A toponímia nas sedes de freguesia do concelho de Silves – II

As décadas de 1950 e 1960 ficaram marcadas por um crescente desenvolvimento urbanístico de Armação de Pêra e como tal o aparecimento de diversos arruamentos o que originou a atribuição de quatro dezenas de topónimos. Por conseguinte, a 31 de agosto de 1956, a edilidade silvense aceitou a proposta da Junta de Freguesia de Armação, deliberando “dar-se ao largo em frente da Fortaleza a designação de “Largo Comandante Henrique Tenreiro”” , todavia este largo é conhecido e denominado como Largo da Fortaleza.

No ano seguinte, a Junta de Turismo de Armação de Pêra apresentou à Câmara as sugestões “de dar o nome do falecido Doutor António Marreiros Leite, ilustre filho daquela Terra, à rua onde está situada a casa onde nasceu”  e “dar o nome de Rua Doutor José António dos Santos à via pública compreendida entre o Largo Comandante Henrique Tenreiro e o cruzamento das Ruas Doutor Manuel de Arriaga e Doutor Martinho Simões” .

A 25 de julho de 1958, aceitando a proposta daquela Junta, a Câmara deliberou “que de futuro se passe a chamar Rua Salvador Gomes Vilarinho à artéria que partindo do Largo Comandante Tenreiro se estende para poente até ao cruzamento com a rua onde se encontra construído o novo Mercado”.

Armação de Pêra- 1965 – Rua Mascarenhas Gregório

Por proposta do presidente da edilidade silvense, João Bernardino Meneres Sampaio Pimentel, foi aprovado “dar à praceta fronteira à nova Igreja de Armação de Pera o nome de “Praceta D. Elisa Santos Gomes”, com o preito e reconhecimento pelos benefícios que Armação de Pera deve à citada benemérita” .

Em 1961, por alvitre do vereador Teófilo Fontainhas Neto e com o fim de lembrar às gerações vindouras os que se sacrificaram pela integridade da Pátria, ameaçada na Província Ultramarina de Angola, a Câmara deliberou “dar o nome de Rua Heróis de Mucaba à chamada rua Nova da povoação de S. B. de Messines” .

Rua Heróis de Mucaba- SB Messines – 1965

Por sua vez, sendo necessário dar nomes a algumas ruas de Armação e considerando a necessidade de perpetuar a memória de alguns portugueses ilustres já falecidos, de pessoas que ajudaram a terra e ainda os nomes típicos locais que a tradição já adotou foi deliberado “dar os seguintes nomes: Rua da Rosa dos Ventos, Avenida Beira Mar, Rua das Caravelas, Rua do Casino Velho, Rua Mascarenhas Gregório, Rua da Rainha Santa (ex travessa Mascarenhas Gregório), Rua da Senhora dos Navegantes [ex Salvador Gomes Vilarinho], Rua de Bartolomeu Dias, Rua Vasco da Gama (ex Rua do Poço Detrás), Rua Fernão de Magalhães [ex Heróis de Kionga], Rua das Ondas, Rua das Gaivotas, Rua do Saco, Largo do Terreiro, Rua do Tresmalho, Travessa das Conchas, Beco das Algas, Beco dos Búzios, Rua Dr. José António dos Santos, Beco da Palmeira, Travessa do Candeio, Rua dos Abraços, Rua do Mar, Beco das Lanchas, Rua das Portas do Mar (parte nascente da Rua Dr. Martinho Simões), Rua Gago Coutinho, Rua dos Pescadores, Travessa das Velas, Rua das Artes, Rua Infante D. Henrique (ex Rua do Alentejo), Rua das Redes, Rua Marginal, Rua de Gil Eanes e Rua de Pedro Alvares Cabral” . Por sua vez, devido a protestos contra a mudança da designação da Rua do Alentejo, a Câmara deliberou manter o nome atendendo à tradição local .

Em 1962 prosseguiram as alterações toponímicas que afetaram mais de quatro dezenas de artérias em Alcantarilha: Rua Dr. Hermenegildo José Chaves, Rua do Moinho de Vento, Rua do Forno, Rua de Trás, Largo do Moinho de Vento, Rua do Poço, Rua do Lagar, Largo da Praça, Rua de Nossa Senhora do Carmo, Travessa da Igreja, Largo da Igreja, Rua do Padre António, Travessa do Padre António, Rua da Sociedade, Rua Inácio José de Mendonça, Rua das Marinhas, Travessa das Marinhas, Rua Gregório Mascarenhas, Estrada Nacional, Rua da Audiência, Rua da Empresa, Largo da Misericórdia, Travessa da Misericórdia, Rua das Palmeiras, Travessa da Nossa Senhora do Carmo e Escadinhas Pequenas. Para além destes houve nomes que também foram aprovados, mas que nunca chegaram a ser adotados, como foi o caso de: Rua da Cova Funda, Largo dos Machados, Escadinhas do Moinho de Vento, Escadinhas do Poço, Rua da Olaria, Rua do Comércio, Travessa da Praça e Azinhaga das Calmas.

Rua Barão de Alcantarilha – 1964

Na reunião de 28 de agosto foi apresentada carta do senhor Hermenegildo Neves Franco em que fazia numerosas considerações e sugeria alterações à toponímia aprovada, opiniões acompanhadas do parecer favorável da Junta de Freguesia local. Face ao exposto a Câmara deliberou introduzir na toponímia aprovada as seguintes alterações: Rua Frei José de São Patrício, Rua da Misericórdia (em vez de largo e travessa), Rua Dr. José Diogo Mascarenhas Neto, Rua Cónego Rasquinho (ex Rua da Sociedade), Rua Coronel João Ortigão Peres, Rua do Barão de Alcantarilha (ex Rua da Empresa), Largo do Ossário, Beco da Pontinha, Azinhaga do Castelo e Rua das Muralhas (junto e a nascente da praça, local do antigo Castelo), Travessa do Castelo (ex azinhaga da farmácia), Rua da Caldeira (ex Rua Gregório Mascarenhas), Rua Lopo Estácio (defensor de Alcantarilha contra os Mouros e ex Rua das Palmeiras). Quatro anos depois, por sugestão da Junta de Freguesia de Alcantarilha, foi deliberado “que a atual Rua Dr. Lopo Estácio passe a ser designada pelo seu antigo nome, que é Rua das Palmeiras” .

Para Tunes, a 28 de maio de 1963, a Câmara aprovou os topónimos: Rua da Entrada, Rua do Correio, Largo 1º de Dezembro, Rua da C.P., Rua Engenheiro Arantes e Oliveira, Rua Dr. Teixeira Gomes, Rua 5 de Outubro, Rua Dr. António Batista Coelho, Rua Gil Eanes, Caminho das Amendoeiras, Rua Dr. Oliveira Salazar, Rua Engenheiro Duarte Pacheco, Rua João de Deus, Rua D. Maria Zuzarte Mascarenhas, Rua General José Figueiredo, Rua do Ultramar Português e Rua Dr. Júlio Dantas.

No ano seguinte foi a vez da povoação de Pêra ser contemplada com novos topónimos, depois de apresentado e discutido o projeto elaborado pela Junta de Freguesia, os nomes aprovados pelo executivo municipal foram: Rua Alexandre Herculano (antiga Rua do Ramal), Rua Almeida Garrett (continuação da antecedente Rua Grande), Estrada de Albufeira (até à saída da povoação), Rua João de Deus (antiga Rua da Escola), Rua Castilho (continuação desta para nascente), Travessa João de Deus, Rua Júlio Dinis (antiga Rua dos Areais), Rua Pedro Álvares Cabral, Largo da Feira (já existente), Rua Infante Dom Henrique, Rua Bartolomeu Dias (antiga Rua da Ribeira), Rua Gil Eanes, Rua do Poço, Travessa Infante Dom Henrique, Largo da Igreja, Rua Vasco da Gama, Rua da Igreja, Largo Guerra Junqueiro (antigo Largo Eng. Arantes e Oliveira), Rua Dinis Dias (antiga Rua do Barranco), Rua Camilo Castelo Branco, Travessa de S. Francisco (antiga Rua de S. Francisco), Rua S. Francisco (a sul da igreja do mesmo nome), Largo de S. Francisco (frente à igreja do mesmo nome, até ao Largo Guerra Junqueiro), Rua Antero de Quental (antiga Rua Eng. Arantes e Oliveira) e Rua Eça de Queirós (antiga Rua do Alpendre).

Rua Eça de Queirós, Pêra-1967

A 13 de abril foi apresentada a planta com a sugestão da Junta de Freguesia de S. Marcos da Serra para se atribuírem nomes às ruas daquela povoação, o que implicava a mudança de alguns já existentes, tendo sido aprovado pela Câmara. No entanto, na prática, muitos arruamentos acabaram por não serem reconhecidos pelos topónimos propostos: Rua Engenheiro Cancela de Abreu e Rua Dr. Oliveira Salazar para o troço inicial e final da Rua da Igreja; Rua da Bela Vista, Rua Dr. António Batista Coelho e Rua Padre V de Araújo para as ruas que compõem a atual Rua do Poleirão; Rua da Farmácia para a Rua das Hortas; Rua da Padaria; Rua Engenheiro Arantes e Oliveira; Rua Dr. João Bernardino Menezes Sampaio Pimentel (então presidente da edilidade silvense) para a Rua dos Ferroviários; Rua Dr. Joaquim Romão Duarte para a Rua da Estalagem; Travessa dos Quintais; Rua do Adro (perpendicular à Rua da Igreja); Largo António Lourenço para o largo em frente ao novo mercado, atual edifício da Junta de Freguesia, que compreende o Largo da Igreja; Travessa do Chafariz e Rua da Feira. Todavia, dos nomes alvitrados somente seis foram utilizados: Rua Dr. António Bernardino Ramos (ex Rua da Estação), Rua do Salgueiro, Rua Nova da Ribeira, Largo da Cruz, Travessa do Forno e Bairro dos Montinhos e foi, ainda, decidido manter os seguintes nomes: Ruas do Poleirão, dos Quintais, das Escadinhas, do Forno, do Castelo, das Hortas e Largo da Fábrica.

 

(Continua)

Veja Também

Cinema Drive-In regressa ao AlgarveShopping

O AlgarveShopping tem uma sugestão para os próximos finais de semana: sessões de cinema gratuitas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *