Entrevista a Paula Sousa, candidata da Coligação Juntos por Silves, à Câmara Municipal de Silves

Paula Sousa

Candidata da Coligação Juntos por Silves (CDS+PPM+ Aliança)

1-Quais as razões da sua candidatura?

As razões da minha candidatura prendem-se com a necessidade de fazer, no concelho de Silves, o que ainda não foi feito. Para que Silves se afirme como um território capaz de competir com os melhores, há muita coisa por fazer. Para tornar Silves num concelho mais criativo, mais contemporâneo, mais comprometido, mais cultural, mais cativante, mais amigo do ambiente, valorizando e respeitando a paisagem, mais sustentável, mais inclusivo, há igualmente muita coisa por fazer. O concelho não pode ser só Festas. Há uma economia para dinamizar; há uma população para apoiar; há a necessidade de incentivar a natalidade e apoiar as famílias numerosas; há um património para recuperar e revitalizar; há a necessidade de captar jovens e empresas para o concelho e para a cidade. Há a ‘marca’ Silves para ser promovida e isso não se faz somente com a vinda da TV à Festa da Laranja!

2-Que balanço faz do mandato que terminou? (O melhor e o pior)

Aponto como ponto de destaque e de referência o facto de Silves ser o primeiro e único do Algarve com um PDM de 2.ª Geração. Sabemos que a introdução do planeamento estratégico e o processo de revisão de Planos Directores Municipais (planos de segunda geração) tem surgido como uma oportunidade e uma necessidade de desenvolver metodologias de intervenção simultaneamente globalizantes e particulares, e nesse sentido Silves dispõe de uma ferramenta capaz de ajudar a tomar decisões e de conduzir as mudanças de fundo e circunstanciais para o concelho.

Entre os vários aspectos que se podem apresentar como piores, destaco as falhas na preservação e valorização do património cultural e natural/ paisagístico. Aqui remeto para a ideia de que o ser humano não poderá evoluir sem tradição, sem vivência histórica. É precisamente neste conceito de continuidade histórica ou sentido da tradição que o actual executivo, liderado por Rosa Palma, não apostou. Não apostou na defesa das peculiaridades da nossa identidade, por exemplo com a destruição do Jardim do Largo da República. Pensemos, também, no extermínio lamentável de espécies animais e vegetais nos terrenos de zona de RAN, com elevada aptidão agrícola, onde está a ser erigida uma nova superfície comercial no Rogel, em Alcantarilha. Sobre esta superfície comercial, que se encontra em fase de construção, aproveito para dizer que a Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve a considerou um “erro económico” porque vai afastar ainda mais as pessoas dos centros da cidade e das vilas, para além de que o mercado dos centros comerciais já “está esgotado” (fonte: Terra Ruiva, 9 de Maio de 2018).

 

3- Que prioridades define para a sua atuação, em termos do concelho, caso seja eleito? 

Há muitas áreas com necessidade de intervenção, mas também há várias prioridades. Contudo, não nos podemos esquecer que, em contacto directo quer com a população, quer com os presidentes das Juntas de Freguesia eleitos, essas prioridades, agora definidas, poderão ser redefinidas. Pois, o diálogo continuado é a ferramenta fundamental para o exercício de um cargo autárquico. Só para que os leitores do Terra Ruiva tenham noção da importância dos autarcas acompanharem a população durante todo o seu mandato – e não só em vésperas de eleições -, segundo o Rating Municipal Português de 2019, em 308 municípios, Silves, no que diz respeito ao ponto «Serviço aos Cidadãos» está no grupo dos 30 piores.

Bem… Voltando à sua pergunta, declaro que é minha intenção virar as atenções, em primeira mão, para o desenvolvimento económico (apoiando as empresas existentes e atraindo novos investimentos, para reforço da economia local e para fixação de população jovem); para a habitação/ planeamento urbanístico (promovendo projectos de habitação social inovadores; incentivando e melhorando o aspecto exterior das habitações, preservando a sua característica arquitectónica; encetando processos de fiscalização urbanística, de forma a desincentivar a construção ilegal e a proteger o património paisagístico); para a acessibilidade e os transportes (melhorando as condições das vias de comunicação rurais; reivindicando, junto do Governo, o desassoreamento do rio Arade e reforçando as valências da estação de comboios; tal como abrir um terminal rodoviário de passageiros em Silves). Destaco, ainda, o saneamento básico (a necessidade de melhorar, ampliar e concluir a rede de abastecimento de água no concelho; recolher o lixo, desinfectar e lavar regularmente os contentores e as ruas do concelho), a Saúde (exigir ao Governo um melhor funcionamento do Centro de Saúde/UCSP; apoiar as Instituições de Solidariedade Social e Associações Humanitárias do concelho) e o Ensino/ a cultura/ o património (apoiando todos os Agrupamentos de Escolas; recuperando, preservando e promovendo o Património arquitectónico, monumental e paisagístico do concelho).

 

4- Indique uma prioridade para cada freguesia.

Tendo em conta que os recursos financeiros do município são limitados, tem de ser feita uma criteriosa gestão das prioridades.

Para Silves, atendendo ao que foi discutido no 11º encontro de presidentes das Assembleias Municipais do Algarve, no passado dia 14 de Agosto, não posso deixar de priorizar o desassoreamento do Rio Arade e o restabelecimento da sua navegabilidade.

Para Armação de Pêra, por exemplo, fazer regularmente a limpeza e a higienização dos espaços públicos, bem como a requalificação de canteiros e espaços verdes.

Para São Bartolomeu de Messines, apoiar a criação de lares e/ou moradias para idosos que não têm possibilidade de os pagar.

Para São Marcos da Serra, combater a desertificação, exigindo, por exemplo, a reactivação da estação de caminho-de-ferro.

Para Alcantarilha e Pêra, arranjar os passeios e as passadeiras com rampas para pessoas com mobilidade reduzida.

Para Algoz e Tunes: apostar na criação de espaços verdes e analisar a situação de abandono a que está votada a Ermida da Nossa Senhora do Pilar.

 

5- Complete a frase: “Desejo que [n]o Concelho de Silves

haja uma mudança no posicionamento da política camarária, para que ocorra o desenvolvimento do concelho e se criem mais e melhores oportunidades”.

 

 

Veja Também

Cursos de Língua Árabe em Silves

Estão abertas as inscrições para os cursos de Língua Árabe ( Níveis 1 e 2), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *