Home / Vida / Saúde & Bem Estar / No Dia Mundial do Cérebro – Como manter o cérebro saudável no envelhecimento

No Dia Mundial do Cérebro – Como manter o cérebro saudável no envelhecimento

No dia 22 de Julho celebra-se o Dia Mundial do Cérebro, instituído pela World Federation of Neurology (WFN), em 2014. Desde então a WFN seleciona anualmente um tema que considera ser oportuno divulgar e aumentar a sua visibilidade.

O tema deste ano, “Brain Health and the Ageing Population”, incide sobre o envelhecimento e o cérebro saudável.cerebro
Existem atualmente mais de 800 milhões de pessoas com idade superior a 60 anos (cerca de 12% da população mundial). Com o aumento da longevidade, e de acordo com as projeções das Nações Unidas, estima-se que em 2050 mais de 2 mil milhões de pessoas terá idade superior a 60 anos (20% da população mundial), e o número de pessoas com 80 e mais anos de idade poderá atingir quase 400 milhões.

Com a idade, aumenta a prevalência de doenças neurológicas, incluindo o acidente vascular cerebral (AVC), a demência e a doença de Parkinson. Estima-se que cerca de 10 a 20% das pessoas entre os 60 e 80 anos sofrem de uma ou mais doenças neurológicas. E que mais de 30% das pessoas com mais de 80 anos sofrem pelo menos de uma doença neurológica. Estas doenças vão comprometer a função cerebral, determinar maior incapacidade ou dependência e reduzir a qualidade de vida dos próprios e seus familiares.
O Dia Mundial do Cérebro pretende este ano ter um efeito de sensibilização global para as doenças neurológicas que acompanham o envelhecimento. Pretende-se alertar para a importância de reconhecer e tratar as doenças neurológicas, que são tão frequentes na população idosa, e que por vezes são subdiagnosticadas, insuficientemente tratadas e que tantas vezes são alvo de financiamentos insuficientes, seja na sua prevenção, tratamento e investigação. Também neste Dia Mundial do Cérebro se vai difundir a ideia de que é possível prevenir algumas das doenças neurológicas que afetam os idosos, e que em todas as idades se devem promover estilos de vida que mantenham o “Cérebro Saudável”. Ter um “Cérebro Saudável” é um dos requisitos essenciais para o bem-estar físico, económico e social dos indivíduos.
Entre as várias doenças neurológicas que aumentam de prevalência com o envelhecimento salienta-se o AVC, que é a doença neurológica mais comum na população mundial neste grupo etário. Cerca de 75% dos casos ocorrem em pessoas com mais de 65 anos. Representa uma das principais causas de mortalidade e é a primeira causa de incapacidade no mundo.
Em Portugal, é pertinente falar do AVC neste Dia Mundial do Cérebro por várias razões. Em primeiro lugar, porque o AVC é a primeira causa de morte e incapacidade em Portugal. Em segundo lugar, porque existe possibilidade de tratar os doentes com AVC, desde que cheguem rapidamente aos locais adequados para o tratamento. Para isso, os doentes ou acompanhantes, deverão reconhecer os sinais de AVC e solicitar ajuda imediata – chamada para o 112 – para serem orientados de forma emergente para o centro de tratamento apropriado. Esta fase do tratamento agudo do AVC tem que ser cada vez mais otimizada. E um dos principais modos de se ter sucesso passa por um maior reconhecimento dos sinais mais frequentes do AVC – assimetria da face, alteração da fala, diminuição de força num braço (3F’s).
A outra razão de se falar em AVC neste dia é precisamente porque esta doença catastrófica pode ser prevenível. E todas as medidas de prevenção devem ser iniciadas nas pessoas, mesmo ainda quando são jovens. São bem conhecidos os seus fatores de risco: a hipertensão arterial, diabetes, dislipidémia, problemas cardíacos como a fibrilhação auricular, tabagismo, obesidade e sedentarismo. Muitos destes fatores de risco são modificáveis e tratáveis. Controlar estes fatores de risco previne o AVC. Sabemos que a doença vascular cerebral pode condicionar também o desenvolvimento de alguns tipos de demência, e como tal, estaremos também a prevenir declínios cognitivos futuros.
Por isso, em muitos locais no mundo vão ser reforçadas as medidas simples que se devem adotar para manter um “Cérebro Saudável” no indivíduo em envelhecimento, e que previnam algumas das doenças neurológicas mais frequentes no idoso.
Ficam aqui sugestões que estão a ser difundidas neste dia para manter um cérebro saudável: 1) manter-se mental e socialmente ativo; 2) manter atividade física regular; 3) adotar uma dieta saudável; 4) controlar o peso, a pressão arterial, o colesterol e o açúcar no sangue; 5) não fumar; 6) evitar lesões cerebrais traumáticas (exemplo, usar cintos de segurança, capacetes).

Pode prevenir-se ou atrasar a lesão cerebral. E, se começarmos a atuar cedo na vida, podemos alcançar melhor qualidade de vida uns anos mais tarde.

Opinião de:
Prof.ª Doutora Patrícia Canhão

Patrícia Canhão

Neurologista do Hospital de Santa Maria (CHLN) e Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral

Veja Também

Ciclo de Conferências em Fisioterapia Respiratória, no Instituto Piaget de Silves

Um “Ciclo de Conferências em Fisioterapia Respiratória” irá decorrer no Instituto Piaget de Silves, nos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *