Lince Ibérico: 136 nasceram em Silves e 86 já se encontram em liberdade

O Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico (CNRLI) de Silves já viu nascer, na década de 2010-2020, 136 crias de lince ibérico, sendo que 86 dessas já se encontram em liberdade, reforçando as populações selvagens, no Vale do Guadiana ou em Espanha.

Já em 2021, no mês de fevereiro, registou-se o nascimento das primeiras crias deste ano, quando Juromenha pariu três crias, fruto do seu emparelhamento com Juncabalejo, segundo o ICNF. Seguiu-se o parto da fêmea Fresa que teve duas crias.

No CNRLI foram entretanto concluídas as obras de reconstrução após o grande incêndio de 2018, e o centro conta com dois novos cercados de treino, três cercados de recuperação e um módulo clínico autónomo que permite intervenções nos animais vindos da natureza.

“Todo este processo constitui o corolário de um longo caminho, iniciado no final do século XX, quando se tomou consciência de que esta espécie se encontrava à beira da extinção, com menos de uma centena de exemplares em liberdade, todos na região Andaluza, o que levou ao estabelecimento de acordos, memorandos, protocolos e convénios celebrados desde 2004, entre os mais altos responsáveis das Autoridades responsáveis pela conservação da natureza de Portugal e de Espanha, o último dos quais já em 2009, pouco tempo antes do início da operação do CNRLI.

O total de exemplares registados durante 2020 em toda a área de distribuição ibérica foi de 1.111, repartidos entre Portugal, Andalucía, Castilla-La Mancha e Extremadura. “Pela primeira vez desde que existem dados quantificados sobre a população de lince-ibérico, foi ultrapassado o número de 1.000 indivíduos registados, o que é um marco muito relevante no processo de recuperação desta espécie e melhoria do seu estado de conservação”, afirma o ICNF.

Atualmente, em Portugal, existirão cerca de 140 linces numa zona com perto de 500 quilómetros quadrados (50.000 hectares) nos concelhos alentejanos de Serpa, Mértola, Castro Verde e Alcoutim. Juntos formam a população do Vale do Guadiana, uma das 14 populações de lince-ibérico da Península. No ano de 2020, este grupo de exemplares incluía 80 indivíduos adultos ou subadultos (menos de 1 ano). Este número inclui 26 fêmeas reprodutoras/territoriais, que geraram 60 crias durante a temporada de 2020.

As condições necessárias para os vários territórios de Portugal e de Espanha poderem acolher exemplares em liberdade, foram, em larga medida, propiciadas por projetos co-financiados pelo programa comunitário LIFE, de entre os quais o Projeto LIFE+Iberlince, que decorreu entre setembro de 2011 e junho de 2018, terá sido o mais relevante, a par da aceitação social de proprietários e de gestores de Herdades e da população em geral dos concelhos de Mértola e de Serpa, onde se processaram as libertações.

De momento e até 2022, Portugal assume a coordenação do Programa de Conservação Ex Situ do lince-ibérico.

Em setembro de 2020 arrancou o quarto projecto LIFE dedicado à conservação desta Espécie Em Perigo de Extinção, o LIFE Lynxconnect – “Criando uma metapopulação de lince-ibérico (Lynx pardinus) genética e demograficamente funcional”.

Veja Também

Cinema Drive-In regressa ao AlgarveShopping

O AlgarveShopping tem uma sugestão para os próximos finais de semana: sessões de cinema gratuitas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *