Escultura “Finitor Polaris”, alusiva à Epopeia das Descobertas é inaugurada em Armação de Pêra

O Município de Silves inaugura a escultura “Finitor Polaris”, instalada no Jardim do Antigo Minigolfe, na Avenida Beira-Mar de Armação de Pêra, no dia 2 de setembro pelas 17h00.

A inauguração da peça escultórica, da autoria da artista Karine Pierre Vikre, encontra-se integrada nas comemorações do Dia do Município.

“Trata-se de uma escultura sonora que pretende criar a junção de instrumento náutico (quadrante) com instrumento musical (harpa), formando, assim, um quadrante sonoro.

A sua designação é originária do latim, sendo Finitor o horizonte e Polaris a estrela polar. A peça escultórica representa um quadrante, instrumento náutico de navegação, com 3,15m de altura por 3,16 m de comprimento, realizada essencialmente em ferro, com tubos quadrados ocos, uma chapa de ferro e 10 cabos de aço galvanizado.

A escolha do local de implementação resultou de investigação efetuada sobre a Epopeia das Descobertas, presente na História de Portugal através das grandes aventuras marítimas”, adianta a autarquia de Silves.

A participação de Silves na primeira globalização da sociedade humana, deu-se em 1266, quando D. Afonso III concede o foral Afonsino a Silves. Nos séculos seguintes a cidade assumiu relevância acentuada na expansão marítima, realçando-se a visita do Infante D. Henrique à cidade no ano de 1457, na qualidade de alcaide-mor, na qual residiu, antes de se mudar para Lagos e depois para Sagres.

Desta cidade é natural o navegador Diogo de Silves (século XV), descobridor da Ilha de Santa Maria e da Ilha de São Miguel, nos Açores, no ano de 1427. Armação de Pêra surge dentro do concelho de Silves. Pese a inexistência de documentos comprovativos das suas origens, os historiadores são unânimes num ponto fundamental: a ligação  profunda de Armação de Pêra ao mar.

Veja Também

Cursos de Língua Árabe em Silves

Estão abertas as inscrições para os cursos de Língua Árabe ( Níveis 1 e 2), …

2 Comentários

  1. Iniciativa louvável sem dúvida.
    Façamos votos que não a destruam ou deteriorem ( com os habituais e recorrentes graffiti, pichagens) como aconteceu infelizmente com os sanitários daquela mesma zona.

  2. A estátua é bonita, mas sinceramente o jardim nessa zona é uma vergonha não tem jeito nenhum, para não falar nas Árvores que estão na Via dorsal em Armação mal Tratadas e algumas estão secas à muitos Anos. Tristeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *