Home / Opinião / Página Aberta

Página Aberta

O Meu 25 de abril, por Luísa Anselmo

Naquela noite, de 24 de Abril de 1974, adormeci ao som da voz do locutor da que foi chamada Emissora Nacional, hoje, Rádio Difusão Portuguesa, João Paulo Dinis que anunciava: “Faltam cinco minutos para as vinte e três horas. Convosco, Paulo de Carvalho, com o Eurofestival 74, E depois do adeus.” Era o sinal combinado para os Capitães darem início ao histórico Movimento. E eu adormecera, sem a mínima desconfiança do passo para o futuro que ia ser dado, tal como a maioria dos portugueses. A vida ia-se-nos descolorindo, as auroras sucediam-se sem emoção da esperança. Apenas, em muitos de …

Ler Mais »

O Meu 25 de abril, por João Pina Pereira

Estávamos em Novembro de 1969. Sem saber muito bem como, eis que o meu pai regressou de França para onde tinha ido em 7 de Agosto de 1968. Tinha vindo buscar-me e também a minha irmã. Cada um tinha ficado com um familiar, a minha irmã com a nossa avó materna em Messines, eu com um tio paterno no Cacém. De repente, hei-nos embarcados numa viagem cheia de mistério e de perigo. Rumamos a Vilar Formoso, não me lembro muito bem mas a viagem foi feita de comboio e de automóvel, pernoitamos numa casa de uma terra perto da Guarda, …

Ler Mais »

“O Meu 25 de abril”, com as colaborações de Fátima Ramos Matos, José Vargas, José Silvério e David Marques

O Meu 25 de abril, por Fátima Ramos Matos Respondo a um desafio, “Onde estava no 25 de Abril de 1974” e revisito os anos da minha adolescência … 25 de Abril de 1974, 5ª feira, Portalegre, Liceu Nacional de Portalegre … Naquela manhã, como habitualmente, depois de tomar o pequeno almoço e vestir a bata branca com gola verde, que indicava que frequentava o 5º ano, a caminho do Liceu … Não havia aulas. Naquela altura, como agora, os feriados eram festejados entre os alunos até porque eram raros. Que tinha havido uma revolta em Lisboa, falava-se … que …

Ler Mais »

Especial 25 de abril – “O Meu 25 de abril” – por Francisco Martins

O Meu 25 de Abril Encontrava-me na Escola Comercial e Industrial de Silves (hoje, designada, Escola Secundária de Silves) na manhã do dia 25 de Abril de 1974 quando todo o mundo ia tomando conhecimento através da Rádio e de conversas em grupo que as movimentações das forças militares leais ao Movimento das Forças Armadas estavam a conduzir ao derrube do governo vigente, sediado em Lisboa. Para mim, com 17 anos acabados de fazer, e decerto para a quase totalidade dos estudantes da escola, não era perceptível até então, nem a natureza ditatorial e fascista do regime que agonizava e …

Ler Mais »

ESPECIAL 25 DE ABRIL DE 1974 – “O Meu 25 de abril”

ESPECIAL 25 DE ABRIL – “O Meu 25 de abril” O 25 de abril representa para todos nós, como colectivo, um dia extremamente importante para a história do nosso País. Símbolo da liberdade e da democracia este dia marcou-nos a todos de forma diferente. E hoje, passados tantos anos, a leitura que se tem feito da história do nosso passado recente, nem sempre é coincidente ou pacífica.   Mas onde estávamos nós em abril de 1974? O que fazíamos? No mês de abril de 2001, na edição nº 12, o Terra Ruiva foi investigar no sótão das memórias de alguns …

Ler Mais »

A cultura e a política

    A cultura, no seu sentido mais intenso, define e diferencia os indivíduos e as suas comunidades, continuando por vezes a ser um baluarte de elites, porque o efeito transformador de 41 anos de democratização da cultura ainda não teve tempo de se fazer verdadeiramente sentir na sociedade portuguesa, ficando por debater: o que é que a política pode fazer pela cultura, tendo presente as expetativas criadas no período pós 25 de abril. O deficit público, a crise económica, a dívida soberana, e as suas consequências na debilitada economia portuguesa, fizeram da cultura uma das vítimas mais visíveis, sendo …

Ler Mais »