Arquivos Tags: editorial

Onde fica o interior?

Convenci-me há dias (com um entusiasmo muito moderado) a ler o Plano Nacional para a Coesão Territorial (PNCT), após ter visto o ministro Siza Vieira a dar entrevistas a órgãos de comunicação social regional. Sabendo que apenas a freguesia de São Marcos da Serra é incluída no PNTC, li, ainda assim, as 144 páginas de texto. No final, aplaudi quase todas as medidas propostas, embora não percebendo como iriam ser executadas uma vez que o documento não apresenta números (orçamentos)… Assim, com a informação incompleta, aventurei-me na leitura da entrevista publicada no Sul Informação. Do muito blá blá retive um …

Ler Mais »

Os Ausentes

Este mês dedico o meu editorial, escrito na véspera do 25 de abril, a uma categoria de pessoas que muito, muito provavelmente não lerão este texto. Falo dos que não participam, dos ausentes. Quando há eleições fala-se sempre dos que não votam. As pessoas não participam, ouve-se dizer. À exceção do futebol, todos os outros sectores, da política à cultura, parecem impregnados dessa triste constatação… as pessoas não se interessam, não se envolvem… À medida que a maioria da população se ausenta mais e mais da responsabilidade de decidir a sua vida, torna-se fundamental que quem governa esteja ciente da …

Ler Mais »

Os caminhos da desertificação

Numa sessão da Assembleia Municipal a que assisti, em dezembro de 2017, apresentou-se um cidadão com uma vulgaríssima pretensão. Queria que fosse arranjado o caminho que conduz a sua casa, perto da Barragem do Arade. Pelo que dizia, um pedido/reclamação feito em ocasiões anteriores e nunca satisfeito. Pois se era certo que alguns melhoramentos eram periodicamente efetuados no referido caminho, certo era também que com as chuvas de inverno todo o esforço, material e despesa escorriam literalmente pela encosta abaixo. Uma situação que levava o cidadão a pedir a única solução que poderia resolver o problema: o alcatroamento da estrada …

Ler Mais »

O grande desafio das freguesias (Com correção)

O ano de 2018 apresenta novos e importantes desafios às freguesias a que apenas as mais aptas poderão responder. Está a decorrer, até 2021, um massivo processo de transferência de competências para as freguesias. Pretende o Governo que seja um processo diferenciado em função da natureza e das dimensões da freguesia, o número de residentes e, não menos importante, a capacidade de execução de cada uma. Na sequência da reforma das freguesias, que foi executada, em vários casos, contra a vontade dos autarcas e das populações, pretende-se que as juntas se tornem capazes de responder a inúmeras necessidades das populações, …

Ler Mais »

Vá votar!

Por entre o alarido da recém-iniciada campanha eleitoral para as próximas autárquicas, enquanto se discutem virtudes e defeitos de uns e de outros, uma constatação positiva: os partidos ressuscitaram…e mexem-se! Nesta altura metade dos leitores está prestes a abandonar a leitura, a rogar pragas aos políticos, aos partidos, aos candidatos e a quem os apoiar!… Mas as autárquicas têm um gosto de vizinhança, de convívio e de familiaridade que por vezes nos levam aos extremos, positivos ou negativos. Não há eleições como estas para mexer com o quotidiano local. Primeiro as emoções da composição das listas, tarefa que tem rosas …

Ler Mais »

Quando os últimos podem ser os melhores

Há todo um ensinamento na fábula da lebre e da tartaruga (que acabou por ganhar a corrida) que nós, os residentes do Concelho de Silves, teríamos todo o interesse em apreender. Ando a pensar nisso, desde os primeiros dias de junho, quando uns aprazíveis feriados trouxeram animação às ruas, cafés e supermercados. Entoações estranhas, sotaques diferentes e o lugar de estacionamento do costume ocupado por veículos desconhecidos é sinal seguro de que estamos no verão. Isto, claro, na visão dos que estão cá para trás, mais junto à serra do que ao litoral (E como uns escassos quilómetros que nos …

Ler Mais »

Toma lá 4 000 camas

No Algarve tão massacrado por um urbanismo descontrolado e à mercê de interesses privados existe um pequeno reduto, descrito como único na região. Existe, mas por pouco tempo mais. Este reduto natural está a ser comercializado como uma “oportunidade única de promoção turístico-imobiliária pela sua qualidade, localização e envolvência natural altamente conservada”. Então, no espaço “natural altamente conservado” precisamente porque tem estado a salvo de interesses imobiliários querem construir hotéis, aldeamentos, centros comerciais e campos de golfe. Camas, muitas camas: 4 000. O pontapé de saída para esta aberração é dado em 2007 pela Câmara Municipal e Assembleia Municipal de …

Ler Mais »

Populismos há muitos

Nos dias em que escrevo esta edição paira a incerteza sobre o resultado das eleições francesas e consequentemente sobre o futuro desta Europa comunitária a que nos habituámos nos últimos anos. No receio de que as alterações que possam vir a acontecer não se traduzam numa melhoria das condições de vida da generalidade da população, e que ameaças tenebrosas desencadeadas pelos nacionalismos ganhem expressão, vivemos um momento que só não inquietará quem anda totalmente distraído do mundo. Neste novo mundo de frágeis ligações à realidade do outro, caem por terra muitos dos tradicionais alicerces da nossa democracia e ao mesmo …

Ler Mais »

Um homem, uma pasta de cabedal, uma pistola metralhadora, algumas granadas e um rádio

Às 03h25 do dia 24, um homem dirige-se sozinho à unidade militar da Força Aérea, no aeroporto de Lisboa. Leva consigo uma pasta de cabedal, uma pistola metralhadora, algumas granadas e um pequeno rádio. No peito, o coração bate com força e na cabeça mil e um cenários atropelam-se, enquanto o homem tenta não pensar em nenhum deles, mas apenas na missão que tem de cumprir. Abre a porta da unidade militar, sobressaltando os dois oficiais que dormitavam no serviço e que, apanhados em falta, se assustam com a presença do superior. Não há nenhum problema, sossega-os o homem. É …

Ler Mais »

Altos e Baixos

Na edição anterior, publicamos um artigo dando voz a queixas relativas à qualidade da alimentação servida aos utentes do Centro Social e Cultural João de Deus. Pela repercussão que a notícia teve e pelos variados testemunhos que, pessoalmente e nas redes sociais, vieram a público, confirma-se que há uma situação que merece a atenção dos responsáveis da instituição mas também da comunidade. Há muitos indicadores que deverão ser tomados em conta quando se escreve sobre um assunto tão delicado como a qualidade da alimentação numa instituição (que entendeu solicitar a publicação de um esclarecimento que o Terra Ruiva publica nesta …

Ler Mais »