Home / Vida / Saúde & Bem Estar / Sindicato dos Médicos critica “discriminação” do Algarve, no sector da Saúde

Sindicato dos Médicos critica “discriminação” do Algarve, no sector da Saúde

Na mesma semana em que médicos e enfermeiros irão fazer uma semana de contestação e paralisação dos serviços de saúde em todo o país, o Secretariado Regional do Algarve do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), divulgou um comunicado protestando contra a “discriminação” de que o Algarve é alvo, no que toca ao sector da saúde.

“Após deixar cair a construção do novo Hospital Central do Algarve das prioridades da saúde, o Algarve volta a ser discriminado pelo Governo”, defende o SIM, acrescentando: “Apesar de a Maternidade de Portimão estar em risco de fechar por falta de Pediatras e a Obstetrícia ter falta de 18 médicos nos seus quadros e não ter médicos para assegurar mais de 50% da escala de Urgência, é com surpresa e preocupação que se constata a não atribuição pelo Ministério da Saúde de vagas carenciadas para estas especialidades no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) em 2019, colocando em risco o atendimento das grávidas no Algarve.
Esta situação incompreensível e discriminatória para a região do Algarve na atribuição de vagas carenciadas ocorre também com outras especialidades, como é o caso da Ortopedia que possui apenas 7 dos 23 médicos necessários no quadro.”

Para o Sindicato Independente dos Médicos “o Algarve não aceita ser tratado pelo Governo desta forma discriminatória e exige que estas especialidades extremamente carenciadas no CHUA sejam  incluídas no mapa de vagas carenciadas do presente ano.”

Veja Também

Holisticamente Falando

Comece por si!   Na expectativa de que queiramos que as coisas aconteçam como fizemos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *