Concelho de Silves lidera no aumento do preço dos apartamentos

No ano de 2021, houve um crescimento contínuo dos preços médios de venda de apartamentos, em todos os concelhos do Algarve, mas Silves foi o que registou um maior aumento do preço médio, na ordem dos 14%.

Este dado é revelado pela Casafari, principal plataforma de tecnologia de dados imobiliários da Europa, que hoje divulgou, o que apresenta como “o mais completo relatório de análise do mercado imobiliário relativo ao ano de 2021, com destaque para os distritos de Lisboa, Porto, Setúbal e Faro, e uma análise geral da evolução dos preços de venda e arrendamento, por distrito e concelho. “

Relativamente ao distrito de Faro, “todos os concelhos demonstraram um crescimento contínuo dos preços médios de venda tanto de apartamentos, como de moradias, com Vila Real de Santo António e Silves a liderarem com aumentos dos preços médios de venda de apartamentos entre os 12% e 14%.
Na venda de moradias, o maior aumento observado foi no concelho de Castro Marim, com os preços de venda das moradias a subirem até 16.2% ao longo de 2021, seguindo-se Lagos com 14.9%. O preço médio mais alto de venda de moradias continua a registar-se nos concelhos de Loulé e Lagos, com valores a rondar os 620 e 670 mil euros.

A nível de arrendamento, os concelhos de Faro mostraram algumas variações, com uma tendência de estabilização ou, até, de diminuição dos preços médios. Loulé foi o único concelho a ter um crescimento residual, de 0,8%, mantendo-se como o concelho mais caro do distrito de Faro, onde arrendar uma casa custa em média 750€, enquanto Albufeira e Tavira registaram uma diminuição do preço médio de arrendamento na ordem dos 3% e Vila Real de Santo António arrecada a maior diminuição com -5,8%.”.

O relatório conclui que ao longo de 2021, apesar da situação de pandemia, os preços médios de venda de apartamentos continuaram a trajetória ascendente praticamente em todos os distritos de Portugal, com Faro, Lisboa e Évora a registarem as maiores subidas (entre 8,4 e 9,4%), seguindo-se Aveiro e Madeira, com os mesmos 8,2%.
Os dados da CASAFARI apontam ainda para crescimentos mais acentuados nos preços de venda de moradias. Évora e Lisboa lideram o aumento com variações entre os 13.2% e 11.8%, respetivamente, enquanto Guarda regista o maior decréscimo com -1.6%

No entanto, no mercado de arrendamento, a oferta de casas para arrendar levou a uma estabilização dos preços nos principais distritos do país.
No arrendamento, o ano foi marcado por um aumento generalizado da oferta disponível, decorrente da crise do setor do Turismo devido à pandemia, o que levou a uma estabilização dos preços, já que nenhum dos concelhos de Lisboa registou uma subida do preço médio de arrendamento superior a 2,9%. Lisboa, Cascais e Oeiras são os concelhos onde é mais caro arrendar uma casa, com Lisboa a registar um preço médio de 1070€, Cascais 1204€ e Oeiras 960€.

Todos os dados de preços de venda e arrendamento dos distritos podem ser consultados nos quadros anexos do Relatório, que registam os valores por trimestre ao longo de 2021 e com mais detalhes para os vários concelhos dos distritos de Lisboa, Porto, Faro e Setúbal: Relatório Casafari

Veja Também

Natal e Passagem de Ano ultrapassam faturação de 2020 e 2019, mas turismo continua abaixo

A REDUNIQ, a maior rede nacional de aceitação de cartões nacionais e estrangeiros e marca …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *