Fabrice Martins

Nasceu em França em 1982 e desde 1993 que reside no concelho de Silves. Licenciado em Relações Internacionais pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, realizou posteriormente uma pós-graduação em Gestão Empresarial pela Faculdade de Economia da Universidade do Algarve. Tem como principais áreas de interesse a gestão, a geopolítica bem como a segurança e defesa. Após uma passagem pelo sector da banca, assumiu nos últimos anos o papel de gestor assistente e coordenador operacional de proteção de dados. Nos tempos livres, desenvolve as suas paixões pela música, fotografia e desportos motorizados.

Quem não tem cão caça com gato?

Foi retomada a discussão pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) para a implementação de uma taxa turística a nível regional que prevê a implementação da taxa no valor de dois euros por dormida, a maiores de 16 anos, em todos os concelhos da região e para todas as tipologias (hotéis, alojamento local, parques de campismo e autocaravismos, etc.). A proposta prevê uma discriminação positiva na época baixa em que o valor cobrado será de €1, assim como a repartição das receitas entre os Municípios (90%), e um “fundo regional” para promoção e animação turísticas (com os restantes 10%). O modelo …

Ler Mais »

Ano Novo com problemas antigos

O final do ano é tempo para desejar Boas Festas, realizar um balanço, manifestar desejos e definir resoluções para o Novo Ano que está à porta. Afinal é uma nova oportunidade que se abre de recomeçar e olhar com renovada ambição, esperança e determinação para as contrariedades. O ano de 2022 ficará indubitavelmente marcado pela invasão da Ucrânia por parte da Rússia, num regresso a um passado que muitos julgavam distante, mas, enfim, esqueçamos isto. Portugal entrará em 2023 com um problema demográfico que se vem acentuando. Foram conhecidos há dias os resultados dos Censos 2021 que confirmam que Portugal …

Ler Mais »

A conta gotas

Na Grécia Antiga, os fenómenos meteorológicos eram explicados através dos feitos do Deus dos Céus, Zeus, que detinha em seu poder a capacidade de controlar as nuvens, os relâmpagos, os trovões e a chuva. Um dos mitos da Grécia Antiga, retrata que após Zeus se tornar o Deus dos Céus, os mortais (os humanos) sentiam que tinham tudo o que precisavam pelo que, lentamente, deixaram de orar aos deuses. Eventualmente, Zeus decidiu que os mortais precisavam de ser recordados da importância dos deuses e de não tomar por garantido o que tinham na terra. Para persuadi-los, Zeus tirou-lhes a chuva …

Ler Mais »

Alfarroba sem lei

Encontrada maioritariamente em países mediterrânicos como Espanha, Itália, Marrocos, Turquia e Portugal, a alfarrobeira marcou durante largas décadas a paisagem campestre do sul do país, onde não raras vezes ali estava junto de oliveiras, amendoeiras e figueiras, compondo o tradicional pomar misto de sequeiro algarvio. Se no passado o seu fruto, a alfarroba, era essencialmente utilizado para fins de alimentação animal (ração) ou humana (farinha), actualmente, a sua utilização, quer da polpa como da grainha, é mais diversificada sendo possível encontrar uma panóplia de produtos desde goma, xarope, agente estabilizador, doces, tabletes, barras e bolachas de alfarroba (como substituto do …

Ler Mais »

Portugal, o incorrigível

Após ter sido aprovado na generalidade, eis que finalmente há Orçamento do Estado (OE) para 2022. Um marco assinalado pelo novo Ministro das Finanças e ex-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, como o “fim da crise política”. Usufruindo de uma maioria absoluta na Assembleia da República, dificilmente o Governo será colocado em cheque levando a uma eventual mudança de ciclo político, porquanto, a não ser que algo de absolutamente extraordinário aconteça, o actual Ministro das Finanças terá razão mas, por muito que queira, não consigo partilhar do regozijo. Com praticamente metade do ano “perdido” e com o Orçamento …

Ler Mais »

De boas intenções está o inferno cheio

Serve de exemplo a este propósito o Alojamento Local (AL) cuja figura surge no ordenamento jurídico nacional em 2008 e visava dois objectivos: a formalização de uma economia paralela amplamente difundida no país, sobretudo no litoral – as chamadas “camas paralelas” -, e possibilitar que alguns empreendimentos turísticos e outras formas de alojamento temporário de carácter turístico pudessem continuar a operar devido às profundas alterações introduzidas nesse ano ao regime dos empreendimentos turísticos, preservando-se assim o emprego de centenas de pessoas por todo o país assim como os investimentos realizados. Boas intenções portanto. Em 2014, o legislador reconheceu que o …

Ler Mais »

De portátil às costas

Não é segredo que há anos que Portugal está na “moda”, sendo objecto de inúmeros artigos e publicações nos diferentes formatos físicos e digitais. Desde revistas, a blogs ou vídeos que retratam estilos de vida – o chamado lifestyle -, a publicações especializadas em turismo e viagens, a investimentos imobiliários ou a gastronomia e desporto, entre muitas outras áreas. A salientar esta tendência está a posição em que Portugal se encontra em vários rankings relacionados com os novos nómadas digitais. E o que são nómadas digitais? São pessoas que buscam conciliar a sua vida profissional com as experiências vividas localmente, …

Ler Mais »

Sistema comprometido

Os primeiros meses de 2022 foram fartos em casos de ataques informáticos por todo o Mundo. Em Portugal, verificaram-se ataques maliciosos a grupos de comunicação social como a Impresa (dona do Expresso e da Sic) e a Cofina (Correio da Manhã e revista Sábado), a empresas de telecomunicações (Vodafone Portugal) e a um centro de medicina laboratorial. Pelo meio, ainda se falou num alegado acesso indevido ao site do Parlamento e, nos últimos dias de Fevereiro, o Ministério dos Negócios Estrangeiros também foi alvo de um ciberataque que terá afectado, por agora, o sistema de correio electrónico utilizado pelos funcionários …

Ler Mais »

Tratar da saúde

Ao contrário do que possa sugerir o título, este não é um artigo de bem-estar ou de como recuperar a forma física em dez dias após o período festivo. Porém, se há área que precisa de recuperar a forma para proporcionar bem-estar, é a da saúde. Nos últimos dois anos muito se tem falado no Serviço Nacional de Saúde e de como precisa de ser reforçado ou reformulado. A pandemia tornou claro os problemas crónicos que os profissionais da área reiteradamente afirmam: a escassez de recursos (pessoal, material e financeiro) e de organização é evidente, pondo em causa a resposta …

Ler Mais »