Home / Sociedade / Cultura / Silves é candidata ao Prémio Cidades Educadoras 2018

Silves é candidata ao Prémio Cidades Educadoras 2018

O Município de Silves candidatou-se ao Prémio Cidades Educadoras 2018.
Como anunciou a Câmara Municipal, até à data foram apresentadas candidaturas de 47 cidades do mundo, entre as quais 11 cidades portuguesas. “Assim, Silves integra o grupo restrito das cidades de todo o mundo que este ano participam nesta competição, uma vez que ao todo são membros da Associação 472 cidades.”

O Prémio Cidades Educadoras destaca, todos os anos, as boas práticas dos membros da rede, sendo este ano o tema central a cidadania e as práticas cidadãs.

“Silves tem vindo a desenvolver diversos projetos no âmbito desta rede, sendo um ativo colaborador da Associação, quer através da sua participação nas atividades especificamente organizadas por ela, quer colaborando nos suportes que esta desenvolve, nomeadamente o seu Boletim, que chega a todos os membros da rede em Portugal.”
Os projetos vencedores serão divulgados no XV Congresso Internacional da Associação Internacional de Cidades Educadoras – AICE que decorrerá em Cascais no mês de novembro.

É de referir ainda que Silves integra a Rede Territorial Portuguesa e a Associação Internacional de Cidades Educadoras desde 2010.
As Cidades Educadoras tiveram início, como movimento, em 1990, no I Congresso Internacional de Cidades Educadoras, celebrado em Barcelona, onde um grupo de cidades representadas pelos respetivos órgãos de poder concluíram ser útil trabalhar em conjunto projetos e atividades para melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes.

Em 1994, este movimento formalizou-se como associação internacional, oficialmente criada no III Congresso das Cidades Educadoras, o qual decorreu em Bolonha, Itália. A AICE constituiu-se como uma associação sem fins lucrativos, com os seguintes objetivos:
“Promover, inspirar, fomentar e acompanhar o cumprimento da Carta das Cidades Educadoras;
Dinamizar a comunicação e a colaboração entre cidades;
Evidenciar a vertente educativa dos projetos educativos locais;
Participar e cooperar ativamente em projetos e ações que cumpram os princípios da Carta;
Colaborar no intercâmbio de experiências;
Aprofundar o conceito Cidades Educadoras e promover a sua concretização;
Influenciar a decisão das autoridades locais e das instituições internacionais nas questões de interesse para as Cidades Educadoras;
Dialogar e colaborar com os diferentes organismos nacionais e internacionais;
Dinamiza o Banco Internacional de Documentos das Cidades Educadoras, plataforma essencial no intercâmbio de informação, bem como na rentabilização e valorização de conhecimentos, estratégias e recursos.”

É co-responsável pela realização de Congressos Internacionais intercâmbios, encontros, projetos partilhados e iniciativas que reforçam os laços entre as cidades associadas, designadamente através das Redes Territoriais, Redes Temáticas e outras associações.

Em 2016 foi criado o Prémio Cidades Educadoras.
Também em 2016 iniciou-se a comemoração do Dia Internacional das Cidades Educadoras para assinalar em simultâneo e de modo global este movimento internacional, que se estende por 36 países de 4 continentes. A data escolhida foi o dia 30 de novembro para assinalar a proclamação da Carta das Cidades Educadoras em 30 de novembro de 1990.

Veja Também

EXPOAVE em Silves

Começa hoje e prolonga-se até dia 18 de novembro, mais uma edição da Exposição de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *