Home / Sociedade / História & Património / Escuteiros de Messines pela Ermida de Sant’Ana

Escuteiros de Messines pela Ermida de Sant’Ana

O clã São Pedro do Agrupamento de Escuteiros 1339 de S. Bartolomeu de Messines pôs mãos à obra e tem estado a proceder à limpeza da Ermida de Sant’Ana, nesta freguesia.
Como disse ao Terra Ruiva, o chefe de Agrupamento Paulo Antão, os trabalhos de remoção do entulho e de limpeza do interior da Ermida começaram há algumas semanas estando hoje ( dia 13 de abril) a ser concluídos.
Com esta ação, os escuteiros pretendem também chamar a atenção para o estado desta Ermida que, como o nosso jornal já noticiou (em abril de 2016 e março de 2017), se encontra num estado de degradação que tem vindo sempre a piorar desde que no inverno de 2016 desabou uma parte do seu telhado. Posteriormente, a porta principal foi também arrancada e a ermida apresenta sinais de vandalismo.
Para o chefe de escuteiros Paulo Antão, é a altura dos “messinenses darem as mãos” e unirem-se na recuperação desta Ermida situada a alguns quilómetros da Vila de S. Bartolomeu de Messines e que assinala o local onde, em 1834, se deu a batalha com o mesmo nome entre as tropas miguelistas e os liberais, data e acontecimento que é marcado por um painel de azulejos aí colocado.
Toda a ermida foi reparada há cerca de vinte anos, por iniciativa do padre Augusto Brito, então o pároco da freguesia de S. Bartolomeu de Messines, com o apoio da Câmara Municipal de Silves.

Veja Também

Auto de Posse do Castelo de Silves

Em Silves, no edifício da Câmara, encontra-se patente, até ao final do mês de setembro, …

2 Comentários

  1. Pelos vistos a Ermida já existia no ano de 1489 (1489, Março, 20- ribeiro do Gavião, até onde a dita água vai dar ao Arade, pela dita ribeira abaixo até em direito da foz do barranco de Santa Ana [messines medieval]) ,
    Não será a Ermida um Imóvel de Interesse Público ??

  2. Barranco de Santa Ana – Esta referência toponímica na vizinhança da ermida de Santa Ana, sugere que este templo ou um oratório dessa invocação poderia já existir no séc. XV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *