Home / Francisco Martins

Francisco Martins

Natural de S. Bartolomeu de Messines, nascido em 1957. Licenciado em Economia, Membro Efetivo da Ordem dos Economistas. Professor e vice-presidente da Escola Secundária de Silves; vereador permanente e não permanente da Câmara Municipal de Silves (eleito da CDU); dirigente associativo em várias entidades. Fundador do Terra Ruiva.

Escassez de mão-de-obra e baixos salários

A escassez de mão-de-obra é uma das maiores ameaças ao investimento, à produtividade, ao crescimento e desenvolvimento económico do país. Correlaciona-se com o grave problema demográfico que não se resolve com incentivos à natalidade cujas consequências só se sentirão no longo prazo ou com paliativos para fazer regressar os emigrantes. Para ultrapassar o problema no curto prazo é necessário que se promova ativamente a imigração, bem como a valorização dos salários. Não é com o modelo de salários baixos e a precariedade na contratação que imperam no país que fixamos população e evitamos as vagas emigratórias que registam números preocupantes …

Ler Mais »

Maioria Absoluta, não!

Estamos a um passo das eleições legislativas de Outubro e na expetativa de que não se propague a ladainha ou a ilusão, à imagem do passado recente, de que o escrutínio se circunscreve à eleição do primeiro-ministro, quando na verdade se reporta à eleição de 230 deputados para a Assembleia da República, na base de cada círculo eleitoral, sendo neste órgão de soberania, que mais tarde, em função da votação de cada força política e do estabelecimento de eventuais acordos interpartidários, sairá o governo do país. As últimas eleições legislativas demonstraram claramente isso mesmo. O PS apesar de não ter …

Ler Mais »

Dissonâncias

Ao longo do tempo sempre suscitou estupefacção algumas posições dissonantes tomadas pelos eleitos e/ou dirigentes do PS e PSD ora no contexto da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal ora também aos níveis local, regional e nacional, quando as matérias em debate são idênticas, transparecendo aos olhos do observador mais atento que “não bate a bota com a perdigota”, visto que, obviamente, os partidos políticos são entidades únicas, não se podendo promover o oposto e o seu contrário, sob pena de se ludibriar os eleitores e a opinião pública, cavalgando o oportunismo mais primário. No plano estritamente local as posições …

Ler Mais »

Redes Sociais

O 25 de Abril de 1974 e a revolução dos cravos trouxe a liberdade de expressão, de opinião e de imprensa que são pilares fundamentais e imprescindíveis numa Democracia (política) que para ser plena de conteúdo deve integrar a Democracia Económica e Social, sob pena da própria Democracia, no seu todo, não resistir, subsistir e consolidar-se, à luz dos legítimos anseios e expetativas da sociedade. Vem o intróito a propósito das inúmeras opiniões que só muito benignamente assim poderão ser consideradas, que são veiculadas através das redes sociais (Facebook, WhatsApp, Instagram, Twitter), e por vezes, também na imprensa escrita (reporto-me …

Ler Mais »

A atualidade do 25 de abril

Não deixa de impressionar a força com que o 25 de Abril se faz sentir em todo o país, 45 anos depois da revolução dos cravos, que trouxe a liberdade e a democracia, a descolonização e o desenvolvimento à nação portuguesa, após 48 anos de obscurantismo e feroz repressão sob regime fascista. É de registar o bom serviço prestado pela televisão pública na homenagem e divulgação do significado do 25 de Abril ou o categorizado e diversificado programa de comemorações do Município de Silves, sob liderança CDU, que faz jus ao lema “Silves, concelho de Abril”. A gesta heróica e …

Ler Mais »

Desmandos na Banca

Num processo infindável, a banca nacional continua a sugar milhares de milhões de euros aos cofres do Estado e aos contribuintes, na forma de empréstimos, linhas de crédito ou garantias, para cobrir a gestão irresponsável e aventureira, negociatas e tráfico de influências, bem como atos de promiscuidade e corrupção, que poderiam ser alocados ao investimento público em áreas fundamentais para o desenvolvimento do país, como por exemplo, na educação ou na saúde. O Governo não retira daí as devidas ilações, faltando-lhe coragem e convicção política para proceder ao controlo público da banca. Na verdade, o Governo encontra-se de mãos atadas, …

Ler Mais »

Município de Silves promove nova vaga de obras públicas

O Município de Silves, após ter assegurado a elaboração dos respetivos projetos técnicos, prepara o lançamento de concursos públicos para a execução de diversas empreitadas, que na ótica da autarquia, são significativas e têm impacto no desenvolvimento local. Elencamos algumas delas: 1) “Repavimentação da estrada Boião-Azilheira (2.ª fase)” – obra no montante de 787 mil euros que se desenvolve numa extensão de 5 km, abrangendo também a repavimentação dos arruamentos nas aldeias do Boião e Azilheira. A 1.ª fase desta estrada que ocorreu numa extensão de 3,6 km, foi concluída em Novembro de 2017; 2) “Reabilitação da Casa do Forno …

Ler Mais »

Questão demográfica e economia

A questão demográfica está diagnosticada como um dos principais bloqueios ao desenvolvimento do país. A população portuguesa, hoje com 10,3 milhões de pessoas, em 2080, prevê-se que passe para 7,5 milhões, reduzindo-se em 2,8 milhões. Além disso, Portugal é o sexto país mais envelhecido do mundo, sendo que na União Europeia do futuro, mantendo-se o rumo, o nosso país ocupará o segundo lugar. No concelho de Silves o índice de envelhecimento atinge os 162,7% (100 jovens para 162,7 idosos), acima da média do Algarve – 131% (censo de 2011). A média nacional é 148,7%, à data de 2016. Com a …

Ler Mais »

Promessas

Em ano de consultas populares, nomeadamente, as eleições de deputados para a Assembleia da República, torna-se fundamental que o eleitor se cuide com alguns políticos e forças partidárias, que nas vésperas do escrutínio, não se coíbem de fazer promessas que correspondem a puras ações de propaganda. É neste contexto que entendemos as declarações do primeiro-ministro António Costa quanto ao lançamento de concurso público para a aquisição de 22 comboios para as linhas regionais da CP, no valor global de 170 milhões de euros, que convêm ser correlacionadas com outros anúncios no passado recente e pela mesma força política. Curiosamente, em …

Ler Mais »

2019

Nacional. No novo ano realizar-se-ão três consultas populares – eleições gerais para o Parlamento Europeu e para a Assembleia da República, e eleições regionais na Madeira. Há quatro anos atrás, para surpresa geral dos comentadores, e em especial para o espectro partidário situado à direita, o governo minoritário do PS foi formado, graças ao corajoso repto lançado por Jerónimo de Sousa (PCP), que desencadeou os acordos à esquerda, logo na noite das eleições de 2015. E contrariando também as expetativas do vasto leque de comentadores políticos e da opinião pública que auguravam futuro periclitante aos acordos, o governo cumprirá a …

Ler Mais »