Dia do Município de Silves homenageou personalidades do concelho

O Dia do Município de Silves, comemorado no dia 3 de setembro, foi também uma ocasião para entrega de distinções a várias personalidades do concelho

PRÉMIO ARTE E CULTURA

Eduardo Ramos – cantor, compositor, concertista de Alaúde árabe e Multi-instrumentista
Natural de Beja, nascido em 1951, fixou-se no Algarve em finais de 1975. Iniciou o seu percurso com música Tradicional Portuguesa, passando pelo rock e afro-jazz.
Nos anos 80 tocava guitarra clássica e cavaquinho, berimbau, o quissange angolano e o gambri marroquino. A música marroquina surge quando começou a estudar música árabe e percebe que a música indiana tem muito a ver com a árabe. A paixão pelo alaúde surge quando em Silves ouviu tocar um alaudista tunisino. Viajou até à Tunísia onde adquiriu um alaúde e sozinho aprendeu a tocar.
Atualmente interpreta cantigas Medievais Galaico-Portuguesas, e cantigas de judeus Sefarditas de Portugal e Espanha do séc. XIII. Tem um vasto repertório de peças musicais árabes, grande parte de sua composição.
Tem feito concertos por Portugal, Espanha, Alemanha, Bélgica, Ilha de Malta, Itália, Bulgária, Angola e Marrocos no Festival Internacional “Des Cordes Pincées” em Rabat e no Festival Internacional de Músicas Sagradas de Fez.
.

Fernando Conduto – artista plástico, escultor, pintor, gravador e designer.

Nasceu em Silves em 1937. Concluiu o curso de escultura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Para muitos, é considerado o pai da medalha contemporânea a Medalha Objeto, pela criação impar da pureza gráfica e do design geométrico.
Reconhecido nas várias áreas que abordou, é na escultura que reside a sua extensa obra e onde exprime uma constante pesquisa e lhe confere poesia e sonho.

Mauro Cunha – Dezman – artista, músico de hip-hop ( homenagem póstuma)

Em 2005, o seu primeiro trabalho gravado em estúdio viu a luz do dia. “Atmosfera Hostil” é, ainda hoje, um disco de referência que marcou uma geração.

Dezman percorreu um trajeto no Hip-Hop nacional que nos mostra que somos mais do que o lugar onde nascemos.
Este storyteller tocado pelo dom da palavra, utiliza a ironia, a sátira e a crítica social para transmitir o que sente, partilhando a sua visão homónima da realidade que experiencia ou aquela que não lhe é indiferente. Assim o fez em “Atmosfera Hostil”, depois em “Bairrismundo”, em “Shaolin Caixaguense” e assim o faz no seu mais recente projeto “Nerdossoma”.

João Rocha de Sousa – artista plástico pintor e professor
Nascido em Silves em 1938, foi artista plástico, pintor e professor na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e crítico de arte. Foi professor convidado da Universidade Aberta. É membro correspondente da Academia Nacional de Belas-Artes, da Associação Internacional da Crítica de Arte e tem uma larga participação na programação da Sociedade Nacional de Belas Artes.
Com uma larga atividade artística, expôs no país e no estrangeiro.
Publicou diversos estudos de carácter pedagógico, didático e técnico e ensaios monográficos de artistas portugueses seus contemporâneos. No plano literário tem uma extensa bibliografia publicada. De ressalvar que recentemente Rocha de Sousa ofereceu o seu acervo à Câmara Municipal de Silves.

PRÉMIO DESPORTO

Fábio Silva

Natural da freguesia de São Bartolomeu de Messines, iniciou a sua carreira desportiva na modalidade de Voleibol no Atlético Clube de Albufeira. Na última época (2020-2021), foi contratado pelo Vitória de Guimarães e joga atualmente no Campeonato Nacional da Federação Portuguesa de Voleibol, sendo um dos jogadores mais novos da sua equipa, com 19 anos de idade.

Gonçalo Pires e Rodolfo Pires
Os “Irmãos Pires”, naturais de União de Freguesias de Alcantarilha-Pêra (Cerro do Bardo). Constituíram a sua dupla em 2014 na Classe Olímpica 49er. Em 2015 participaram no primeiro Campeonato da Europa no Porto e a sua participação em campeonatos mundiais não parou mais. Em 2018 transitaram para a classe 470.

Ivo Gonçalves
Natural da Freguesia de Silves, tem a carreira desportiva vincada por diversas conquistas nos clubes onde passou, sendo a mais marcante a subida à 1ª Liga de Futebol neste época 2020-2021 pelo Futebol Clube Vizela. Iniciou nas camadas jovens do Silves Futebol Clube (1997-2004), tendo sido na época 2004-2005 Campeão Nacional da 3ª Divisão (Série F) pelo Silves Futebol Clube

Mariana Assis da Silva
A jovem cavaleira, de 23 anos, natural de Algoz, irá representar Portugal pela Seleção Nacional nos Campeonatos da Europa de Dressage na categoria under 25, que irão decorrer na Alemanha. Ao longo dos anos foi conquistando vários títulos nacionais de Dressage e participou nos Campeonatos da Europa em 2018 e 2020 sendo esta a sua terceira participação pelo nosso país.

PRÉMIO EDUCAÇÃO

Daniel Fonseca
Fez carreira no ensino durante mais de três décadas, nomeadamente na atual escola EB23, antiga Escola Preparatória, onde chegou a ser diretor.
Paralelamente participou (e ainda participa) em inúmeros projetos musicais de âmbito local e regional.

PRÉMIO LITERATURA

Patrícia Palma
Nasceu a 1 de maio de 1981, em Portimão. Porém, os pais, naturais pelo lado materno da freguesia de São Barnabé e pelo lado paterno da freguesia de São Marcos da Serra, inscreveram a sua naturalidade em São Marcos da Serra.
É licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, pela Universidade do Algarve (1999-2003), onde iniciou o seu percurso de investigação no Centro de Estudos Linguísticos e Literários da Universidade do Algarve.
É mestre em Estudos Portugueses – especialidade de Literatura Portuguesa Contemporânea, pela Universidade Nova de Lisboa.

É doutorada em Estudos Portugueses – especialidade de História do Livro e Crítica Textual, pela Universidade Nova de Lisboa. O seu projeto de doutoramento, dedicado ao estudo da formação e desenvolvimento da cultura letrada no Algarve, entre o período de 1759 e 1910, mereceu o apoio financeiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia e do CHAM-Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, na modalidade de bolsas de investigação.

Os resultados obtidos receberam a recomendação para edição do trabalho em livro pela Comissão Consultiva para a Edição, da Direção Regional de Cultura do Algarve, e o livro, com o título O Reyno das Letras, foi publicado sob a chancela desta entidade, tendo sido selecionado pela italiana Casalini Libri, como uma das melhores publicações dadas à estampa em Portugal em 2020.

Veja Também

Paróquia de Silves faz “Benção dos enfermeiros”

No dia 12 de maio, Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, a Paróquia de …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *