ESTUDO: Impacto da Pandemia no turismo – Algarve é destino preferido

Apesar da Pandemia 44% dos portugueses afirmam que vão fazer férias ainda em 2021, e 27% apenas o fará em 2022. Uma grande fatia da população inquirida afirmou ainda não estar decidida quanto à sua próxima viagem de lazer (22%), sendo que apenas 5,8% afirma que apenas viajará em 2023.

44% dos portugueses afirmam que pretendem viajar ainda durante o ano de 2021, 28% só o farão em 2022, 6% diz que esperará até 2023, enquanto 23% afirma não ter ainda considerado a possibilidade de fazer férias num futuro próximo.

Para Filipe Roquette, Diretor Geral da Bloom Consulting Portugal  “os dados do estudo são reveladores de algo que a indústria turística portuguesa já tem vindo a sentir_ uma maior movimentação dos portugueses em viagens de lazer. Com o avançar da vacinação e aproximação à tão desejada imunidade de grupo, é expectável que alguns destes portugueses vão progressivamente alterando a sua posição em relação ao turismo sendo no entanto irrealista pensar que a situação reverterá para as tendências registadas em 2019 num futuro próximo.”

No que diz respeito às idades, há uma correlação direta entre a idade e a intenção de viajar já em 2021, quanto mais jovens, maior é a manifestação de interesse em fazer estas viagens de lazer no decorrer deste ano. O grupo de 54 ou mais anos é o mais conservador e também o mais indeciso nesta matéria.

Uma boa notícia para os municípios no que diz respeito às próximas viagens dos portugueses é que 75% dos portugueses fará as suas próximas férias em território nacional, 60% dos quais de forma exclusiva, sem considerar destinos estrangeiros. 14% não sabe ainda para onde irá nas suas próximas viagens de lazer, enquanto 11% descarta férias no território nacional e só pensa em férias no estrangeiro. Faro, Leiria e Funchal os distritos em que há uma maior intenção de visitar países estrangeiros de forma exclusiva. Entre os que afirmam que o seu próximo destino será em território nacional, o Algarve é a região mais referida com 20% do total de menções. Seguem-se as regiões autónomas dos Açores e da Madeira com 18% e 16% respetivamente. Também com 16% estão o Alentejo e a região do Porto e Norte de Portugal. O Centro de Portugal com 8% e a Região de Lisboa são as regiões sob as quais recaem menos intenções de visitação por parte dos portugueses num futuro próximo.

Ao longo dos últimos meses a Bloom Consulting realizou diversos estudos para entender a dimensão e os contornos destes impactos, incluindo uma análise baseada nas variáveis do Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking©, na procura documental e em inquéritos a mais de 1.000 perfis-chave nos 18 distritos portugueses, onde foi possível perceber as perceções e opiniões dos cidadãos nacionais não só acerca da gestão da pandemia nos municípios, mas também sobre mudanças de comportamentos, as novas exigências e receios em relação a trabalhar, viver e visitar os 308 municípios portugueses.

Veja Também

Algarve defende reforço das ligações transfronteiriças

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve), José Apolinário, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *