Mostra de Cinema e Arte “Indizível” em Silves

O Município de Silves vai acolher o projeto Indizível – Mostra de Cinema e Arte, entre 30 de março e 6 de abril.
Nos dias 30 e 31 de março, a Mostra de Cinema, que irá decorrer no Teatro Mascarenhas Gregório, contempla uma programação dirigida ao público escolar do Ensino Secundário.

No dia 1 de abril, o Teatro Mascarenhas Gregório abre as portas para receber o público em geral, apresentando uma seleção de curtas-metragens premiadas, produzidas por jovens realizadores, com destaque para Nestor, o filme do realizador João Gonzalez, cujo filme “Ice Merchants”, viria a ser o primeiro filme português nomeado a um Óscar.

Em paralelo irá decorrer, na Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica, uma exposição de artes plásticas, de artistas emergentes algarvios, dirigida ao público em geral. (Ver lista de autores no texto, em baixo)
A exposição pode ser visitada até ao dia 6 de abril, de segunda a sexta-feira entre 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00.

Indizível – Mostra de Cinema e Arte

Cinema

30/03/2023
Sessão 1 – 10h30
“COMEZAINAS” – Mafalda Salgueiro
“ESTAS MÃOS SÃO MINHAS” – André Miguel Ferreira
“OURO SOBRE AZUL” – Andreia Silva
“ONDE O VERÃO VAI (Episódios da Juventude)” – David Pinheiro Vicente

Sessão 2 – 14h30
“DEGELO” – Susana António e Filipa Gomes da Costa
“À TARDE SOBRE O SOL” – Gonçalo Pina
“POBRE ANTÓNIO” – Eudald Rojas Lluís e Mariana Ferreira
“AMOR, AVENIDAS NOVAS” – Duarte Coimbra

31/03/2023
Sessão 1 – 10h30
“LESSONS IN THE KITCKEN” – Mariana Ferreira
“PRIMEIRO CAIS” – Chiara Missaggia – Estará presente na sessão.
“RIO TORTO” – Mário Veloso
“OSO” – Bruno Lourenço

Sessão 2 – 14h30
“AMÉLIA” – Inês Costa
“FRUTO DO VOSSO VENTRE” – Fábio Silva
“SEMEAR, OUVIR, FLUIR” – Irina Oliveira – Estará presente na sessão.
“CORTE – Afonso Rapazote e Bernardo Rapazote

01/04/2023

Sessão 1 – 17h00
“NESTOR” – João Gonzalez
“MIRAFLORES” – Rodrigo Braz Teixeira
“CONTRAFOGO” – Carolina Vieira
“FORA DA BOUÇA” – Mário Veloso

Sessão 2 – 21h15
“BOSTOFRIO” – Paulo Carneiro

 

Os realizadores do projeto “Indizível”

+ SOBRE AFONSO RAPAZOTE
Afonso Rapazote nasceu a 10 de Agosto de 1997, em Viseu, Portugal. Depois de ler História na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa durante um ano, desistiu do curso para se formar em Realização Cinematográfica na Escola Superior de Teatro e Cinema. Durante o terceiro ano do seu curso de Cinema, escreveu e co-dirigiu Corte (2020), uma curta-metragem que fez parte da Seleção Oficial do Festival de Cinema de Cannes, na secção Cinéfondation.

+ SOBRE BERNARDO RAPAZOTE Bernardo Rapazote nasceu a 10 de Agosto de 1997, em Viseu, Portugal. Depois de ler Direito na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa durante um ano, desistiu do curso para se formar em Realização Cinematográfica na Escola Superior de Teatro e Cinema. Durante o terceiro ano do seu curso de Cinema, escreveu e co-dirigiu Corte (2020), uma curta-metragem que fez parte da Seleção Oficial do Festival de Cinema de Cannes, na secção Cinéfondation.

+ SOBRE DAVID PINHEIRO VICENTE David Pinheiro Vicente nasceu em 1996, na Ilha Terceira, Açores, Portugal. Estudou Realização no Teatro e Escola de Cinema de Lisboa e está atualmente a tirar um mestrado em Estética. Em 2016, realizou o documentário Simão, que foi apresentado no DocLisboa no mesmo ano. Desde então, tem trabalhado como diretor de arte de vários filmes apresentados em festivais de cinema nacionais e internacionais. Em 2017, trabalhou com a realizadora Salomé Lamas como sua assistente em vários projctos.

+ SOBRE DUARTE COIMBRA Duarte Coimbra nasceu em 1996, em Lisboa, e é licenciado em Realização Cinematográfica pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa (ESTC). Enquanto estava na escola trabalhou como assistente de produção do filme O Meu Pijama (2017) de Maria Inês Gonçalves – selecionada para o IndieLisboa 17′ (Brand New) -, foi o segundo realizador assistente no filme A Barriga de Mariana (2018) de Frederico Mesquita, e também realizou videoclips para os músicos Luís Severo e Primeira-dama. Amor, Avenidas Novas, produzido dentro da escola, é o seu primeiro filme como realizador.

+ SOBRE ANDRÉ MIGUEL FERREIRA
André Miguel Ferreira concluiu o Bacharelato em Produção e Gestão de Teatro no Teatro e Escola de Cinema de Lisboa. Estagiou com Bruno Bravo em Primeiros Sintomas e Sara Machado no Cumplicidades – Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa. Atualmente a estudar Fotografia e (Pós) Cinema na Escola de Ciências Sociais e Humanas NOVA (NOVA – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas) Estas Mãos São Minhas marca a sua estreia como realizador.

+ SOBRE GONÇALO PINA Gonçalo Pina nasceu em Almada, Portugal, em 1997. Frequentou o curso de História na Escola de Ciências Sociais e Humanas NOVA. É atualmente estudante de montagem na Escola de Teatro e Cinema de Lisboa (ESTC), em Lisboa. Trabalhou em alguns filmes nas áreas de Realização, Montagem e Produção. “Afternoon Sun” (2020) é a sua primeira curta-metragem.

+ SOBRE PAULO CARNEIRO Nascido em Lisboa, 1990 e criado em Pontinha (subúrbios). Licenciou-se em Som e Imagem pela ESAD.CR e mais tarde pela Escola Nacional de Cinema e HEAD – Genève (bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian). Trabalha como assistente de realização e montagem desde 2011. Foi professor visitante na FLUC em ’21 (Universidade de Coimbra). Em 2018 dirige a sua primeira longa-metragem BOSTOFRIO, OÙ LE CIEL REJOINT LA TERRE (IndieLisboa), multi-premiada e exibida em mais de 40 festivais internacionais de cinema em todo o mundo. Em 2019 foi lançado nos cinemas portugueses em várias cidades e é aclamado pela crítica como “top 10 filmes do ano” para o Jornal Público (maior jornal cultural do PT). BOSTOFRIO atingiu mais de meio milhão de espectadores em todo o mundo (festivais, televisões, cinemas, streaming, etc.). Em 2021 o seu projecto MY LAND MY STRENGTH é seleccionado para Doc Station/ Berlinale Talents.

+ SOBRE JOÃO GONZALEZ João Gonzalez (1996) é um realizador, animador, ilustrador e músico português com formação clássica em piano. Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, fez mestrado na Royal College Art (UK), depois de terminar a licenciatura na ESMAD (PT). Nessas instituições realizou os multi-premiados filmes “Nestor” e “The Voyager”. Em 2022 tornou-se o primeiro realizador português de animação a ser premiado no Festival de Cannes, vencendo o prémio do Júri para melhor curta metragem na Semana da Crítica com o filme “Ice Merchants”, que viria a ser o primeiro filme português nomeado a um Óscar. João tem um grande interesse em combinar o seu background musical com a sua prática em animação autoral, assumindo sempre o papel de compositor e por vezes de instrumentista nos filmes que realiza, ocasionalmente acompanhando-os com performances ao vivo.

+ SOBRE FÁBIO SILVA Fábio Silva (Lisboa, 1992) fez mestrado em Cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema. Em 2018 co-realiza o seu primeiro filme, o Hip to da Hop. Realiza as curta-metragens A Morte de Isaac e Fruto do Vosso Ventre¬, ambas selecionadas em vários festivais nacionais e internacionais. Atualmente trabalha na sua próxima longa documental intitulada de As Tuas Costas Ainda Ardem.

+ SOBRE RODRIGO BRAZ TEIXEIRA
Rodrigo Braz Teixeira (n. 1997) é um realizador nascido e criado nos subúrbios de Lisboa. Com um mestrado em Física Teórica e uma carreira em declínio na patinagem artística. Aos 10 anos, Rodrigo começou a filmar com o irmão e o melhor amigo. Miraflores (2020) é a sua primeira curta-metragem.

+ SOBRE BRUNO LOURENÇO Bruno Lourenço nasceu em Lisboa, em 1973. Frequentou o curso de Cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema. Desde 1996 que tem trabalhado como assistente de realização nos filmes de Miguel Gomes, Manuel Mozos, José Fonseca e Costa, entre outros. OSO é a sua segunda curta-metragem.

Os artistas presentes na Exposição:

• BASAP (Fábio Alexandre Soares. O seu trabalho inclui diversas vertentes artísticas – dos suportes tradicionais à adaptação de objetos descartados, passando pelo graffiti e street art.)
• Rúben Gonçalves (O seu corpo de trabalho é desenvolvido nas áreas do desenho e da pintura, ocasionalmente esculturas ou instalações. A sua produção é focada em temáticas que vão desde a psicanálise a breves questões existenciais, tendo interesse particular em ideia como a morte e a nostalgia.)
• Eva Anjos (É uma artista multidisciplinar envolvida na representação do êxtase existencial e subconsciente coletivo. O seu trabalho abrange variadas técnicas miscas, com interesse particular em fotografia e desenhos em linha.)
• Guilherme Limão (A sua prática é baseada na exploração de diferentes mecanismos que permitem a restruturação da identidade e que significado têm as fronteiras que o mundo material impõe à existência.)
• Guilherme Pinto (O seu trabalho foca-se principalmente em pintura, vídeo, fotografia analógica, som e ocasionalmente desenho e escrita.)
• Margarida Soares (A sua obra é centrada no corpo feminino, onde explora as suas formas despidas de pudores. As formas do corpo e o seu interior são a base do seu trabalho, onde a forma corpórea da flor, incorpora muitas vezes as suas obras.)
• Mariana Mártires (“Eu vi o outro em mim para me poder ver nele. As nossas vidas coabitam uma na outra. Assim, numa compartilha de momentos e experiências, procuro despertar um olhar mais íntimo e reflexivo, sobre como existe o “outro” no quotidiano de cada um.”
• Olavo Costa (É um artista e professor emergente que alinha os seus estudos filosóficos com a sua prática artística. Procura subordinar a matéria do desenho segundo intrínsecos sistemas filosóficos, resultando em obras de grande força plástica.)
• Cátia Sofia (“Esta obra foi uma tentativa de representar o que a morte significa para mim. A dor que está sempre presente e que nos consome. A sensação de solidão e vazio que tanto nos conforta como nos angustia.”)

Veja Também

Biblioteca de Silves com sugestões para destinos de férias

“Se ainda não sabe para onde quer viajar em 2024, a Biblioteca Municipal de Silves …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *