Saúde psicológica no trabalho -II

Saúde psicológica no trabalho II

Dando continuidade ao tema da última edição, proponho aos leitores mais algumas reflexões e dados sobre a saúde psicológica no trabalho.

Os trabalhadores/as experienciam bem-estar quando demonstram as suas competências e sentem a própria eficácia ou a eficácia coletiva como consequência dos seus comportamentos. Sentem bem-estar quando se sentem apoiados e pertencentes ao grupo. O bem-estar, em contexto laboral, depende da gestão das exigências laborais, do tempo e recursos que podem ser disponibilizados para diminuir essas exigências e recuperar delas. Quando se tem autonomia e controlo sobre o próprio trabalho, quando se atribui significado e propósito ao que se faz, quando o individuo se sente valorizado, reconhecido e devidamente recompensado, aumenta a sensação de bem-estar e a ligação e conexão ao grupo e à empresa.

O desenvolvimento de políticas protetoras/benefícios gerais, de iniciativas de promoção da saúde e bem-estar, de programas de apoio às/aos trabalhadoras/es, a formação e desenvolvimento profissional, são alguns exemplo de medidas que se esperam em empresas que querem ser bem sucedidas e sustentáveis, criando um contexto laboral fisicamente seguro, ergonómico, não-tóxico e psicologicamente seguro (clima e cultura).

A implementação de medidas facilitadoras do equilíbrio entre a vida pessoal/familiar e profissional potencia a produtividade, a concentração, a redução dos conflitos e a integração nas equipas e nas empresas. A escolha dos perfis adequados para os cargos de gestão ou liderança tem um impacto significativo e positivo no bem-estar dos/das trabalhadores/as, nomeadamente quando desenvolvem competências facilitadoras da mudança, da comunicação e da flexibilidade.

Conciliar o sucesso no trabalho sem deixar de lado a vida pessoal, mostra-se como um dos maiores desafios de um profissional da nova era.

Com uma rotina de trabalho que pode facilmente ultrapassar o horário normal de trabalho, sem contar com a possibilidade de horas extras, não sobra muito tempo para cuidar da família, ter uma vida social ou até mesmo descansar. Este estender constante dos horários de trabalho, o levar trabalho para casa, está a tornar-se normal, e de todo não o é.

A falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal pode atrapalhar ambas as áreas de vida. Trabalho, vida pessoal/familiar e lazer devem caminhar juntos, é necessário momentos de descontração para um bem-estar emocional mais completo, é importante tirar um tempo para cuidar do próprio e dos outros. Este equilíbrio, difícil mas possível, vai originar pessoas mais satisfeitas, mais realizadas e consequentemente mais produtivas, nas suas diferentes áreas de vida.

“Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença.”  – Organização Mundial de Saúde

 

Veja Também

Concurso Desafios d’ Escrita tem novos vencedores, de Armação de Pêra e Messines

O Município de Silves continua a promover, junto dos Polos de Educação ao Longo da …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *