Dia de Portugal, 10 de junho, haverá um eclipse parcial do Sol

No dia 10 de junho, data em que se comemora o Dia de Portugal,  ocorre um eclipse anular do Sol que será visível como eclipse parcial em todo o território português.

Segundo explica o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), “a sombra da Lua sobre a Terra, ou seja a região onde o eclipse é anular, vai percorrer uma trajetória do nordeste da América do Norte ao nordeste da Ásia, atravessando a Gronelândia e oceano Ártico. A duração máxima da anularidade é de 3min 48s. O eclipse será visível do nordeste da América do Norte, Europa, do norte da Ásia e do Oceano Atlântico norte.

O eclipse será apenas visível como eclipse parcial em todo o território português, que ficará na penumbra da Lua. Na maioria do território nacional, o eclipse parcial será pouco percetível pois as percentagens de área solar coberta são muito baixas, variando entre 4% e 10% no continente e sendo de 30% nos Açores e de 6% na Madeira.
Em Faro, o eclipse tem o seu início pelas 9h51, passando pelo máximo às 10h30 e terminando cerca das 11h10.O Observatório Astronómico de Lisboa sublinha que, apesar da alteração da luminosidade não ser muito visível, é obrigatório o uso de filtros solares oculares, para a sua observação que deve ser feita por curtos períodos de tempo.
Quem não possa seguir as indicações de segurança, pode acompanhar o eclipse através da internet, em transmissões ao vivo, como por exemplo, no Youtube, a plataforma timeanddate.com, ou ainda do Virtual Telescope Project.

 

Regras de Segurança

1ª regra: NUNCA observar o sol diretamente sem filtros solares oculares*.
2ª regra: NUNCA usar óculos escuros, vidros negros de fumo, películas ou negativos fotográficos, radiografias, disquetes, CDs, DVDs, filtros de gelatina, polaróides, filtros Wratten, folhas de alumínio em quaisquer ocasiões e circunstâncias na observação do Sol. Não é recomendável o uso de quaisquer filtros de soldador abaixo do #14.
3ª regra: NUNCA usar os filtros solares oculares combinados com binóculos, câmaras fotográficas, telescópios ou outros instrumentos óticos.
4ª regra: NUNCA colocar os filtros solares na ocular do instrumento ótico, ou seja, na lente onde se espreita para ver através dos binóculos ou telescópio. Nesta situação o filtro solar derrete deixando entrar intensidade suficiente para queimar a retina.
5ª regra: NUNCA fazer uso dos filtros solares oculares já utilizados ou que estejam guardados, antes de os testar adequadamente, pois porque podem ter microfuros, arranhões ou imperfeições que deixem passar mais radiação do que a permitida. Lembre-se que a queimadura do olho é indolor, o perigo é demasiado e arrisca a sua saúde. Antes de usá-los deve testar a segurança olhando através deles para uma luz muito forte (e próxima) em casa e procurar por falhas, furos e riscos.
6ª regra: NUNCA exceder a observação contínua com óculos de protecção especial por períodos de mais 30 segundos, fazendo sempre intervalos de 3 minutos de descanso. Evita-se, desta forma, a acumulação de calor na retina. IMPORTANTE lembrar que o aquecimento da retina não é sentido tal como se sente o aquecimento da pele, uma vez que a queimadura da retina é INDOLOR! Se prolongar demasiado a observação, a retina aquece sem se aperceber e pode causar lesões irreversíveis incluindo a cegueira parcial ou total.

Veja Também

Praias do Concelho com Bandeira Azul e Praia Acessível

As Bandeiras Azuis estão, desde o início da semana, hasteadas nas praias do concelho, de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *