Obras na Torre 4 da Almedina de Silves

Têm estado a decorrer as obras de conservação e restauro da Torre 4 e muralha adjacente, que integram o Sistema Defensivo da Almedina de Silves.
A intervenção prevê reparar um conjunto de patologias previamente identificadas pelos técnicos de restauro da Câmara Municipal de Silves, afirma a autarquia.

Na sua nota, a Câmara de Silves lembra as intervenções “de preservação, defesa e valorização do património histórico edificado no território de Silves” que tem desenvolvido: “a conservação, restauro e requalificação de todo o sistema defensivo da Almedina, as intervenções ocorridas na Torre 16, na Torre 1 e passeio de ronda do Castelo de Silves (2015); a conservação e restauro do Pelourinho (2019), da Cruz de Portugal (2020) e do pavimento em madeira da Sé de Silves (2020).” Afirma ainda que existe um projeto para requalificação de todo o Sistema Defensivo da Almedina que ascende aos dois milhões de euros.

A Medina Islâmica de Silves, amuralhada desde, pelo menos, o século X, apresentava um imponente dispositivo defensivo, composto por panos de muralha e 17 torres, 10 das quais albarrãs, sendo as restantes adossadas. Construída em taipa militar e parcialmente revestida com blocos de arenito vermelho, defendia uma área de cerca de 9,75 ha. Esta era acessível a partir de três portas, a da Azóia a noroeste (local onde persistiram, até 1834, as ruínas de uma torre de oito quinas), a do Sol, a nascente, cuja construção foi documentada por uma lápide comemorativa, datada de 1227 encontrada nas proximidades e, a Porta da Almedina, visível em foto de 1883 e incluída em torre localizada a cerca de 60m a poente da Porta da Cidade (Torreão) esta última presumivelmente erguida no reinado de D. Dinis.

Com várias intervenções ao longo dos séculos, com destaque para os reinados de D. Fernando (1367-1383) e de D. João I (1385-1433), mas também para a época de D. Afonso V (1438-1481) e D. Manuel I (1495-1521), foram ainda reparadas pela população, em 1836, como forma de proteção à guerrilha de Remexido, decorrente das lutas liberais.

Já no século XX foi alvo de profundas obras de restauro pela Direção Geral dos Monumentos Nacionais e com incidência em toda a zona amuralhada.

Veja Também

Alerta para a realização de exercício de combate a incêndios rurais em Silves, Messines e São Marcos da Serra

A Câmara Municipal de Silves alerta os cidadãos para o Exercício Regional de Aprontamento do …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *