Populações e empresas do Algarve são vítimas da gestão dos CTT, considera o PCP

O PCP “denuncia a profunda degradação do serviço postal em toda a região do Algarve”, considerando que “cerca de oito anos depois da privatização dos CTT (2014), que o Governo PSD/CDS concretizou, confirmam-se todas as consequências negativas para as quais o PCP alertou atempadamente.”

Em comunicado, o PCP Algarve afirma: “A lógica de uma gestão desligada dos interesses e necessidades das populações e amarrada aos milhões de euros de lucros que os acionistas estão a ganhar, é a que prevalece. Continua o encerramento de balcões e a redução do seu horário de funcionamento, o despedimento de milhares de trabalhadores (mais de 4000 desde a privatização) e a incapacidade – dados os baixos salários – para fixar novos trabalhadores e a transformação dos CTT num banco privado, em detrimento do serviço postal de qualidade que deveria assegurar.

Na região do Algarve, multiplicam-se as queixas e as denúncias quanto aos atrasos na entrega do correio, situação essa que se agrava durante o verão. Com reformados a receberam a sua reforma dez dias depois do previsto, com faturas da luz a chegar aos clientes já depois dos prazos de pagamentos, com a imprensa regional a queixar-se de que os jornais chegam a casa dos leitores duas a três semanas depois, com as populações e as empresas prejudicadas com o correio normal e mesmo o azul a chegar cada vez mais tarde. Os problemas mais agudos sentem-se junto das populações mais isoladas da serra e interior algarvio, mas também nos grandes centros urbanos, assistiu-se à redução do número de giros por parte dos carteiros que, tal como outros trabalhadores, não têm mãos a medir para tanto trabalho.

Tudo isto acontece com a completa cumplicidade do governo PS que, em vez de ter recuperado para o Estado o controlo e a propriedade dos CTT, ainda recentemente prolongou o contracto de concessão do serviço postal até 2028.”

No seu documento, o PCP “reafirma que as populações algarvias precisam de um serviço postal de qualidade e proximidade. O Algarve e o País estão a andar para trás nesta como noutras matérias. Como a vida está a confirmar a privatização dos CTT só beneficiou a família Champalimaud e diversos fundos de investimento norte-americanos. O PCP reclama uma intervenção urgente do Governo – que não se pode esconder por detrás da ANACOM – para pôr cobro a uma situação que está a prejudicar a vida de quem trabalha, de milhares de empresas, dos reformados e pensionistas. A defesa do interesse do Algarve e do País reclama a recuperação do controlo público desta empresa.”

Veja Também

Cientistas desenvolvem nanoesponja para remover pesticidas da água

Uma equipa de investigadores do Centro de Química de Coimbra (CQC) do Departamento de Química …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.