Maior incêndio no Algarve foi em São Marcos da Serra

O maior incêndio registado este verão no Algarve, ocorreu no concelho de Silves, quando o fogo deflagrou na freguesia de São Marcos da Serra, no sítio do Fica Bem, no passado mês de julho (dia 25). Durante dois dias o fogo, que se estendeu depois à freguesia de São Bartolomeu de Messines, destruiu uma habitação e causou avultados prejuízos.

Na altura de maior intensidade, o fogo que chegou a ter três frentes ativas, obrigou ao corte de trânsito no IC 1 e na A2, bem como à evacuação, por precaução, de cerca de 80 pessoas.  O incêndio foi combatido por centenas de operacionais vindos de vários pontos do Algarve e do País, apoiados por dezenas de viaturas e vários meios aéreos.

Segundo os dados do Instituto Nacional da Conservação da Natureza – ICNF, este incêndio, afetou uma área total de 1321 hectares, sendo 903 de povoamentos florestais, 37 agrícolas e 381 de mato.

Ainda de acordo com o ICNF, este ano, no período entre 1 de Janeiro e 15 de agosto,  concelho de Silves teve 21 incêndios rurais e no Algarve já arderam 2065 hectares. No mesmo período  houve, a nível nacional, um total de 8 517 incêndios rurais que resultaram em 80 760 hectares de área ardida, entre povoamentos (40336 ha), matos (33002 ha) e agricultura (7422 ha).

Comparando os valores do ano de 2022 com o histórico dos 10 anos anteriores, assinala-se que se registaram menos 12% de incêndios rurais e mais 30% de área ardida relativamente à média anual do período.

O ano de 2022 apresenta, até ao dia 15 de agosto, o 6.º valor mais elevado em número de incêndios e o 3.º valor mais elevado de área ardida, desde 2012.

Veja Também

2ª edição da Revista Águas do Algarve foca a escassez de água na região

Já se encontra disponível a 2ª Edição da Revista Águas do Algarve, em que o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.