192º aniversário de João de Deus comemorado com entrega de prémio literário, música, poesia e flores

A cerimónia evocativa do 192º aniversário do poeta e pedagogo messinense João de Deus, com a tradicional romagem à estátua do poeta e deposição de flores deu início às comemorações, no dia 8 de março.

Marcaram presença nesta cerimónia, a presidente da Câmara Municipal de Silves, acompanhada do restante Executivo Permanente e vereadores da CMS, bem como a presidente da Junta de Freguesia de São Bartolomeu de Messines, representantes de diversas entidades e os alunos de escolas desta vila.

Neste  Dia Municipal João de Deus comemorou-se igualmente o 50º aniversário do Jardim-Escola João de Deus de S. Bartolomeu de Messines, com o descerramento de placa comemorativa  e também o 45º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Messines que logo pela manhã realizaram uma formatura com guarda de honra.

No final da tarde decorreu a cerimónia de entrega do Prémio Nacional Literário João de Deus atribuído pela Câmara Municipal de Silves em parceria com o Crédito Agrícola de Messines e S. Marcos da Serra. Nesta que foi a sua primeira edição, este prémio, com um valor de 10.000€, foi entregue ao poeta e escritor A.M. Pires Cabral pela sua obra de poesia “frentes de fogo”.

Na cerimónia, o presidente do Crédito Agrícola de Messines, Carlos Vargas revelou o “maior gosto” em participar com a autarquia de Silves na criação do referido prémio literário, bem como em continuar a apoiar iniciativas culturais que considerou particularmente importantes no combate às assimetrias e desertificação dos territórios, como os desta freguesia.   O mesmo sentimento foi expresso pela presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma, que sublinhou o facto das comemorações do aniversário de João de Deus voltarem a ter a chancela da Presidência da República e a parceria do Crédito Agrícola de Messines. A presidente deixou claro que a “intervenção cultural” se assume como um “imperativo” e um dos “eixos estruturantes” da ação do Executivo que dirige e exprimiu ainda palavras de apreço e admiração ao poeta premiado.

Este, por sua vez, além de deixar os agradecimentos às entidades envolvidas e ao júri do Prémio Literário, sublinhou as semelhanças entre Silves e a sua cidade natal, Vila Real,“cidades com história e orgulhosas de si mesmas” e elogiou ambas as autarquias “que prestam atenção ao seu património espiritual”. Falou também dos poetas que ambas têm, nomeadamente João de Deus e Guerra Junqueiro, conhecido como o poeta transmontano, o “grande poeta do Douro, mas do Douro laboral”.

A.M. Pires Cabral, que confessou ter escrito os seus primeiros versos sob influência dos poemas de João de Deus, falou ainda sobre o facto de ter vencido a primeira edição do Prémio Nacional Literário João de Deus, este ano atribuído a uma obra poética, afirmando que “qualquer prémio literário estimula e responsabiliza. Estimula porque nos faz desejar ir mais longe e responsabiliza porque nos faz querer ir mais fundo”.

Terminada esta cerimónia seguiu-se a atuação dos alunos do Jardim-Escola João de Deus, com a apresentação de “Marafábulas e os bichinhos que contam”, um apontamento com música, dança e poesia que encantou o público presente.

O dia terminou com um concerto com o grupo Ecos de Coimbra, um concerto comemorativo do Dia Internacional da Mulher.

Veja Também

Apresentação de livro de Teresa Ferrer Passos, em Alcantarilha

A escritora Teresa Ferrer Passos estará em Alcantarilha, no dia 24 de fevereiro, para apresentar …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *