António Eugénio

Natural de São Bartolomeu de Messines, nascido em 1983. É licenciado em Economia e Mestre em Marketing pela Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, tendo efectuado pós-graduações na área das Finanças Empresariais e da Fiscalidade. É membro efetivo da Ordem dos Economistas e da Ordem dos Contabilistas Certificados. Gestor de profissão, interessa-se especialmente por desenvolvimento regional e territorial e é doutorando em Gestão de Inovação e do Território na Universidade do Algarve.

Natal dos Hospitais

E quando nos damos conta, é dezembro outra vez. Estamos de novo em plena época natalícia, já sem máscara, e com um atípico campeonato do mundo de futebol. Como há um ano escrevia nestas mesmas páginas, os jogos deste campeonato do mundo de futebol são acompanhados de filhós e outras iguarias que só comemos no Natal, algo tão estranho como ver estádios construídos sobre as areias do deserto, equipados com aparelhos de ar condicionado. E enquanto estamos envolvidos na habitual azáfama de compras de Natal e tentamos acompanhar aquele Brasil-Coreia do Sul ou o Portugal-Suíça ou a Serenela Andrade e …

Ler Mais »

O Orçamento do Nevoeiro

Todos os anos há Orçamento de Estado; e todos os anos encho esta página com uma pequena análise ao mesmo. Normalmente é por esta altura, Outubro e Novembro, mas já houve anos em que, por via da discussão tardia das matérias orçamentais, a análise chegou mais tardia. Ainda em Maio discutíamos o de 2022. O orçamento de 2023 é discutido dentro do calendário normal. O que não é normal é a natureza da situação em que nos encontramos, com uma inflação galopante como não se via há décadas. Este é um fenómeno pernicioso, originário da quebra das cadeias de produção …

Ler Mais »

Pellets: o aglomerado de problemas

Desde há uns anos para cá, os meus invernos têm tido uma constante: as idas às compras de pellets para aquecimento de casa. Trata-se de aglomerados de madeira em pequenos cilindros, de fácil armazenagem, que resultam da compressão de madeira obtida a partir de desperdícios da indústria madeireira ou da limpeza de matas. Durante muito tempo, as pellets constituíram uma alternativa relativamente competitiva face às alternativas de aquecimento. O seu preço manteve-se inalterado ao longo do tempo e a sua ubiquidade significava que estava disponível um pouco por toda a parte. O preço também era competitivo: um saco de pellets …

Ler Mais »

Silly Season 2.0

O mês de setembro de 2022 tem um sabor diferente, e no entanto, estranhamente familiar. Diferente, porque o verão que o Algarve viveu este ano foi pautado pela torrente de turistas nas nossas praias e nas nossas vilas e cidades. Familiar, porque embora já não estivéssemos habituados, foi um regresso à “silly season” e ao frenesim que todos os algarvios se habituaram durante as últimas décadas. Depois de 2 anos da pandemia que parou e congelou o mundo, os turistas do mundo, sedentos de férias, olvidados da pandemia e inseguros sobre as paisagens do Mediterrâneo Oriental que, por uma desafortunada …

Ler Mais »

Aeroporto(s) de Lisboa

Há um ano, assistíamos à imagem do Primeiro-Ministro António Costa a perguntar à presidente da Comissão Europeia Úrsula von der Leyen, “se já podia ir ao banco”, como se fosse um miúdo travesso a quem tinham dado permissão para ir à loja de doces. Iríamos receber “uma bazuca” de dinheiro, tanto dinheiro que não saberíamos o que fazer com ele. A questão do que fazer com o aeroporto de Lisboa tem décadas; face à incapacidade de expansão do Aeroporto Humberto Delgado (também chamado de Aeroporto da Portela), foram colocadas em cima da mesa nada menos do que 17 propostas de …

Ler Mais »

Um paraíso acidental

A não ser que tenha estado debaixo de uma pedra nos últimos anos, certamente já ouviu falar de criptomoedas, ou pelo menos, da principal, a bitcoin. Estas “divisas” foram inicialmente concebidas como um género de moeda digital descentralizada, fora do controlo dos bancos centrais. Embora existam várias “moedas” como a ethereum, a dogeou a tether, praticamente todas tem a sua base numa estrutura tecnológica chamada blockchain; esta blockchain pode ser entendida como um livro de registos ou livro de contas digital onde são registadas as operações feitas com criptomoedas, e que, pela sua natureza descentralizada, constitui uma forma de “gestão” …

Ler Mais »

Os bons, os maus e os feios (orçamentos)

Os últimos dias viram a aprovação na generalidade do Orçamento de Estado de 2022 por parte do Parlamento. O processo foi retardado devido às eleições legislativas antecipadas que tiveram lugar no início do ano e, como tal, este ano teremos um “mini-orçamento” de estado no que toca aos efeitos temporais: entrará em vigor apenas em Julho, nas melhores perspetivas. Entre as medidas apresentadas destaco duas, que me parecem espetacularmente antagónicas. A primeira implica uma alteração do artigo 50-A do código do IRC, aumentando de 50% para 85% na dedução ao lucro tributável dos rendimentos provenientes de contratos que tenham por objeto …

Ler Mais »

Paisagem irrelevante

Há cerca de dois meses, no rescaldo das eleições legislativas, escrevi nestas páginas um artigo de opinião que realçava um dos problemas da região do Algarve: a irrelevância da região em relação às opções de política pública nacional. As notícias mais recentes corroboram essa opinião. O Primeiro-Ministro António Costa apresentou recentemente a composição do XXIII Governo Constitucional da República Portuguesa. Normalmente não comento composições de Governos porque entendo que refletem opções constantes nos programas eleitorais e que, de uma forma ou outra, são mais ou menos genericamente adequados aos temas que são alvo de discussão. Este, no entanto, necessita de …

Ler Mais »

O fim da História (ou talvez não)

Quando, em 1992,  Francis Fukuyama argumentou na sua obra fundamental “O fim da História e o último homem”, que a derradeira forma de governação da humanidade se traduziria na democracia liberal, poucos foram os que duvidaram. A União Soviética acabara de se dissolver e os Estados Unidos da América emergiam como vencedores da Guerra Fria. As democracias liberais do Ocidente, com valores tais como separação de poderes, imprensa livre, liberdade de expressão, estado de direito, direito à propriedade privada e proteção de direitos civis e políticos, apresentavam os maiores níveis de desenvolvimento económico e o seu modelo de governação tinha-se …

Ler Mais »

Por quem as eleições dobram

Enquanto escrevo estas linhas, o Partido Socialista de António Costa ganha as eleições legislativas com uma surpreendente maioria absoluta. Desconfio que as sondagens dos últimos dias antes das eleições, que apresentavam um empate técnico entre PS e PSD, tenham desempenhado um papel para este desfecho, por um lado, mobilizando o eleitorado socialista menos envolvido e que quase esperava uma vitória fácil e por outro, promovendo uma transferência de votos da restante esquerda para o PS (o chamado “voto útil”), com receio que o PSD e a direita ganhassem as eleições. A ironia deste cenário é o facto do próprio Rui …

Ler Mais »