Home / Opinião (página 10)

Opinião

Na essência

Neste últimos dois meses, em que me ausentei desta escrita, senti que percorria os fios duma trama ou rede fina, podendo a qualquer momento desequilibrar-me e esvaziar-me de lucidez. A sincronização de acontecimentos nada relacionáveis engendraram uma enorme fadiga e um indispensável apego à objetividade para percorrer essa trama sem mergulhar na demência. Os meus pais ficaram em simultâneo a necessitar de permanente atenção, tolhidos de autonomia: as laranjas apodreceram no pequeno quintal de minha mãe, a única laranjeira ali plantada lastimou a sua ausência momentânea e a inexistência dos carinhos de quem sempre viveu a ruralidade; os jogos de …

Ler Mais »

O princípio da descentralização enquanto fim

Numa das suas típicas lições de gestão, o Chefe do Cabelo Pontiagudo insurge Dilbert a descentralizar a sua organização para impedir a existência de pontos de estrangulamento no processo de decisão. Na tira seguinte, o Chefe do Cabelo Pontiagudo indica que dever-se-á centralizar os processos de gestão para que a organização seja mais eficiente. Face a estas decisões visionárias, Dilbert conclui que o seu chefe só pode ser um génio da estratégia empresarial. Dilbert e o Chefe do Cabelo Pontiagudo são personagens fictícios de uma tira humorística de banda desenhada, desenhada e escrita por Scott Adams, que satiriza as práticas …

Ler Mais »

Caras

Nem sempre temos o tempo que contamos para nos dedicarmos ao que, efectivamente, gostamos e este mês, o tempo que dedico para partilhar convosco um dado assunto, foi bastante acanhado. Mas, entre alguns afazeres, consegui arranjá-lo o que, em si mesmo, não foi mau pois este fim de mês foi fértil em assuntos. De todas as notícias/assuntos que surgiram, um trouxe-me alguma inquietação. Na verdade, a nossa dependência do turismo e, sobretudo, do britânico, deixam-me com alguma preocupação. Falo, como será óbvio, do Brexit accionado no decurso desta última semana de Março. Na verdade, a novidade deste assunto é assustadora. …

Ler Mais »

Escolhas

A sociedade como as organizações, e no caso concreto, os municípios, precisam de fazer opções, escolher entre alternativas, definir prioridades, saber distinguir entre o que é fundamental em dado momento, avaliar a decisão no contexto das várias áreas de intervenção – considerando o todo, pesar e ponderar, pela simples razão – e isto, é um dos problemas fundamentais da economia – de que os recursos são escassos face às necessidades ilimitadas do Homem e das populações. Nenhuma organização reúne capacidades e recursos para resolver tudo num ápice. O provérbio popular “Roma e Pavia não se fizeram num dia” mantém-se atual …

Ler Mais »

Normalidades

O final do mês de Janeiro veio trazer uma inesperada normalidade à política concelhia. De facto, um dos elementos que este ano de 2017 deveria trazer, para lá de uma oposição mais desperta e presente, seria um executivo mais feérico dos seus feitos (grandes ou pequenos). Refiro-me, como não podia deixar de ser, ao boletim municipal que veio à estampa neste final de Janeiro e foi, amplamente, divulgado em Fevereiro. Claro está, que este assunto não é novo, uma vez que este é o segundo boletim que o executivo silvense publica e é uma “tradição” de todos os executivos: no …

Ler Mais »

O desemprego do Homem

Há umas semanas li um artigo sobre o impacto da tecnologia no mercado de trabalho, onde se argumentava que os avanços em campos como a automação e a inteligência artificial prometiam a extinção de quantidade substancial de trabalho e consequente substituição por máquinas, computadores e robots. O mesmo artigo indica que 47% dos empregos na América são “computorizáveis”; substituíveis por tecnologia, em áreas da saúde à contabilidade. Não é de todo descabida a possibilidade; a tecnologia tem substituído postos de trabalho um pouco por toda a parte, desde os primórdios da Revolução Industrial. Já na Inglaterra do século XIX, os …

Ler Mais »

Investimento Municipal

Um dos objetivos fundamentais dos municípios consiste na realização de investimento, maximizando-o, fazendo uso das potencialidades orçamentais e financeiras, recorrendo ao crédito de forma racional e sustentada, e aos fundos nacionais e/ou comunitários, como condição e via para a satisfação das necessidades básicas e de desenvolvimento, das populações e do território. Associado a esse propósito, os municípios procuram garantir a coesão social e territorial, repartindo geograficamente o investimento com critério e ponderação. A enunciação daquele desiderato somente obterá expressão prática, com a constituição de equipas dirigentes competentes e solidárias, dotadas de visão estratégica, plenamente comprometidas com a defesa e reforço …

Ler Mais »

Um mês agitado

Creio que Janeiro nos trouxe dois assuntos verdadeiramente incontornáveis: Donald Trump e a votação da TSU. De Donald Trump poderíamos dizer que é um político que cumpre o que promete e fá-lo de uma forma muito rápida (não sei se eficaz). O que, dito desta maneira, até nem parece mal. Porém, quando vamos ao conteúdo daquilo que cumpre deixa-nos um calafrio terrível que nos recorda tempos passados. De facto Trump cumpre, mas o resultado desse cumprimento redunda num atroz atavismo que faz ressurgir os nossos piores receios enquanto sociedade. O completo encerrar-se ao outro, o começar a olhar apenas para …

Ler Mais »

Estado do Município

Em ano de eleições autárquicas, a avaliação de desempenho dos eleitos locais, com especial enfoque na gestão municipal, sujeitar-se-á a escrutínio reforçado, principalmente com origem na oposição partidária e nos cidadãos em geral, sendo útil e necessário para a qualidade da democracia que a crítica obedeça a critérios construtivos, objetivos e verdadeiros, o que nem sempre acontece, face a razões de ordem política e ideológica e também a alguma inexperiência, preconceito, facciosismo ou desconhecimento da realidade. A meu ver, o debate sobre o Estado do Município na última Assembleia Municipal de Silves veio demonstrar que a ação da atual liderança …

Ler Mais »

Neste 16º Ano do Século XXI

Findámos o Ano. Um ano em acontecimentos que a todos nos diz respeito, mas de opiniões diversas. As minhas seguem em leituras nossas e dos outros. Em opiniões políticas, religiosas, culturais e pessoais. Tivemos um turismo no “seu mais alto valor”, assim o diz a Secretária de Estado do Turismo, Ana Maria Godinho, por Lisboa. A Senhora do Governo fala de milhões de euros, de outro tanto, em número de turistas, afirmando que só no passado mês de Outubro, o Algarve registou, em proveitos, de 1,3 milhões de dormidas, ou seja mais de 65%, fora da época. Ao Aeroporto de …

Ler Mais »