Home / Economia & Emprego / Economia / PCP questiona Governo sobre as ruturas no adutor Funcho-Alcantarilha

PCP questiona Governo sobre as ruturas no adutor Funcho-Alcantarilha

O adutor Funcho- Alcantarilha, que liga a Barragem do Funcho à Estação de Tratamento de Água (ETA) de Alcantarilha tem diversas ruturas, situação que se arrasta há anos, diz o PCP que a propósito questionou o Ministério do Ambiente.

A questão foi levantada após uma visita de uma delegação do PCP, integrando o deputado Paulo Sá, eleito pelo Algarve, ter visitado as estações de tratamento de água de Alcantarilha e de Tavira e de ter reunido com o Conselho de Administração da Águas do Algarve.
Nessa reunião, o PCP diz ter sido informada a delegação, que o “adutor Funcho-Alcantarilha, com 12 km de extensão, que liga a Barragem do Funcho à Estação de Tratamento de Água (ETA) de Alcantarilha, tem diversas ruturas. Numa delas, a perda contabilizada de água é de 6 milhões de metros cúbicos por ano, quase 10% do volume anual de água transportado por esse adutor. Noutras ruturas, as perdas não estão contabilizadas. Esta situação já se arrasta há vários anos, sem que a Agência Portuguesa do Ambiente, a quem compete a manutenção do adutor Funcho-Alcantarilha, faça as necessárias reparações”.

O PCP lembra ainda que a “Associação de Regantes e Beneficiários de Silves, Lagoa e Portimão solicitou à Agência Portuguesa do Ambiente, em outubro de 2014, autorização para efetuar a ligação do sistema de distribuição de água do Aproveitamento Hidroagrícola de Silves, Lagoa e Portimão ao adutor Funcho-Alcantarilha, sem que esta ligação tenha sido ainda autorizada. Desta forma, uma obra que custou 6,5 milhões de euros não está a ser utilizada, prejudicando centenas de agricultores”.
“Não deixa de ser estranho” –acrescenta o PCP – “que, por um lado, a Agência Portuguesa do Ambiente não realize com celeridade todas as diligências necessárias para concretizar a ligação do sistema de distribuição de água do Aproveitamento Hidroagrícola de Silves, Lagoa e Portimão ao adutor Funcho-Alcantarilha, privando de água centenas de explorações agrícolas, e, por outro lado, permita que se desperdicem 6 milhões de metros cúbicos de água por ano numa rutura desse mesmo adutor”.

Assim, o Grupo Parlamentar do PCP, por intermédio do deputado Paulo Sá, questionou o Ministro do Ambiente, dirigindo-lhe as seguintes perguntas:

1. Como justifica o Ministério do Ambiente que as ruturas no adutor Funcho-Alcantarilha, existentes há vários anos, não tenham ainda sido reparadas, desperdiçando por ano pelo menos 6 milhões de metros cúbicos de água?
2. Quando serão realizadas as obras de reparação do adutor Funcho-Alcantarilha?
3. Qual o ponto de situação relativamente à ligação do sistema de distribuição de água do Aproveitamento Hidroagrícola de Silves, Lagoa e Portimão ao adutor Funcho-Alcantarilha?
4. Quando prevê o Ministério do Ambiente que essa ligação seja concretizada?

Veja Também

Balão de Silves anda pelo país… e chega à cidade em fevereiro

A marca Silves Capital da Laranja está a ser promovida, por iniciativa da Câmara Municipal …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *