Home / Sociedade / Ambiente & Ciência / Proteção Civil Municipal cria áreas estratégicas de combate ao fogo

Proteção Civil Municipal cria áreas estratégicas de combate ao fogo

A constituição de um semi anel contínuo na área de proteção à cidade de Silves é uma das ações desenvolvidas recentemente pelo Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) da Câmara de Silves.

O objetivo é criar uma série de áreas estratégicas de combate ao fogo.

«Estamos conscientes das especificidades do território do concelho», afirma a presidente da Câmara, Rosa Palma, «e por isso estamos a desenvolver um trabalho de fundo, que visa a prevenção estrutural de larga escala, que nos permita a sectorização do território, identificando locais estratégicos e estabelecendo importantes áreas de retardamento à progressão do fogo, que nos permitam, em situação de catástrofe, a oportunidade de efetuar o combate às chamas e de proteger a população junto dos aglomerados habitacionais».

Este é um trabalho de continuidade e de planeamento, que resulta da avaliação das ocorrências do ano de 2017 e anteriores, como explica Nelson Correia, Comandante Operacional Municipal (SMPC) da CMS.
«Até à data, foi possível executar uma importante área de proteção à cidade de Silves através da constituição de um semi anel contínuo na área periurbana da cidade, que integra os aglomerados do Enxerim, Monte Branco, Caniné e Caixa de Água e a execução de mosaicos, aceiros, acessibilidades a pontos de água complementares na Herdade adjacente de São Bom Homem, propriedade do Município», diz Nelson Correia. Aliás, este projeto que foi designado como “Gestão Ambiental e Florestal da Herdade de São Bom Homem – Operação Montanha Verde e iniciativas conexas”, desenvolvido em conjunto com diversas entidades parceiras, entre as quais o Zoomarine, o Exército Português, o Instituto de Emprego e Formação Profissional e o Corpo Nacional de Escutas (através dos agrupamentos do concelho de Silves – Silves, Agr. 181; A. Pêra, Agr. 587; Algoz, 1293 e SB Messines, Agr. 1339), foi um dos quatro projetos nomeados, no ano de 2017, para o prémio “Município do Ano – Região Algarve”.

O Comandante do SMPC adianta ainda que “em Odelouca também está em curso uma intervenção: a execução de uma faixa de gestão de combustíveis, que permitirá proteger os aglomerados e edificações isoladas desse local e, em simultâneo, sectorizar o território, isolando uma área de elevado risco, onde nos últimos anos, tiveram origem inúmeras ocorrências que causaram enormes prejuízos, quer no Município de Silves, quer nos concelhos de Portimão e Monchique. «Estas faixas», salienta o Comandante do SMPC, «desenvolvem-se por mais de 10Km lineares e apresentam uma largura variável de acordo com as especificidades do local».

Segundo a autarquia, as intervenções complementam e reforçam outras efetuadas pelo exército e entidades que cooperam com a autarquia e que foram realizadas entre 2015 e 2017 e que permitiram que uma área estratégica de oportunidade ao combate a fogos florestais, localizada entre a Barragem do Arade (a Oriente) e a localidade de Odelouca (a Ocidente), na ligação entre o Barrocal e a Serra, junto aos limites administrativos com Portimão e Monchique, fosse estabelecida. Estas intervenções deverão manter-se durante os próximos meses noutras áreas florestais do Município.

Veja Também

Programa da comemoração dos 45 anos do 25 de abril no Concelho de Silves

As comemoraçoes do 45º aniversário da Revolução do 25 de Abril de 1974, no Concelho …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *