Home / Algarve / Criar a Hemeroteca Digital do Algarve está a votos no OPP

Criar a Hemeroteca Digital do Algarve está a votos no OPP

A Fundação Manuel Viegas Guerreiro, de Loulé, apresentou um projeto ao Orçamento Participativo de Portugal (OPP) que visa a criação da Hemeroteca Digital do Algarve.

A ideia é conseguir a “salvaguarda de todos os periódicos, jornais e revistas produzidos no Algarve desde 1883 até aos nossos dias, em formato digital e fácil consulta pública”.

Um trabalho que seria desenvolvido no prazo de dois anos. (ver proposta completa no final da notícia).

Este projeto foi apresentado ao Orçamento Participativo de Portugal, que o Governo criou este ano e abriu pela primeira vez a possibilidade de os cidadãos apresentarem propostas para incluir no orçamento do país.

Até ao dia 10 de setembro ainda é possível votar neste projeto regional, através do link: https://opp.gov.pt/propostas/todas/671-hemeroteca-digital-do-algarve

 

PROPOSTA

«Criar no Algarve uma hemeroteca digital de todos os jornais e revistas que esta região possui, de 1833 até aos nossos dias, em formato digital e de fácil consulta pública.

Fundamentação: As principais razões prendem-se com aspetos de natureza cultural, patrimonial e de investigação científica. O Algarve possui centenas de títulos de publicações periódicas de âmbito público, desportivo, turístico, religioso, de associações de classe, de feição comercial, que abrangem os últimos anos da monarquia, a primeira república, o estado novo e a democracia. A história do Algarve destes últimos 180 anos está plasmada nestas publicações. Daí o seu inestimável interesse e importância decisiva para a elaboração de trabalhos de investigação sobre a região.

Atualmente a maioria destas coleções encontram-se na biblioteca nacional, por via de depósito legal e noutras bibliotecas e arquivos do país, o que acarreta enormes dificuldades de acesso para quem tem de recorrer com frequência a estas valiosas fontes.

A fundação Manuel Viegas Guerreiro em parceria com a universidade do Algarve pretende desenvolver um projeto de digitalização de todas as publicações, já inventariadas e localizadas (A história da imprensa do Algarve de José Carlos Vilhena Mesquita – 2 volumes, editada pela coordenação da região do Algarve em 1989 é um precioso instrumento até aquela data).

Métodos de trabalho – Estabelecer-se-ão acordos de colaboração com a biblioteca municipal de Lisboa, biblioteca da universidade de Coimbra e biblioteca municipal do Porto, a fim de disponibilizar as suas coleções sobe o Algarve para efeitos de digitalização.

No Algarve existem algumas coleções nos diversos municípios e também na Fundação Manuel Viegas Guerreiro e na universidade do Algarve.

Será criada uma estrutura fixa de digitalização, adequada às dimensões dos documentos e atendendo às suas especificidades, o que implicará aquisição de equipamentos ou adjudicação a uma empresa externa da especialidade.

O trabalho poderá ser escalonado por fases, eventualmente por épocas históricas (monarquia, primeira república).

A disponibilização das publicações periódicas digitalizadas será por via do alojamento em estruturas informáticas anexas aos respectivos sites das suas instituições. Para além da equipa de digitalização, serão criados dois postos de trabalho que farão permanentemente o acompanhamento do projeto e respectiva atualização.

Ações: – Contactos com bibliotecas nacionais e arquivos para empréstimos de coleções; – Digitalizacão das coleções; – Elaboração da plataforma informática de alojamento das digitalizações. Orçamento Estimado – 200.000€ Entidades Proponentes – Fundação Manuel Viegas Guerreiro – Universidade do Algarve – 16 municípios do Algarve»

 

Veja Também

Orquestra Clássica atua no Algoz

A Igreja Matriz de Algoz acolhe no dia 08 de novembro, pelas 21h00, um concerto …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *