Algarve é o Melhor Destino de Praia da Europa pela oitava vez

O Algarve conquistou, pela terceira vez consecutiva e oitava no total, o título de Melhor Destino de Praia da Europa. Este prémio foi atribuído na edição 2021 dos World Travel Awards, os mais prestigiados prémios da indústria de turismo e viagens.

A beleza e a diversidade de cenários que as praias da região oferecem ao longo de 200 km de costa, associadas à riqueza da oferta do destino conquistaram, uma vez mais, a preferência dos principais líderes do setor do turismo, que votaram para premiar a melhor oferta turística a nível europeu. O Algarve sagrou-se novamente vencedor numa lista composta por outros destinos de praia de renome mundial, como Cannes (França), Corfu (Grécia), Maiorca (Espanha), Marbella (Espanha), Sardenha (Itália) e também Porto Santo.

“Este prémio vem consolidar a perceção da qualidade diferenciada da oferta do nosso destino face aos seus principais concorrentes”, afirma João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve. “À beleza natural da região, o Algarve tem sabido associar um conjunto de experiências que transformam os dias de quem viaja para este destino em estadias surpreendentes e emocionais e são estas propostas de valor que estão a ser reconhecidas e a gerar um interesse crescente junto dos turistas”, acrescenta.

Apesar dos desafios que a indústria do turismo enfrentou em 2020, a edição deste ano dos World Travel Awards foi muito participada em termos de votação, revelando que a vontade de viajar e o interesse por destinos de qualidade continuam a manifestar-se em força.
O galardão de Melhor Destino de Praia da Europa foi atribuído ao Algarve nos anos de: 2012, 2013, 2015, 2016, 2017, 2019, 2020, 2021.

FONTE: Associação Turismo do Algarve (ATA)

Veja Também

CDDR e Municípios do Algarve querem garantir cobertura digital no interior e dinamizar rede de aldeias inteligentes

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) da Região do Algarve: CCDR e Municípios …

Um Comentário

  1. Estão de parabéns todos os atores principais, agentes económicos, administradores públicos , trabalhadores etc.
    Não deixo de relembrar que o reverso da medalha é a triste realidade algarvia da profusão de graffiti, pichagens que maculam os espaços públicos, mobiliário urbano, propriedades privadas, fachadas de habitações, comércios com consequências económicas elevadíssimas.
    O Algarve não é só resorts de luxo! Imaculados graças à segurança privada!
    Basta percorrer a EN 125 para nos darmos conta do que aqui descrevo sumariamente.
    Quando tenho oportunidade, relembro uma sugestão que já fiz a edis : a AMAL, em associação com UAlg, deveria realizar um “case study” para estudar este fenómeno e suas principais causas e assim definir uma estratégia coerente e eficaz que pelo menos o possa controlar ou minimizar.
    Deveriam associar a esta reflexão as autoridades policiais, graffiters de renome em urban/street art, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *