuta de Bem Presente por Bem Futuro (Ou como o pouco pode passar a nada)

Há cerca de 30 anos, Francisco, pessoa de muito fracos recursos, herdou um prédio rústico, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *