Home / António Eugénio

António Eugénio

Natural de São Bartolomeu de Messines, nascido em 1983. É licenciado em Economia e Mestre em Marketing pela Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, tendo efectuado pós-graduações na área das Finanças Empresariais e da Fiscalidade. É membro efetivo da Ordem dos Economistas e da Ordem dos Contabilistas Certificados. Gestor de profissão, interessa-se especialmente por desenvolvimento regional e territorial e é doutorando em Gestão de Inovação e do Território na Universidade do Algarve.

De comboio para a capital

Numa viagem recente à nossa capital, decidi trocar o meu habitual meio de transporte. Ao invés de calcorrear a estrada que separa o Algarve de Lisboa, comprei um bilhete e percorri as linhas de caminhos-de-ferro que serpenteiam para a cidade à beira Tejo. Admito, há anos que não andava de comboio no território nacional. A viagem decorreu sem grandes sobressaltos e foi deveras confortável, admito. No entanto, a primeira hora e meia de viagem foi conduzida por alguma consternação e surpresa. À medida que o comboio avançava pelas linhas, não podia deixar de pensar em quando é que o comboio …

Ler Mais »

O mapa de baixa densidade

Há cerca de três anos escrevi uma opinião neste jornal sobre a não-inclusão do concelho de Silves no mapa de territórios considerados como “territórios de baixa densidade”. Nessa altura, salientei o meu desacordo com o mapa apresentado, dado que o mesmo apresentava o concelho de Silves com não estando incluído nessa categoria. Dado que a não-inclusão no mesmo significava a impossibilidade de aceder a uma serie de benefícios no âmbito dos fundos comunitários, e dada a importância dos mesmos para a atração de investimento, revelei nestas páginas a minha preocupação com a questão. Posteriormente, aparentemente por pressão dos municípios, o …

Ler Mais »

Sonho de uma taxa turística no Algarve

No inicio do mês de Março a Comunidade Intermunicipal do Algarve – AMAL aprovou a criação de uma nova taxa turística na região, à semelhança do que já acontecia, por exemplo, em Lisboa e Porto. Embora nada esteja claro em relação aos moldes da taxa, seja da forma ou valor, tudo indica que será cobrada uma taxa por dormida efetuada em estabelecimento hoteleiro ou alojamento turístico na região. A medida, embora novidade no Algarve, encontra-se algo difundida em vários destinos turísticos da Europa. O comunicado da AMAL destaca a “unanimidade” da decisão da criação da taxa turística em todos os …

Ler Mais »

O motor de busca do interior

A comunicação social entrou em ebulição com o anúncio de que a Google iria instalar um hub tecnológico em Portugal. Começou a especulação sobre que tipo de instalações se iria instalar: seria um centro tecnológico ou apenas um call-center? A única certeza é a de que o mesmo investimento seria localizado em Lisboa. O futuro secretário geral do PSD, Rui Rio, aquando do anúncio, questionou a localização do investimento, perguntando porque o investimento não poderia ser feito no Porto, enfatizando o facto de tudo aparentemente estar centralizado na capital. Tratar-se-ia de uma questão pertinente, não estivesse a mesma impregnada da …

Ler Mais »

O Estado Mamã

Surgiram noticias recentemente de que o Secretário Geral de Protecção Civil estuda com as operadoras de telecomunicações a possibilidade de utilizar aplicações ou formas de diminuir ou inibir o sinal emitido pelas redes móveis nas estradas, retirando ao condutor a capacidade de usar o telemóvel. O Secretário Geral adianta que mesmo a utilização de kits mãos-livres para usar o telemóvel constitui uma distração e como tal, não resolveriam a questão de possíveis acidentes rodoviários. Embora considere que a sinistralidade rodoviária seja um problema sério, a solução apresentada parece-me, à falta de uma palavra melhor, idiótica. Se é verdade que a …

Ler Mais »

Resoluções por via postal

O augúrio de um novo ano é muito recorrentemente acompanhado de vigorosas resoluções, objetivos que ambicionamos cumprir durante o novo ciclo de translação deste nosso planeta azul à volta do Sol. Estas resoluções surgem após ponderação e reflexão sobre o ano transato. Curiosamente, não são só as pessoas que as fazem; as empresas também o praticam, através da orçamentação e do planeamento estratégico para o ano posterior. Tal e qual como as pessoas, algumas empresas decidem emagrecer. Os CTT decidiram que seria altura de perder peso durante o ano de 2018. Perdoem-me a analogia algo rude, mas parece-me um pouco …

Ler Mais »

A importância da paisagem

A dicotomia cidade/campo é tão antiga como o momento em que os homens decidiram juntar-se e viver em casas por detrás de uma muralha de pedra. Já os romanos exaltavam a vida citadina, contrastando a sofisticação das suas urbes com a simplicidade rústica dos campos. Atendendo à raiz latina da palavra, ser “urbano” é ser cosmopolita, moderno e progressista, em pleno contraste com a rudeza das gentes do campo. Viver na cidade é viver encadeado pela luz da civilização, é acompanhar a par e passo a modernidade, é estar na vanguarda do progresso. Dito isto, li recentemente num jornal on-line …

Ler Mais »

Os pratos da balança

O orçamento de Estado de 2018 foi aprovado na sua generalidade no Parlamento. A promessa explícita do Governo é de que este é um orçamento expansionista, que devolverá rendimentos perdidos durante a austeridade à população e que resultará numa diminuição do IRS pago pelos portugueses. No entanto, dificilmente se poderá dizer que os Portugueses verão reduzido o seu encargo total com impostos. O reescalonamento do IRS reduzirá algum encargo a uma parte dos portugueses. No entanto esta redução de IRS não se verificará da mesma forma para todos. A situação do regime simplificado nos recibos verdes é incerta; as primeiras …

Ler Mais »

Os desafios dos próximos anos

Enquanto escrevo estas linhas, confirma-se que Rosa Palma revalidou o mandato de Presidente da Câmara Municipal de Silves, com uma maioria tanto na Câmara, como na Assembleia Municipal. Os munícipes deste concelho avaliaram o seu trabalho dos últimos quatro anos de forma positiva e colocaram a sua confiança na autarca para outro ciclo de governação. No entanto, penso que poderemos esperar ou ambicionar algo diferente dos próximos anos. Por um lado, o mandato anterior foi repleto de alguma “arrumação” na casa, no sentido em que houve uma adaptação ao novo status quo de governação e por outro, no que toca …

Ler Mais »

O caminho da cidade de Silves

A rentrée deste ano é especial. Depois das férias, do descanso à beira-mar e das noites de festa, o regresso ao trabalho é pautado por uma diferença: as eleições autárquicas. Acaba uma silly season e começa outra. Em breve começarão as conversas e as divagações pelas cidades e vilas de Portugal. Erguem-se cartazes com fotografias enormes com slogans apelativos (e diga-se de passagem, alguns bem hilariantes). Acredito que, a cada quatro anos, a expressão mais ouvida entre os habitantes deste Portugal em frenesim eleitoral autárquico seja “Olha, este meteu-se na política!”. E no entanto, esta silly season não deveria ser …

Ler Mais »