Lions Clube de Silves pretende intervir em várias áreas, afirma o presidente Pedro Matias

Foi no dia 21 de maio de 2022 que o Lions Clube de Silves obteve a sua Carta Constitutiva numa cerimónia que contou com 80 pessoas representantes de diversos clubes, vindas de diferentes zonas de Portugal, para ver nascer este novo clube.

Para melhor compreender a finalidade e o trabalho desenvolvido por esta entidade, o Terra Ruiva conversou com o arquiteto Pedro Matias, presidente do Lions Clube de Silves.

Pedro Matias

Importa mencionar que o Lions Clubs International nasceu por volta de 1917, através de um projeto de Melvin Jones, numa época marcada pelas repercussões sociais da 1ª Guerra Mundial. Como tal, o objetivo de Melvin Jones era o de compreender de que forma é que poderia, juntamente com os restantes responsáveis pelo projeto, apoiar as comunidades locais norte-americanas. Este clube internacionalizou-se três anos depois e atualmente, este movimento está presente em 216 países e nações, contando com 1,4 milhões de membros em todo o mundo, que estão divididos em 47 mil clubes.

A ligação de Pedro Matias a este movimento surgiu em abril de 2016, quando foi convidado a integrar o clube de Faro,  sendo que em 2019 teve a oportunidade de presidir a esse mesmo clube. No ano de 2020, com a pandemia a ganhar novas dimensões, nem todas as atividades previstas foram realizadas. Apesar disso, foi-lhes possível contribuir de outras formas, por exemplo através da doação de um ventilador ao Hospital de Faro.

Neste sentido, sendo natural de Silves, considerou relevante realizar uma iniciativa do Lions neste concelho, de forma a apresentar o mesmo à comunidade silvense. Assim fizeram, em fevereiro de 2020, em Silves, uma marcha sobre as doenças raras, na qual se percebeu que as pessoas estavam sensibilizadas para esse problema e que queriam contribuir para mais iniciativas acerca da temática.

Deste modo, Pedro Matias refere que em conversa com um dos padrinhos do clube de Silves, Pedro Crisóstomo, ponderaram criar o Lions Clube de Silves, sobretudo porque existia uma grande mobilização e interesse por parte da população para com as iniciativas que o clube desenvolve. Nas suas palavras “foi a partir daí que todo este projeto começou a ganhar forma”.

A Carta Constitutiva do Lions de Silves

Pedro Matias explica que uma ideia que, numa fase inicial, foi sua, rapidamente o deixou de ser, sendo que atualmente o Lions Clube de Silves conta com 25 membros fundadores, sendo que a primeira reunião oficial do clube terá lugar no dia 7 de junho, para apreciarem um conjunto de ideias que vão fazer parte dos objetivos deste projeto.

 

Áreas a intervir

O Lions, enquanto clube internacional, tem valores e objetivos que são comuns a todos os clubes. Como tal, existem cinco áreas de intervenção globais, sendo estas: o meio ambiente, sendo que são desenvolvidas atividades relacionadas com a sustentabilidade e com a reciclagem; o cancro infantil, uma causa muito específica na qual o intuito é dar o apoio necessário às crianças vítimas dessa doença, assim como às suas famílias, mas também aos hospitais, com a doação de equipamentos; a fome, a diabetes e a visão são as restantes áreas a que o Lions Clubs International se propõe intervir.

O presidente do Lions Clube de Silves menciona que este clube vai procurar focar-se nessas áreas. Um exemplo concreto é o trabalho que já está a ser feito em relação à diabetes e à visão, onde se está a desenvolver um conjunto de parcerias para que seja possível trabalhar a nível dos rastreios. No que diz respeito à fome, encontram-se, igualmente, a formar algumas parcerias com instituições que se focam nesta temática, nomeadamente através de recolha de alimentos ou na identificação da necessidade de uma ajuda mais direta a algumas famílias carenciadas, que necessitem de um apoio mais imediato.

Em termos de projeto a curto prazo, Pedro Matias destaca a verba que angariaram e com a qual vai ser possível começar a desenvolver, de julho a agosto, uma colónia de férias para crianças com problemas genéticos e deficiências. Salienta ainda que as ofertas que existem atualmente são direcionadas para um público geral, não existindo quase opções para crianças com necessidades especiais. O presidente do Lions Clube de Silves menciona que esta colónia pretende ser uma maneira destas crianças “conseguirem desenvolver algumas capacidades extra, que possam ter algum ganho, e que possam, ao mesmo tempo desenvolver as atividades que nós projetamos para elas.”

Apesar de não ser uma das cinco causas comuns a todos os clubes, foi uma causa que foi possível identificar no concelho de Silves. Assim, o Lions Clube de Silves pretende adaptar os seus projetos às necessidades apresentadas pelos silvenses. É também relevante mencionar que as redes sociais do clube já estão ativas, sendo que as suas atividades vão ser divulgadas nesse espaço.

Neste momento está a ser feito um planeamento em relação ao clube, tendo por base as causas importantes e diretamente relacionadas ao concelho de Silves, para que depois seja possível delinear um plano de atividades concreto. Uma das grandes certezas é o propósito de envolver a comunidade em todos os seus projetos.

Órgãos Sociais

Presidente: Pedro Infante Matias

1ª Vice Presidente: Daniela Varela

2º Vice Presidente: Daniel Silva

Secretária: Joana Guinote

Tesoureiro: Juan Correia

Assessor de Sócios do Clube: Dina de Castro

Coordenador de LCIF do Clube: Ana Fazenda

Assessor de Serviços do Clube: Carine Fernandes

Assessora de Comunicações de Marketing do Clube: Laura Ravera

Director do Clube: André Rodrigues

 

Texto: Inês Jóia

Fotos: Lions Clube de Silves

 

 

 

 

 

 

Veja Também

À descoberta dos antepassados- Oficina de Genealogia em Silves reuniu vários curiosos

As perguntas – quem somos e de quem descendemos, suscitam um número crescente de interessados …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *