Praias do concelho sem bandeira dourada

Este ano há no Algarve menos 16 praias com “Qualidade de Ouro”, uma distinção que é atribuída anualmente pela Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza.

No concelho de Silves, ao contrário do ano passado, em que todas as praias (4) ostentavam as bandeiras douradas, apenas a Praia Grande Nascente (1) o fará este verão.

??

 

O galardão “Qualidade de Ouro” é atribuído há cerca de 15 anos e distingue a qualidade da água balnear das praias portuguesas com base na informação pública oficial, tendo exclusivamente em consideração as análises efetuadas nos laboratórios das Administrações Regionais Hidrográficas.

“Em comparação com 2023, registou-se uma diminuição acentuada das praias distinguidas na Região do Algarve (menos 16 galardões)” que se deveu “na maior parte dos casos motivada pelo incumprimento do critério relativo às análises realizadas na época balnear 2023. Verificaram-se níveis de poluição algo persistentes, não inteiramente esclarecidos, mas para os quais poderá ter contribuído o impacte da pressão turística nesta região”, esclarece a Quercus.

A  associação ambientalista acrescenta que , “estes episódios de poluição originaram interdições temporárias da prática balnear e tiveram reflexo nos parâmetros de Enterococos intestinais e/ou Escherichia coli, tendo sido ultrapassados os valores máximos considerados na atribuição deste galardão”.

Para receber a classificação de “Praia com Qualidade de Ouro”, a água balnear tem de ter tido uma qualidade da água “excelente”, na classificação anual das cinco épocas balneares anteriores à última (entre 2018 e 2022); e tem de apresentar em todas as análises realizadas na última época balnear (2023) melhores resultados para os indicadores bacterianos definidos pela Diretiva relativa às águas balneares.

No caso das praias do concelho de Silves, a razão para terem perdido as três bandeiras douradas, deveu-se aos resultados menos bons apresentados numa análise realizada em setembro de 2023, segundo apurou o Terra Ruiva junto da vice-presidente da Câmara de Silves, Luísa Conduto Luís, responsável pela área do Ambiente. Uma situação que a vice-presidente garante estar ultrapassada, realçando que as praias do concelho continuam a ter o atestado de qualidade que é conferido pela Associação da Bandeira Azul que tem também como requisito para atribuição da bandeira azul, a qualidade da água balnear.

“Tivemos apenas um resultado menos bom naquela altura, foi um problema pontual que afetou outras praias próximas, e podemos garantir a qualidade das nossas praias a quem nos visita”, disse a vice-presidente.

Feitas as contas, às praias que perdem a bandeira de ouro e às que a ganham, a balança pende para o lado negativo. O concelho de Albufeira perdeu 11 praias, Loulé a totalidade( 10); Aljezur 6; Vila do Bispo 5, Silves, 3, Tavira, 3, Lagoa 2; Vila Real de Santo António 2.

Em Lagos, Faro e Castro Marim mantém-se as mesmas bandeiras do ano passado, Portimão tem mais 4 e Olhão mais 2.

No total, em todo o litoral de Portugal Continental e Regiões Autónomas, a associação ambientalista Quercus classificou este ano 356 praias com «Qualidade de Ouro», menos 38 do que na época balnear de 2023, com as regiões Tejo/Oeste e Norte a registar a maior subida, com 74 e 71, respetivamente.

 

Veja Também

Portal iFAMA para denúncias da Agricultura, Mar e Ambiente

Foi lançado, a 1 de julho, o Portal iFAMA, uma Plataforma Única de Inspeção e …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *