Home / Sociedade / Ambiente & Ciência / Morreu Kentaro, um dos “linces viajantes” de Silves

Morreu Kentaro, um dos “linces viajantes” de Silves

Kentaro, o lince ibérico que era conhecido como o “lince viajante”, foi encontrado morto, vítima de atropelamento numa estrada do concelho da Maia, como informa o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).
Kentaro, um lince nascido no Centro Nacional de Reprodução do Lince-ibérico (CNRLI), em Silves, foi levado para Espanha, em novembro de 2014, para ser libertado, nos Montes Toledo ( Castilla- La Mancha) no âmbito do programa ibérico Iberlince.

Kentaro
Kentaro

A partir daí este animal nunca mais parou as suas deambulações, surpreendentes pelas distâncias que percorreu.

 

Segundo relata o ICNF, dois meses após estar em Montes Toledo, Kentaro começou a viajar até ao rio Tejo, na Barragem de Castrejon. Daí, deslocou-se até às proximidades da cidade de Toledo e mais tarde, utilizando o corredor do rio Tejo, entrou nas províncias de Madrid, Cuenca e Guadalajara até às barragens das cabeceiras da bacia deste rio.

 

A seguir, cruzou o rio e andou pelas províncias do sul de Soria e Zaragoza, até à região de La Rioja. Aí, inverteu de novo o rumo, deslocando-se para oeste, pela região de Zamora e em agosto de 2015 entrou em Portugal, perto de Vimioso.
Depois regressou a Espanha, onde foi alvo de uma tentativa de captura, em dezembro de 2015.

A última emissão da coleira GPS situava-o em Ourense, a 367 quilómetros em linha reta do local de solta. Mas desde março ninguém sabia onde estava, até ser encontrado morto, no dia 15 de outubro.
Segundo o ICNF, Kentaro “terá feito, pelo menos, mais de uma centena de quilómetros em território nacional até ao local do atropelamento”. Durante o tempo em que esteve em liberdade calcula-se que tenha percorrido mais de 2400 quilómetros.

Morreu na estrada, um dos principais “inimigos” destes animais. Só em 2015 foram 15 os linces ibéricos que morreram atropelados.

O irmão Khan

O lince Kentaro era irmão de Khan, um lince que em setembro de 2015 também foi notícia no Terra Ruiva e em muitos órgãos de comunicação social, por ter regressado a Silves, cerca de um ano depois de ter sido libertado em Espanha.
Khan, juntamente com Kentaro, tinha feito parte do grupo de linces reintroduzidos na natureza, em Castilla-La Mancha, em novembro de 2014.

Khan
Khan

Este espécime, segundo informações do ICNF, iniciou a sua dispersão para oeste, usando as áreas de alta montanha, que o levaram a atravessar o Parque Nacional de Cabañeros, até chegar à região de La Jara. Posteriormente, continuou seu movimento dispersivo até ao rio Tejo, tendo, nas semanas seguintes, continuado o seu caminho para o sul da província de Toledo e, em meados de fevereiro, passou para a província de Cáceres.

Durante o seu trânsito através desta comunidade, este macho foi capaz de nadar através do Rio Guadiana para chegar a Portugal no dia 28 de junho de 2015 e em setembro encontrava-se já no território natal, no Concelho de Silves.

Veja Também

Festa religiosa em Armação de Pêra

Em Armação de Pêra irá decorrer a Festa em Honra da Nossa Senhora dos Aflitos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *