Home / Opinião (página 16)

Opinião

Patrimónios

Hoje começo de forma diferente! Em primeiro lugar gostaria de saudar a forma correcta como o Bloco de Esquerda (BE) organizou um protesto digno por causa do estado da EN 124, no troço que liga Silves ao Porto de Lagos. Já há muito que se fala da requalificação integral deste troço, compreendido entre a Portela de Messines e o Porto de Lagos. Tal obra, prometida por diversos governos, e executada em parte (Portela de Messines a Silves), ainda nos mandatos de Isabel Soares que, em muito, contribuiu com uma incisiva acção junto dos diversos governos de Portugal (recordo que nessa …

Ler Mais »

Investimento e Estratégia Municipais – o exemplo de Armação de Pêra

O investimento público na ordem dos vários milhões de euros que se encontra em fase de lançamento final pelo Município de Silves (maioria CDU), liderado pela Presidente Rosa Palma, apresenta-se como desafio significativo num contexto ainda marcado pelos efeitos da austeridade, o crescimento económico anémico e as “heranças autárquicas internas”, num quadro regional e nacional onde não é residual o número de autarquias que se mostram incapazes de prosseguir o mesmo rumo. Fazer uso de avultados recursos públicos, quando está em causa o dinheiro dos contribuintes e o interesse geral das populações, implica responsabilidade e cuidados redobrados para os decisores …

Ler Mais »

O futuro dos emigrantes

Nos anos sessenta, ou pouco depois, a editora Ulisseia encomendou-me a capa para um livro de Nuno Rocha, jornalista, cujo título logo me impressionou: tratava-se de FRANÇA, A EMIGRAÇÃO DOLOROSA. Já se vivera mais uma nova vaga de emigrantes portugueses sobretudo para França, nomeadamente no âmbito da construção civil. O Nuno, ainda bem novo, vestira-se a preceito (como se partisse de uma aldeia do Norte), meteu uma máquina de escrever portátil na mala, juntamente com roupa e outros apetrechos. Tinha comprado uma passagem para França, viagem que se fazia a salto e numa camioneta ronceira, trabalhada na sombra, já velha …

Ler Mais »

A ameaça

Portugal Continental tem 900 km de costa, oportunidades infinitas para o turismo e para quem procura um lugar ao sol com vista para o mar. Só o Algarve produz 5 biliões de euros em receitas de turismo, por ano, sendo que 60% dos trabalhos da região estão ligados ao turismo. Quem vem de férias para o Algarve elege como uma das principais razões da sua escolha, a natureza e as actividades relacionadas com a mesma, sendo que 40% da região é ambientalmente protegida. Apesar destes números que falam, nos últimos anos tem sido incentivada a prospecção de petróleo nos nossos …

Ler Mais »

Gente cristalina

Ao assumir um elevado código moral da esquerda, tenho erradamente assumido como natural e desculpável a prática de crimes económicos, sociais e políticos da direita. Com a força da superioridade moral da esquerda, condeno duplamente os seus ilícitos e absolvo com crescente indiferença os ilícitos da direita. Algo está duplamente errado, os crimes económicos, sociais e políticos devem ser exemplarmente punidos, com consequências pessoais e politicas dos protagonistas sejam eles (ou elas) da esquerda ou da direita. O furor da condenação criminal da esquerda e da desculpabilização inconsciente da direita não é só uma característica típica das gentes de esquerda, …

Ler Mais »

O perigo da globalização para o nosso turismo

Tem surgido recentemente na imprensa alguns artigos sobre uma preocupação crescente na cidade de Lisboa: o fenómeno da “Gentrificação”. Este fenómeno traduz-se pela alteração da composição económica e social de espaço, em que lojas e habitantes locais são “empurrados” para fora do local originário por novos habitantes e negócios que nada têm a ver com o local. Traduzindo por miúdos, o que sucede em Lisboa é que esta está a ser vitima do seu sucesso enquanto destino turístico; mais e mais turistas chegam à cidade, atraídos pela sua atmosfera e beleza. Ora esta procura turística leva a que esta área …

Ler Mais »

Laranjas

Como muitos deram conta, recentemente, decidiu o executivo camarário promover Silves, como a Capital de Laranja. Parece-me uma ideia interessante, embora não seja nova, pois, como muitos se recordarão, o anterior executivo envidou vários esforços para criação de uma marca territorial específica para a laranja, muito à semelhança do que foi feito para os vinhos. À data e durante algum tempo, procurou-se criar a marca “laranja de Silves”. Todavia, devido a constrangimentos burocráticos e a um registo anterior de marca de origem junto da comunidade europeia, levou a que não pudesse haver uma “laranja de Silves”. Assim, conseguiu agora este …

Ler Mais »

Conta de Gerência de 2015 do Município de Silves

O Município de Silves (maioria CDU) viu aprovada em reunião de câmara a Conta de Gerência relativa ao ano de 2015. Consultando o Relatório de Gestão que integra a prestação de contas, é percetível a constatação de alguns resultados assinaláveis no quadro da execução orçamental. A taxa de execução da receita na ordem dos 93%, bem acima dos 85% que é a taxa mínima recomendada legalmente pela tutela, é a maior alguma vez conseguida, que compara com 79% (2013) – o melhor registo do mandato anterior. A taxa de execução do investimento na casa dos 52%, comprova um bom desempenho, …

Ler Mais »

Da transparência e da sua ausência

Uma das maiores exigências que hoje se coloca às entidades públicas tem a ver com a transparência nas suas decisões. Inevitavelmente associamos essa transparência à internet na suposição que está lá para todos os que quiserem ver… Este mês, por razões que se prendem com a minha função de dirigente associativa, tive a curiosidade de saber quanto é que algumas associações do concelho tinham recebido de apoio financeiro ( os chamados subsídios) para o ano de 2016. Queria saber quem tinha recebido quanto, e quais os critérios de atribuição dessas verbas – que são dinheiro público. Quem não quer sarilhos, …

Ler Mais »

Do Regional ao Nacional e Global

Li, em concordância, as palavras de Paula Bravo, directora deste jornal, que reflectiam alguma perplexidade sobre um certo balanço entre o acesso a temas regionais e outros de cunho nacional ou global. É uma questão pertinente mas também é verdade que a imprensa das regiões (ou similar) não parece ter vocação para se comprimir, embora com lucidez, apenas sobre assuntos, os mais diversos, locais, individuais, de costas voltadas para o mundo inteiro. Na contemporaneidade, isso já não tem sentido ou não é mesmo possível. Com os seus defeitos e as suas virtudes, os fenómenos colectivos da globalização envolvem grandes regiões …

Ler Mais »