UDM já tem Museu com a sua história

No dia 6 de outubro, dia em que União Desportiva Messinense (UDM) comemorou o seu 46º aniversário, visitamos o Museu Histórico da UDM, inaugurado no âmbito das comemorações do Dia do Município, no dia 4 de setembro de 2021.
Nas salas construídas por baixo da bancada do Estádio Municipal é a história do clube que agora se dá a conhecer e assim se preserva.

O presidente da Direção, Hélder Braz  é quem nos guia pelas paredes repletas de fotografias. Este projeto de criar um museu surgiu de uma “ideia maluca” e de uma conversa com o tesoureiro, Jorge Vargas, no final de janeiro deste ano. A partir daí, desenvolveu-se o trabalho, que passou pela recolha de fotos “o que foi mais difícil”, cartões de sócio e outros elementos que agora se exibem a quem quiser conhecer a história deste clube que se funde com a história de várias gerações de messinenses. No espaço foram realizadas diversos trabalhos de reparação, nas portas, chão e iluminação, com o apoio da Câmara Municipal de Silves.

Sócios fundadores

A exposição inicia-se com as fotos dos primeiros presidentes dos órgãos sociais da UDM, passa pelas equipas seniores e camadas jovens, jogadores, treinadores, inclui as fotos de dirigentes que se destacaram por mais de dez anos em colaboração com o clube. Há ainda espaço para a foto da única equipa de futebol feminina que jogou na época 95/96 e recordações do tempo em que existia também a modalidade de ciclismo e de andebol. Outras fotos diversas, de eventos e festas da UDM e de inaugurações e de autarcas compõem outros espaços, desembocando a exposição na área dos troféus.
Para quem percorre as salas há frequentemente o sentimento de reconhecimento… no lote dos fundadores, a jornalista/autora da reportagem vê o rosto do seu pai já falecido… rostos que há muito não se viam, outros que nos surpreendem, e ainda outros que custamos a reconhecer nas fotos da sua juventude. A par de pessoas que se encontram ainda em funções.

Dirigentes da UDM

Como nos diz Hélder Braz, haveria ainda mais material para expor, tanto mais que há pessoas que continuam a trazer fotos para o espólio do museu, mas a falta de espaço não permite o crescimento. Quem sabe se um dia… se mais uma ideia do presidente fosse avante, o de construir, num espaço que existe junto ao relvado, um ginásio “para servir todos os messinenses” e a sede da UDM, essa sim com uma zona dedicada ao Museu. A ideia já foi apresentada à Câmara Municipal de Silves, proprietária do terreno e do estádio…

Hélder Braz

Para já, em termos imediatos, a UDM concentra-se no presente, o que significa “começar a praticar futebol novamente” e recuperar os atletas entretanto perdidos, pois que eram cerca de 170 e neste momento são apenas 120. Com a equipa sénior a jogar na 2ª Divisão Distrital, a UDM tem ainda equipas de sub-2, juvenis, infantis, benjamin-A, benjamim-B, traquinas e petizes.
A aposta nas camadas jovens é o futuro do clube, defende Hélder Braz, acrescentando que “quem não tem dinheiro não tem vícios” e, na sua opinião “a UDM deve jogar com a prata da casa” que isso permite construir uma equipa que vai crescendo e ter jogos com atletas que as pessoas da terra reconhecem e gostam de ver jogar.

Opiniões fundamentadas por quem tem uma longa experiência na área do futebol e do desporto. Foi aos 18 anos que Hélder Braz iniciou esta ligação, enquanto jogador no Silves Futebol Clube. Aos 20 anos era jogador na UDM e, depois de 13 anos a jogar na equipa sénior, foi ainda treinador de camadas jovens, adjunto da equipa sénior, diretor desportivo e presidente da Direção, cargo que exerce há 7 anos. Lembra que “apanhou” o clube numa altura bastante difícil, “em que havia uma dívida de 300 mil euros e o clube nem tinha uma carrinha”. Entretanto, a situação financeira recompôs-se e muito recentemente a UDM adquiriu um mini-bus, com 28 lugares, capaz de transportar toda a equipa que tem de se deslocar em várias carrinhas. Este mini-bus, assim como as carrinhas existentes, estão ao serviço de toda a comunidade, sendo emprestadas a associações locais sempre que necessário, “porque acredito que temos de trabalhar em conjunto e dar para receber em troca” afirma Hélder Braz que também destaca o apoio recebido por parte das autarquias e entidades locais.

Em dia de aniversário, além das memórias fala-se de futuro e de mais um desejo do presidente da UDM, o de conseguir criar uma secção de atletismo, modalidade que nenhuma associação desenvolve em Messines. Quanto às memórias, que é como quem diz, quanto ao Museu da UDM, pode ser visitado nos dias de semana das 9h às 13h e das 14h às 18h e nos dias em que há jogos e o espaço se encontra aberto.

Dia da inauguração com a presença do presidente da UDM, Hélder Braz; a presidente da Câmara de Silves, Rosa Palma; diretor do IPDJ, Custódio Moreno; o presidente da Associação de Futebol do Algarve, Reinando Teixeira; e Rui Caetano, em representação da Junta de Freguesia de Messines

Texto e fotos: Paula Bravo

Veja Também

Algarviana Ultra Trail está de volta e passa por Silves e Messines

O evento desportivo ALUT – Algarviana Ultra Trail está de volta à região, entre os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *