Home / Sociedade / Lazer / Jazz nas Adegas na Quinta da Malaca e Corticeira Amorim

Jazz nas Adegas na Quinta da Malaca e Corticeira Amorim

As sessões de Jazz nas Adegas prosseguirão durante o mês de abril, desta feita na Quinta da Malaca, em Pêra e na Corticeira Amorim, em Silves.

Assim, nos dias 12 e 13 de abril, respetivamente pelas 21h00 e 17h00, o Mo Francesco Quintetto atuará na Quinta da Malaca. Marcando a evidente ligação entre o vinho e o património industrial do concelho, a última sessão deste mês não se realizará numa adega, mas numa unidade fabril: a Corticeira Amorim, que acolherá no dia 26 de abril, pelas 17h00, o concerto com os Rerum Ensemble. 

Os concertos são, como habitualmente, acompanhados de provas dos vinhos e contemplam ainda a degustação de tapas de produtos locais, num conceito de reconhecido sucesso que marca a oferta cultural de qualidade na época baixa de procura turística pelo Algarve. No caso da Corticeira Amorim a experiência inclui, ainda, uma visita guiada à referida unidade fabril.

O Jazz nas Adegas é organizado pela Câmara Municipal de Silves e “integra, mais uma vez, a programação cultural 365 Algarve e conta com produção artística do Ginásio Clube de Faro. Trata-se de uma iniciativa que pretende dinamizar culturalmente os locais onde se produzem os Vinhos de Silves, numa simbiose entre o vinho, o seu produtor e a música, proporcionando uma experiência única ao público, em locais pouco usuais para a apresentação de um concerto de Jazz, conceito este alargado neste mês de abril à Corticeira Amorim, numa ligação a um dos elementos incontornáveis na produção nacional de vinho: a cortiça.”

Os ingressos já estão à venda e têm um custo associado de 12 euros (inclui, para além do concerto, prova de vinhos do produtor, degustação de tapas de produtos locais, voucher de visita ao Castelo e Museu Municipal de Arqueologia e a oferta de uma garrafa de vinho). Encontram-se à venda na plataforma BOL em https://cmsilves.bol.pt/ ou num dos seguintes locais: FNAC, Worten, El Corte Inglés, CTT Correios, Pousadas da Juventude, Quiosques Serveasy.  O evento destina-se a maiores de 18 anos.

MO FRANCESCO QUINTETTO

O projeto nasceu em 2011, na Escola Superior de Música de Lisboa, no recital final da licenciatura em música Jazz de Francesco Valente. Este lançamento levou a formação a atuar em vários lugares vocacionados para o jazz nacional e internacional, inicialmente, mas também em festivais de jazz conceituados.

Miguel Moreira – Bateria / Diogo Vida – Piano / Francesco Valente – Contrabaixo /Johannes Krieger – Trompete / João Capinha Sax – Flauta

QUINTA DA MALACA

Os vinhos Malaca são produzidos numa herdade de nove hectares de solos de areia, localizada na freguesia de Pêra, próximo do mar, iniciou a sua produção em 2010. Luís Cabrita, seu proprietário, via o pai produzir vinho pelo método tradicional de vinificação e para consumo próprio. Após o seu falecimento e em jeito de homenagem, iniciou este projeto. Usando métodos e técnicas modernos, produz vinho tinto, branco e rosé, tendo escolhido o nome Malaca por ser o nome atribuído aos terrenos onde se encontram grande parte das vinhas. Atualmente a propriedade conta com 18 hectares de vinha, havendo intenção de vir a aumentar a área de plantação, conforme a necessidade do mercado.

RERUM ENSEMBLE

Revisitando o repertório grandioso de Zeca Afonso, uma das figuras centrais do movimento de renovação da cultura musical e poética portuguesa, que se desenvolveu na década de 60, os Rerum Ensemble misturam as sonoridades populares com as sonoridades jazzísticas, conseguindo uma atmosfera musical fresca, inovadora e inesperada.

Davide Fournier – Guitarra e Arranjos / Filipe Valentim – Saxofone alto e flauta /Luís Miguel – Saxofone tenor /João Segurado – Contrabaixo/ Filipe Sequeira – Bateria

 CORTICEIRA AMORIM

Nesta sessão iremos marcar a evidente ligação entre o vinho e o património industrial do território. A presença no concelho de Silves de uma unidade fabril do grupo Corticeira Amorim S.A. facilita a ligação a um dos elementos incontornáveis na produção nacional de vinho, a cortiça. Sabemos que os melhores vinhos do mundo sempre usaram rolha de cortiça!

A dinâmica do ciclo Jazz nas Adegas manter-se-á, na sua essencial. Não se realizando numa adega a sessão abrirá as portas da fábrica que iniciou a sua atividade em 1963. Como introdução à sessão será desenvolvida uma visita à unidade fabril, e apresentado todo o processo de tratamento e transformação da cortiça, num circuito onde as informações que receber poderão ser muito surpreendentes.

Não será esquecida a ligação da sessão à história da indústria corticeira neste território, que conheceu um período pujante nos sécs. XIX e XX. Esse período estará presente na sessão. Será um momento certamente marcante e que perdurará na memória futura daqueles que marquem presença no evento.

As próximas sessões do Jazz nas Adegas terão lugar nos seguintes dias/locais e com os seguintes artistas:

17.mai. 21h00 | 18.mai. 17h00

Desidério Lázaro Trio

Quinta do Barranco Longo, Algoz

Remexido, KO, Barranco Longo e QUÊ

25.mai. 17h00

Miss Manouche

Castelo de Silves

 

Veja Também

Cristóvão Norte considera que médicos tarefeiros deviam ser a exceção

Após ter sido tornado público que o Centro Hospitalar Universitário do Algarve foi a instituição …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *