Opinião

O naufrágio do Spryros

Sempre que se falava de tempestades na costa algarvia, o pai não conseguia conter as lágrimas. Na lembrança pertinaz, a noite horrenda. Ficava cabisbaixo. A contemplar as suas mãos exaustas. A agarrar os tufos de cabelo dos dois tripulantes. Não teve forças para os salvar. Naquela noite de Domingo, 24 de janeiro de 1937, António José saiu de casa, na rua Vasco Pires. Desceu a rua do Forno. Passou à frente da carvoaria do pai, no gaveto da Travessa do Capote com a Rua Gustavo Cordeiro Ramos. Seguiu a caminho da Casa Inglesa. Contava ir tomar uma bica, cavaquear com …

Ler Mais »

Habitar e construir no Algarve: O Estado de Emergência Climática e Ambiental (1)

No passado dia 2 de Dezembro o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, participou num evento sobre o “Estado do Planeta” e a crise climática, onde uma vez mais referiu a importância de reconhecer a guerra do Homem contra a natureza como como um acto de “suicídio” colectivo. Guterres lançou a todos o desafio moral, e compromisso para com as próximas gerações, de reformar e reconceber comportamentos e a forma com que vivemos. A forma – como vivemos em nossas casas e como as construímos; como comemos e o que comemos; e muito mais coisas que fazemos – são o …

Ler Mais »

Um passeio no Percurso das Fontes Boião-Azilheira, com os animais da nossa serra

Há dias em que apetece sair de casa para um passeio no campo. O ar está fresco, o Sol espreita por entre as nuvens, o dia está perfeito. Ao sair do carro somos invadidos pelo cheiro fresco da vegetação, a passarada faz-se ouvir e os insetos esvoaçam de um lado para o outro na sua azáfama diária, ou percorrem carreiros ordeiramente, como se se tratasse de um exército. Pouco depois, sobre um muro de pedra, uma lagartixa-comum aquece o corpo nos primeiros raios de Sol, mas rapidamente se esconde. Ouve-se água correr à distância. Chegados à ribeira, umas quantas rãs-verdes …

Ler Mais »

Postal de Natal

Atualmente, para enviar um postal de Natal, posso utilizar vários meios de comunicação, desde logo através deste jornal, mas também por email, serviços de mensagens, pelo tradicional serviço de correio e, ainda, por interposta pessoa ou pessoalmente, com o cuidado de resguardar o referido postal num envelope, de preferência adequado à época natalícia. Os postais de Natal desejam boas festas e um ano novo cheio de felicidades. Atendendo à proximidade destas duas festividades, numa única mensagem envolvemos toda a quadra festiva. Particularmente, neste ano, bem precisamos de esperança e de um novo ano bem distinto, para melhor, do que agora …

Ler Mais »

Privações Natalícias

Como todo o ano de 2020, este Natal vai ser atípico. O crescente número de infeções verificado no nosso país devido à pandemia de Covid-19 assim o obriga. Com a extensão do Estado de Emergência até ao dia 6 de janeiro de 2020, o governo espera reduzir a toada de infeções durante esta época festiva. As restrições com que temos vivido nos últimos meses assumem especial importância neste período; sendo o Natal uma festa de índole familiar e tendo os portugueses uma atitude muito gregária, é inevitável que haja sentimentos de alguma relutância. Este Natal vai ser diferente; ao invés …

Ler Mais »

Iluminação de Natal e Autarquias

Há quem discorde do investimento realizado pelos municípios portugueses na tradicional iluminação de Natal, justificando com os efeitos da crise sanitária, económica e social e a necessidade de reforçar os apoios a famílias e empresas. Nada de mais errado. É uma falsa questão. A alocação de recursos aos festejos do Natal é importante para a promoção e dinamização da economia local e o reforço da atratividade dos centros urbanos, proporcionando um fôlego de alento e estímulo ao comércio local, precisamente um dos mais atingidos pela crise pandémica, a par também do combate à resignação e ao clima depressivo reinante neste …

Ler Mais »

A razão vence a demagogia

Não é segredo que um dos maiores receios de George Washington e dos pais fundadores dos Estados Unidos da América (EUA) era que demagogos tentassem aproveitar o caos e confusão de uma nação recém criada. Eram referidos como o mais venenoso que existe para a constituição das democracias. Muito próximo da famosa Convenção Constitucional de Filadélfia, em 1787, Washington escreveu ao seu amigo Marquis de Lafayette, a explicar que o propósito crítico da participação nesta convenção seria impedir que um demagogo ganhasse demasiado poder num país que ainda era instável, consequentemente destruindo-o. A eleição, mesmo que justa, de políticos com …

Ler Mais »

Uma “Ecovia da linaria algarviana” entre vales e planos suspensos

Lugares como a ‘Praia dos Medos’ e os sapais de Pêra, apesar da proximidade de Armação de Pêra e dos Salgados palace, dunas suites, beach villas ou palm village, mantêm até hoje uma relação privilegiada entre a paisagem estuarina das ribeiras de Alcantarilha e dos Salgados, a baía de mar e o lugar urbano. Em parte, porque se preservaram as formas de lá chegar, porque o Plano Pormenor da Praia Grande (PPPG) não avançou, porque Armação não se virou a nascente, e eventualmente porque o império de Carlos Saraiva colapsou. No século XXI, em Portugal, o delírio por passadiços e …

Ler Mais »

As certezas e incertezas da ciência

Muitas vezes no discurso comum de todos os dias, e a respeito dos mais diversos assuntos, ouvimos dizer que “a ciência é ainda incerta!”. Pretende-se, assim, enfraquecer a posição científica. Diz-se que a ciência não está certa a respeito da eficácia das máscaras para conter transmissão de COVID-19, das causas das alterações climáticas e da própria existência de alterações, da teoria da evolução, etc. O processo científico, visto de fora, é percebido como frágil por quem pensa que a dúvida e a honestidade de admitir ignorância são negativas. É certamente mais simples procurar informação na internet, onde todos os tipos …

Ler Mais »

Linguados

Um dos serviços de refeições da ação social da Universidade do Algarve é uma cantina de grelhados, isto é, um serviço de cantina em que todas as refeições são grelhadas, peixe ou carne. As alternativas, normalmente, são duas a três de peixe ou de carne, em cada dia da semana, bem como os acompanhamentos que apresentam: arroz, branco, de cenoura ou de ervilhas, batatas, fritas ou assadas, legumes, esparregado, feijão verde ou couve flor, e salada, tradicional (todos os dias) ou algarvia (só à quinta-feira). De entre os peixes, bacalhau, chocos, lulas, carapaus e outros. Num dos dias da semana …

Ler Mais »