“Guerra e Paz na Era da Globalização” – Conferência em Silves

De 21 a 23 de outubro, irá decorrer em Silves, no Teatro Mascarenhas Gregório, a Conferência “Guerra e Paz na Era da Globalização”.

SINOPSE DE APRESENTAÇÃO: A história tem sido marcada por ciclos de guerra e de paz, transversais a todas as civilizações e culturas. Desde os alvores da civilização grega, existe a preocupação de estabelecer limites à possibilidade de desencadear ou levar a cabo a guerra. Da ideia medieval de guerra justa decorre a ideia contemporânea, consagrada no artigo 51.º da Carta das Nações Unidas, de que a guerra só é lícita em autodefesa. Desde há muito, portanto, que a humanidade se deu conta da necessidade de assegurar a paz como desiderato político e cultural. Paradoxalmente, o século xx foi o que registou mais mortes por causa da guerra, que se tornou muito sofisticada. A 2.ª Guerra Mundial terminou com os terríveis bombardeamentos nucleares de Hiroxima e Nagasáqui, que dispensaram o tradicional campo de batalha. Foi esse o tempo de se proclamar, de forma explícita, a imoralidade da guerra, porque ela poderia implicar o fim da humanidade. (…) Sempre que se inicia uma guerra, há a possibilidade de justificá-la, pelo que o melhor é impedir o seu surgimento. Terão as sociedades contemporâneas, politicamente organizadas, capacidade para se entenderem, por forma a evitar a guerra e garantir a paz? É possível um acordo mínimo entre nações sobre o que é o bem e o que é o mal ou, pelo contrário, o direito internacional está condenado a não passar de uma folha de papel? Como viver num mundo que não se entende, onde as ameaças se agigantam e a humanidade pode perecer?

No mundo interdependente em que vivemos, o conflito entre a Rússia e a Ucrânia não é apenas regional mas global, pela participação direta ou indireta de Estados e organizações de todos os continentes, com impactos reais nos domínios económico, político e humanitário. Novos muros se erguem e pontes se desmoronam diante dos nossos olhos. A guerra faz parte das nossas vidas, mesmo quando separados por milhares de quilómetros. Já a paz é muito mais do que a ausência de guerra, exigindo fortes compromissos individuais e coletivos, mediante a salvaguarda de princípios e valores sólidos de convivência social.

Ao debater-se “Guerra e Paz na Era da Globalização”, procura-se obter uma melhor compreensão dos desafios contemporâneos originados pela ameaça generalizada da guerra e pela procura consciente da paz, a partir do cruzamento de perspetivas científicas, seguindo metodologias e propostas inter, trans e pós-disciplinares inovadoras inerentes aos Estudos Globais.

Os eixos temáticos a abordar serão: I – Guerra e Paz na História Global; II- Direito Global na Construção da Paz; III- Guerra, Economia e Desenvolvimento Sustentável; IV- Educação e Comunicação para a Paz e a Cidadania Global; V- Guerra e Refugiados, Desafio Global; VI- Guerras de Religião, Espiritualidades e Ecumenismos Pacifistas; VII- Apreciações da Paz e da Guerra através da Arte; VIII-

Esta conferência é organizada pela Câmara Municipal de Silves, Universidade Aberta, Universidade de Paris II – Panthéon-Assas e várias outras instituições e o apoio de parceiros nomeadamente do Centro de Estudos Luso-Árabes de Silves.

Este evento está aberto ao público em geral que queira assistir, contando como ação de formação. O valor de inscrição é de 50€.

O programa e todas as informações encontram-se em  https://fieg2022.weebly.com

 

Veja Também

Praias do concelho sem bandeira dourada

Este ano há no Algarve menos 16 praias com “Qualidade de Ouro”, uma distinção que …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *