Balanço de Natal e Ano Novo: sem vítimas mortais no distrito de Faro

No período de Natal e do fim de ano, entre 15 de dezembro de 2023 e 2 de janeiro de 2024, registaram-se nas estradas de Portugal 7.072 acidentes (menos 689 que no período homólogo anterior), dos quais resultaram 26 vítimas mortais (mais três do que em igual período do ano passado), 125 feridos graves (mais 6) e 2.049 feridos leves (mais 184).

Face ao período homólogo 2022/2023, a sinistralidade rodoviária registada traduziu-se num crescimento de 13,0% no número de vítimas mortais e de 6% no número de feridos graves, não obstante a diminuição de 8,9% no número de acidentes.

As 26 vítimas mortais resultaram de 23 acidentes nos distritos de Beja (4 vítimas mortais), Coimbra (3 vítimas mortais), Portalegre (3 vítimas mortais), Aveiro (2 vítimas mortais), Castelo Branco (2 vítimas mortais), Lisboa (2 vítimas mortais), Setúbal (2 vítimas mortais) e Braga, Évora, Leiria, Porto, Santarém, Vila Real, Viseu e Região Autónoma dos Açores, cada um com uma vítima mortal.

Nos restantes distritos do Continente – Bragança, Viana do Castelo, Guarda e Faro, bem como na Região Autónoma da Madeira, o objetivo de zero mortos nas estradas portuguesas foi atingido.

Cerca de 69% das vítimas mortais decorreram de acidentes na Rede Rodoviária Nacional (18 vítimas mortais): 10 em Estradas Nacionais, 6 em Autoestradas e 2 no Itinerário Principal nº 2 em Portalegre. Na Rede Municipal registaram-se 7 vítimas mortais (30%): 6 em arruamentos e 1 na Estrada Municipal nº 1061 em Portalegre. Na rede de estradas dos Açores, em Santa Cruz das Flores, registou-se também 1 vítima mortal.

Nos acidentes com vítimas mortais predominaram as colisões (11), que originaram 14 vítimas mortais (56% do total) e envolveram 13 veículos ligeiros, 4 veículos pesados, 3 motociclos e 2 velocípedes. Houve ainda 10 despistes, que originaram 10 vítimas mortais e envolveram 8 veículos ligeiros e 2 motociclos, bem como 2 atropelamentos em arruamentos, com duas vítimas mortais com idades acima dos 80 anos.

As 26 vítimas mortais, 21 do sexo masculino, tinham idades compreendidas entre os 22 e os 87 anos.

11,5 milhões de veículos fiscalizados: um aumento de 57% face ao período homólogo

No período de 15 de dezembro de 2023 a 2 de janeiro de 2024, foram fiscalizados 11,5 milhões de veículos, quer presencialmente, pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP), quer através de controlo por radar, pela GNR, pela PSP e pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), o que representou um aumento de 57% face ao período homólogo em que foram fiscalizados 7,3 milhões de veículos.

Do total dos veículos fiscalizados, foram registadas 78,6 mil infrações, distribuídas conforme quadro abaixo, resultando numa taxa de infração (nº total de infrações/nº total de veículos fiscalizados) de 0,68%, 28% abaixo da taxa de infração registada no período homólogo 2022/2023 (0,87%).

Relativamente à velocidade, foram fiscalizados 11,3 milhões de veículos, dos quais 10,7 milhões pelo SINCRO – Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (94,7% do total), da responsabilidade da ANSR.

Dos veículos fiscalizados por radar de velocidade, 45,4 mil circulavam com excesso de velocidade, dos quais 12,0 mil foram detetados pelos radares da GNR e da PSP e 33,4 mil pelos da ANSR, resultando numa taxa de infração (nº total de infrações/nº total de veículos fiscalizados) de 0,40%, inferior à registada no período homólogo (0,41%).

No que diz respeito à condução sob o efeito do álcool, foram submetidos ao teste de pesquisa de álcool 140,9 mil condutores, tendo 2.509 apresentado uma taxa de alcoolemia superior à máxima permitida, do que resultou um total de 1.260 detenções (taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2g/l) e 1.249 contraordenações rodoviárias (taxa de álcool no sangue abaixo de 1,2 g/l). A taxa de infração (nº total de infrações/nº total de testes de pesquisa de álcool realizados) foi de 1,78%, acima da taxa verificada no período homólogo anterior (1,56%).

Relativamente às restantes tipologias de infração (contraordenacionais e criminais), abaixo quadro resumo:

 500 Milhões de visualizações/contactos com a campanha “O Melhor Presente é estar Presente” da ANSR

A campanha de Natal e Ano Novo “O Melhor Presente é estar Presente” da ANSR, que decorreu entre 13 de dezembro de 2023 a 2 de janeiro de 2024, contou com a parceria de mais de 270 entidades públicas e privadas, incluindo o Governo da Região Autónoma dos Açores, que se associaram na divulgação das mensagens da campanha, através dos seus sites institucionais e redes sociais próprias, rádios locais, regionais e nacionais, redes de publicidade exterior em várias cidades, através de cartazes, entre outros.

Para além dos meios dos parceiros, a campanha também esteve presente noutros formatos, designadamente TV, rádios – nacionais e regionais – imprensa regional, redes sociais, Waze, rede Multibanco, painéis Led Box da rede nacional de Estações de Serviço e Painéis de Mensagem Variável nas estradas portuguesas.

O número estimado de visualizações/contactos da campanha é de 500 milhões (resultados ainda provisórios).

Nesta época, milhares de famílias estiveram envolvidas em acidentes rodoviários. Por essa razão, muitos não estiveram presentes no momento de reunião e de celebração do Natal e do Ano Novo.

A sinistralidade rodoviária é um fenómeno com elevado impacto social, que se reflete, de forma dramática, na vida das pessoas. É também um fenómeno com graves consequências económicas para a sociedade.

As consequências da sinistralidade rodoviária são evitáveis.

Com o contributo de todos, podemos evitar as consequências dramáticas da sinistralidade rodoviária.

É para este objetivo que todos trabalhamos, todos os dias!

Fonte: GNR, PSP, ANSR

Veja Também

Horóscopo semanal, por Maria Helena Martins

4ª Semana/ Maio Carneiro Horóscopo Diário Ligue já! 761 101 801 Carta Dominante: 10 de …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *