Helena Pinto

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta Formadora da Ordem dos Psicólogos Portugueses (Situação profissional dos Psicólogos; Ética e Deontologia, Intervenção em Situação de Emergência e catástrofe) e Membro do Conselho de Representantes da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Consultora da área da Gestão de Carreira

Falemos de violência contra as mulheres

Existe um número gigantesco de mulheres e homens que vivenciaram situações de violência e abuso na infância, adolescência e idade adulta. Guardam esse sofrimento, muitas vezes em silêncio, uma vida inteira por sentirem vergonha, medo do julgamento e sentimentos de culpa. A violência é estrutural, está em todos os lugares, nos jornais, nas ruas, nas escolas e, muitas vezes, perto de nós sem que percebamos. A sua manifestação ocorre no machismo, no abuso infantil, na exploração animal, no preconceito, entre outras formas. Nem sempre a violência é visível. Muitas vezes, ela é praticada por meio de palavras agressivas que destroem a …

Ler Mais »

Cuidar da Saúde Mental

Numa época em que tanto se fala em Saúde Mental, vamos nesta edição salientar alguns dos benefícios de procurar ajuda profissional e recorrer à psicoterapia, quando as coisas se tornam difíceis de gerir. O que é e como pode ajudar a psicoterapia? A psicoterapia é um processo terapêutico no qual um profissional treinado – Psicólogo Clínico ou Psiquiatra, ajuda a pessoa a lidar com questões emocionais, comportamentais, cognitivas ou interpessoais. O objetivo é melhorar o bem-estar psicológico do indivíduo, promover mudanças positivas no seu pensamento, emoções e comportamentos, e proporcionar estratégias para enfrentar os desafios na vida. Existem várias abordagens …

Ler Mais »

Como se perde uma vida?

Em pleno início de mais um novo ano temos à disposição mais 12 meses que, como 2024 é um ano bissexto, se traduzem em 366 dias de novas oportunidades de mudar o que precisa ser mudado, de definir melhor que vida queremos viver. Para nos ajudar neste reflexão de Ano Novo, permitam-me partilhar uma pequena conversa entre avô e neto: “-Avô, como se perde a vida? – A vida é perdida de muitas formas, filho. Perde-se quando queres viver a vida dos outros e não a tua. Perde-se criticando os erros dos outros, e não melhorando os teus. Perde-se quando …

Ler Mais »

Pendurado bem à minha frente, coloquei a capacidade de amar… e de recomeçar…

Aproximamo-nos do final de mais um ano e como o tempo corre… É altura de fazer balanço. Como foi este ano? Qual o grau de satisfação que sente nas diferentes áreas da sua vida? Que conquistas teve este ano? Que desafios teve e quais superou? Que aprendizagens fez? Está a percorrer o caminho que escolheu? Que quer deixar neste ano, que quer levar para o novo ano? No percurso de vida nunca temos apenas situações negativas ou menos boas. Temos muitas coisas positivas e sempre a possibilidade de mudar. Cada dia é uma nova oportunidade para fazer diferente, para construirmos …

Ler Mais »

Luto, perda e viver com a ausência

Novembro inicia-se com a homenagem aos que já partiram. O Dia de Finados leva familiares e amigos a recordarem os seus ente queridos e, de alguma forma, cuidar das memórias deixadas. Apesar da perda ser inevitável ao longo da vida humana, a morte de um ente querido confronta as pessoas com desafios especialmente complicados e momentos de angústia e dor. A forma como se vive o processo de luto pode levar a consequência de cariz psicológico, comportamentais, sociais, físicas e económicas.  O impacto no indivíduo e na estrutura familiar, pode transformar o que podia ser um processo de luto normal, …

Ler Mais »

Quando parece já não haver outra saída

Setembro vestiu-se de Amarelo e, desde 2015, este é um mês dedicado à prevenção do suicídio. Alertar, consciencializar, trazer sem tabus para a discussão, este tema que é atualmente uma séria questão de saúde pública. Ter consciência da importância da saúde mental não é um papel exclusivo dos profissionais de saúde, é um dever cívico. É fundamental que os contextos educacionais, de trabalho, familiares, sociais e de informação deixem de ignorar esta temática. A cada ano, cerca de um milhão de pessoas cometem suicídio, de acordo com a Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e com a Organização Mundial de …

Ler Mais »

Escutar a voz interior

Regressados após um tempo de férias, para quem delas pôde usufruir, espero que estas tenham trazido mais calma, menos pressa. Partilho com os leitores uma pequena história, para refletirmos sobre a calma e a importância de escutar a voz interior. “O professor insistiu repetidamente com seu discípulo sobre a calma. – Deixe sua mente se acalmar, se acalmar, se acalmar. Silencie o grito de seus pensamentos. – E o que mais? Perguntou impaciente o discípulo – Por enquanto, apenas isso. E a cada dia ele exortava o discípulo a se acalmar, superar toda agitação e encontrar um estado interior de …

Ler Mais »

“Fica-te tão bem o dia que trazes”

“- Fica-te tão bem o dia que trazes. Onde é que o arranjaste? – Fui eu que fiz. Já me aborreciam os dias sempre iguais, sempre a mesma coisa,  e resolvi arriscar um toque personalizado. – E como fizeste? – Aproveitei coisas que tinha e a que voltei a dar uso. Subi as bainhas da manhã para deixar entrar mais claridade e bordei uns pontos de exclamação nos bolsos para ter sempre à mão maneira de me espantar com a beleza da vida. Descosi velhos hábitos e teci algumas considerações importantes, como a de apanhar as malhas caídas dos dias …

Ler Mais »

A história da borboleta

Junho começa com uma comemoração muito importante, o “Dia da Criança”. Deve ser um dia que nos remeta para as memórias da nossa própria infância, rever o caminho percorrido até aqui, o que foi importante, o que nos marcou, de forma positiva ou negativa, o que nos ajudou a crescer. Esta reflexão, deve-nos fazer pensar também sobre a forma como estamos a ser pais. Que memórias estamos a construir com as nossas crianças? Que mais marcou a vida dos nossos filhos? Como se vão lembrar de nós? De que forma os estamos a ajudar a crescer? O quanto contribuímos para …

Ler Mais »

Síndrome de Burnout- “Atingi o meu limite!”

Maio, mês que se inicia com a comemoração do Dia do Trabalhador, é um bom mês para falarmos de Burnout, tema tão importante e cada vez mais uma realidade que afeta muitas pessoas e é transversal à maior parte das profissões. “Não aguento mais!” ou “Atingi o meu limite!” podem ser os desabafos de quem sofre da chamada Síndrome de Burnout, já classificada como doença ocupacional, desde o dia 1º de janeiro de 2022, que muitos conhecem como a síndrome do esgotamento profissional. Foi incorporada à lista das doenças ocupacionais reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A Síndrome de Burnout  pode …

Ler Mais »