Home / Opinião

Opinião

O choque económico da tecnologia

Portugal ferve com a febre do empreendedorismo tecnológico. A promessa de um Silicon Valley português, com lugar de destaque num mundo cada vez mais global e avançado, parece demasiado poderosa para se ignorar. O choque tecnológico alardeado há alguns anos continua a sua caminhada para a relevância estrutural na economia do país. A tecnologia surge como característica diferenciadora na atribuição de financiamento através de fundos comunitários. Na sequência do Web-Summit, grande evento mundial sobre start-ups e tecnologia, surgem uma série de pequenos eventos mais pequenos sobre o tema, um pouco por todo o país. O empreendedorismo está na moda como …

Ler Mais »

Aparições

Acho que fui à catequese uma vez, ainda andaria na escola dita primária. A catequese era logo a seguir à missa (ou seria antes) na sé. A catequista distribuiu uma folha branca com o presépio por colorir (aquelas gravuras que só têm contorno e que são denominadas para colorir, são essas mesmas). Foi há tantos anos que, agora, acho estranho, mas estou a presenciar uma folha com as figuras do presépio e lápis de cor. Os lápis azuis eram insuficientes para as jovens mãos e a catequista disse-nos que podíamos pintar o céu de distintas cores (podíamos ser criativos). O …

Ler Mais »

Ano de eleições

Escrevo-vos já na madrugada do 25 de Abril onde, há 43 anos, este país se ergueu em nome da liberdade de todos. Esse dia garantiu que a nossa opinião conta, que a censura terminara e que, hoje, possa expressar, livremente, a minha opinião sabendo que serei lida, independentemente, de concordarem comigo ou não. Este é um dia que importa a todos! Porém, não é sobre o 25 de Abril que me debruçarei neste texto, mas sim sobre algo que este dia nos trouxe. Como seria de esperar, em Abril de 2017, as eleições autárquicas no nosso Concelho já mexem. Já …

Ler Mais »

No bom caminho

O Relatório de Gestão relativo ao ano de 2016 apresentado pelo Município de Silves, espelha a evolução bastante positiva das finanças públicas locais e acentuado dinamismo, particularmente, no campo do investimento. Ao fim de 3 anos de mandato autárquico, os números demonstram que o saneamento financeiro foi realizado e a “casa” está arrumada. É relevante na execução orçamental do Município de Silves a obtenção de taxa de execução da receita global acima dos 85% (objetivo recomendado pela tutela que obvia a sanções), facto que acontece pelo terceiro ano consecutivo (2016 – 91,9%), representando um indicador certeiro que reflete orçamentos bem …

Ler Mais »

Na essência

Neste últimos dois meses, em que me ausentei desta escrita, senti que percorria os fios duma trama ou rede fina, podendo a qualquer momento desequilibrar-me e esvaziar-me de lucidez. A sincronização de acontecimentos nada relacionáveis engendraram uma enorme fadiga e um indispensável apego à objetividade para percorrer essa trama sem mergulhar na demência. Os meus pais ficaram em simultâneo a necessitar de permanente atenção, tolhidos de autonomia: as laranjas apodreceram no pequeno quintal de minha mãe, a única laranjeira ali plantada lastimou a sua ausência momentânea e a inexistência dos carinhos de quem sempre viveu a ruralidade; os jogos de …

Ler Mais »

O princípio da descentralização enquanto fim

Numa das suas típicas lições de gestão, o Chefe do Cabelo Pontiagudo insurge Dilbert a descentralizar a sua organização para impedir a existência de pontos de estrangulamento no processo de decisão. Na tira seguinte, o Chefe do Cabelo Pontiagudo indica que dever-se-á centralizar os processos de gestão para que a organização seja mais eficiente. Face a estas decisões visionárias, Dilbert conclui que o seu chefe só pode ser um génio da estratégia empresarial. Dilbert e o Chefe do Cabelo Pontiagudo são personagens fictícios de uma tira humorística de banda desenhada, desenhada e escrita por Scott Adams, que satiriza as práticas …

Ler Mais »

Caras

Nem sempre temos o tempo que contamos para nos dedicarmos ao que, efectivamente, gostamos e este mês, o tempo que dedico para partilhar convosco um dado assunto, foi bastante acanhado. Mas, entre alguns afazeres, consegui arranjá-lo o que, em si mesmo, não foi mau pois este fim de mês foi fértil em assuntos. De todas as notícias/assuntos que surgiram, um trouxe-me alguma inquietação. Na verdade, a nossa dependência do turismo e, sobretudo, do britânico, deixam-me com alguma preocupação. Falo, como será óbvio, do Brexit accionado no decurso desta última semana de Março. Na verdade, a novidade deste assunto é assustadora. …

Ler Mais »

Escolhas

A sociedade como as organizações, e no caso concreto, os municípios, precisam de fazer opções, escolher entre alternativas, definir prioridades, saber distinguir entre o que é fundamental em dado momento, avaliar a decisão no contexto das várias áreas de intervenção – considerando o todo, pesar e ponderar, pela simples razão – e isto, é um dos problemas fundamentais da economia – de que os recursos são escassos face às necessidades ilimitadas do Homem e das populações. Nenhuma organização reúne capacidades e recursos para resolver tudo num ápice. O provérbio popular “Roma e Pavia não se fizeram num dia” mantém-se atual …

Ler Mais »

Normalidades

O final do mês de Janeiro veio trazer uma inesperada normalidade à política concelhia. De facto, um dos elementos que este ano de 2017 deveria trazer, para lá de uma oposição mais desperta e presente, seria um executivo mais feérico dos seus feitos (grandes ou pequenos). Refiro-me, como não podia deixar de ser, ao boletim municipal que veio à estampa neste final de Janeiro e foi, amplamente, divulgado em Fevereiro. Claro está, que este assunto não é novo, uma vez que este é o segundo boletim que o executivo silvense publica e é uma “tradição” de todos os executivos: no …

Ler Mais »

O desemprego do Homem

Há umas semanas li um artigo sobre o impacto da tecnologia no mercado de trabalho, onde se argumentava que os avanços em campos como a automação e a inteligência artificial prometiam a extinção de quantidade substancial de trabalho e consequente substituição por máquinas, computadores e robots. O mesmo artigo indica que 47% dos empregos na América são “computorizáveis”; substituíveis por tecnologia, em áreas da saúde à contabilidade. Não é de todo descabida a possibilidade; a tecnologia tem substituído postos de trabalho um pouco por toda a parte, desde os primórdios da Revolução Industrial. Já na Inglaterra do século XIX, os …

Ler Mais »