Home / Arquivos Tags: Francisco Martins

Arquivos Tags: Francisco Martins

Cidadania

Um dos maiores fatores que entrava o desenvolvimento económico e social das comunidades locais e do país no seu todo, reside na escassa e pouco esclarecida participação cívica dos cidadãos. A participação nos atos eleitorais é demonstrativa do alheamento da maior parte da população quanto aos destinos do país. Nas últimas eleições legislativas a abstenção ultrapassou os 50%! Dizem os analistas, e sente-se de alguma forma esse fenómeno nos meios locais, que significativa parte dos indivíduos justificam o seu comportamento com o descrédito na chamada classe política e nas instituições, colocando tudo e todos no mesmo saco, quando na verdade, …

Ler Mais »

Escassez de mão-de-obra e baixos salários

A escassez de mão-de-obra é uma das maiores ameaças ao investimento, à produtividade, ao crescimento e desenvolvimento económico do país. Correlaciona-se com o grave problema demográfico que não se resolve com incentivos à natalidade cujas consequências só se sentirão no longo prazo ou com paliativos para fazer regressar os emigrantes. Para ultrapassar o problema no curto prazo é necessário que se promova ativamente a imigração, bem como a valorização dos salários. Não é com o modelo de salários baixos e a precariedade na contratação que imperam no país que fixamos população e evitamos as vagas emigratórias que registam números preocupantes …

Ler Mais »

Maioria Absoluta, não!

Estamos a um passo das eleições legislativas de Outubro e na expetativa de que não se propague a ladainha ou a ilusão, à imagem do passado recente, de que o escrutínio se circunscreve à eleição do primeiro-ministro, quando na verdade se reporta à eleição de 230 deputados para a Assembleia da República, na base de cada círculo eleitoral, sendo neste órgão de soberania, que mais tarde, em função da votação de cada força política e do estabelecimento de eventuais acordos interpartidários, sairá o governo do país. As últimas eleições legislativas demonstraram claramente isso mesmo. O PS apesar de não ter …

Ler Mais »

Dissonâncias

Ao longo do tempo sempre suscitou estupefacção algumas posições dissonantes tomadas pelos eleitos e/ou dirigentes do PS e PSD ora no contexto da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal ora também aos níveis local, regional e nacional, quando as matérias em debate são idênticas, transparecendo aos olhos do observador mais atento que “não bate a bota com a perdigota”, visto que, obviamente, os partidos políticos são entidades únicas, não se podendo promover o oposto e o seu contrário, sob pena de se ludibriar os eleitores e a opinião pública, cavalgando o oportunismo mais primário. No plano estritamente local as posições …

Ler Mais »

Redes Sociais

O 25 de Abril de 1974 e a revolução dos cravos trouxe a liberdade de expressão, de opinião e de imprensa que são pilares fundamentais e imprescindíveis numa Democracia (política) que para ser plena de conteúdo deve integrar a Democracia Económica e Social, sob pena da própria Democracia, no seu todo, não resistir, subsistir e consolidar-se, à luz dos legítimos anseios e expetativas da sociedade. Vem o intróito a propósito das inúmeras opiniões que só muito benignamente assim poderão ser consideradas, que são veiculadas através das redes sociais (Facebook, WhatsApp, Instagram, Twitter), e por vezes, também na imprensa escrita (reporto-me …

Ler Mais »

A atualidade do 25 de abril

Não deixa de impressionar a força com que o 25 de Abril se faz sentir em todo o país, 45 anos depois da revolução dos cravos, que trouxe a liberdade e a democracia, a descolonização e o desenvolvimento à nação portuguesa, após 48 anos de obscurantismo e feroz repressão sob regime fascista. É de registar o bom serviço prestado pela televisão pública na homenagem e divulgação do significado do 25 de Abril ou o categorizado e diversificado programa de comemorações do Município de Silves, sob liderança CDU, que faz jus ao lema “Silves, concelho de Abril”. A gesta heróica e …

Ler Mais »

Desmandos na Banca

Num processo infindável, a banca nacional continua a sugar milhares de milhões de euros aos cofres do Estado e aos contribuintes, na forma de empréstimos, linhas de crédito ou garantias, para cobrir a gestão irresponsável e aventureira, negociatas e tráfico de influências, bem como atos de promiscuidade e corrupção, que poderiam ser alocados ao investimento público em áreas fundamentais para o desenvolvimento do país, como por exemplo, na educação ou na saúde. O Governo não retira daí as devidas ilações, faltando-lhe coragem e convicção política para proceder ao controlo público da banca. Na verdade, o Governo encontra-se de mãos atadas, …

Ler Mais »

Questão demográfica e economia

A questão demográfica está diagnosticada como um dos principais bloqueios ao desenvolvimento do país. A população portuguesa, hoje com 10,3 milhões de pessoas, em 2080, prevê-se que passe para 7,5 milhões, reduzindo-se em 2,8 milhões. Além disso, Portugal é o sexto país mais envelhecido do mundo, sendo que na União Europeia do futuro, mantendo-se o rumo, o nosso país ocupará o segundo lugar. No concelho de Silves o índice de envelhecimento atinge os 162,7% (100 jovens para 162,7 idosos), acima da média do Algarve – 131% (censo de 2011). A média nacional é 148,7%, à data de 2016. Com a …

Ler Mais »

Promessas

Em ano de consultas populares, nomeadamente, as eleições de deputados para a Assembleia da República, torna-se fundamental que o eleitor se cuide com alguns políticos e forças partidárias, que nas vésperas do escrutínio, não se coíbem de fazer promessas que correspondem a puras ações de propaganda. É neste contexto que entendemos as declarações do primeiro-ministro António Costa quanto ao lançamento de concurso público para a aquisição de 22 comboios para as linhas regionais da CP, no valor global de 170 milhões de euros, que convêm ser correlacionadas com outros anúncios no passado recente e pela mesma força política. Curiosamente, em …

Ler Mais »

Novos corpos sociais da UDM tomam posse

Tomam posse, no dia 25 de janeiro, os novos corpos sociais da União Desportiva Messinense, para o biénio 2019/2021, eleitos em Assembleia Geral realizada no dia 18 de janeiro. O ato de tomada de posse irá decorrer pelas 21h, na Junta de Freguesia de São Bartolomeu de Messines. Em resultado da apresentação de uma lista única, votada favoravelmente pelos sócios, foi eleita uma nova Direção que continua a ser presidida por Hélder Mogo Braz, que vem exercendo este cargo há já alguns anos. A Assembleia Geral é presidida por Florentino Mascarenhas Oliveira e o Conselho Fiscal por Francisco Martins.   …

Ler Mais »