Home / Vida / Psicologia / Tempo de férias

Tempo de férias

Em tempo de férias para a maioria, recuperam-se energias e idealmente reduz-se o ritmo dos dias.
Acostumamo-nos a viver no ritmo da sociedade e esquecemo-nos de que ainda há muita coisa para conhecer. Paramos de prestar atenção ao redor e acabamos por perder muitas coisas boas que a vida coloca no nosso caminho. Porque correm tanto as pessoas? Porque precisa tudo de ser tão depressa? Não precisa de ser assim. A vida passa e muitas vezes não demos conta, não percebemos o quanto perdemos no caminho, o quanto nos deixámos dominar pela rotina e não apreciámos as pequenas coisas, o que a vida tem de singelo e simples. Gastamos demasiado tempo com coisas que nada acrescentam à nossa felicidade, ou trazem de positivo.

No meio da azáfama diária, não é muito difícil esquecermo-nos de cuidar de nós e colocarmos de lado o que verdadeiramente gostamos de fazer. Contudo, mais tarde ou mais cedo, os sinais de exaustão começam a dar sinais, que muitas vezes ignoramos, ou fazemos por ignorar.

Quando nos colocamos de lado, o preço a pagar pode tornar-se muito alto. O esgotamento físico cansa muito e traz consequências, mas o esgotamento mental é o pior de todos. O Corpo vai dando sinais, através da dor física, do desconforto emocional, é preciso aprender a interpretá-los e agir.

É tanta coisa a acontecer que, em alguns momentos, nosso corpo pede uma pausa. Mas e a nossa mente que tanto trabalha? Ela também implora por um descanso, por um intervalo entre as coisas, por um dia sem stresse. Fazer algo simples pode fortalecer sua autoestima, melhorar o humor e contribuir para o bem-estar físico e emocional. Portanto, pense em todas as coisas que gosta e que o(a) deixam com aquela sensação de plenitude. Pense também no quanto você se tem dedicado a essa atividade e aumente o tempo que lhe dedica. Pode ser ler um livro, passear à beira mar, dormir a sesta no sofá, …. desde que seja positivo. Qualquer coisa por menor que seja, pode trazer um bem-estar muito grande, ajudando a aliviar as tensões do dia e a diminuir o stresse, desde que essa atividade possa ser simplesmente praticada com prazer. Aliada à dedicação, atividades assim podem mudar não só o seu dia como também a sua semana, o seu mês, a sua vida.

A felicidade acontece quando nos permitimos fazer o que gostamos e percebemos o quanto isso nos traz bem-estar, satisfação e alegria. Independentemente de ser uma atividade simples ou complexa. O mais importante é não deixar de lado o que o (a) deixa feliz e aproveitar esse sentimento de plenitude.
Decida parar e levar a vida com mais calma, mas faça isso por si e não por ninguém. Aprenda que o seu bem-estar vale mais do que qualquer coisa, que precisa cuidar de si mesmo(a) para se manter equilibrado(a) e poder cuidar dos outros. Não deve deixar ninguém interferir nisso.

Faça o que a (o) deixa feliz!
Votos de umas férias re-energizantes e muito dedicadas a si próprio (a)!

Partilhe nas redes socias:
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Veja Também

Contrato de Permuta de Bem Presente por Bem Futuro (Ou como o pouco pode passar a nada)

Há cerca de 30 anos, Francisco, pessoa de muito fracos recursos, herdou um prédio rústico, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *