Preço médio de arrendamento cai em janeiro face ao período homólogo de 2020

O Imovirtual, Portal imobiliário, acaba de divulgar um estudo, baseado em dados disponíveis na plataforma, no qual analisa a evolução dos preços médios anunciados de venda e arrendamento em Portugal. Os dados agora partilhados referem-se ao comparativo de janeiro deste ano com dezembro de 2020 e com o período homólogo (janeiro) do ano passado.

Principais conclusões:

ARRENDAMENTO

● Em termos absolutos, o preço médio anunciado em janeiro deste ano é de 1029€. Em dezembro do ano passado este valor fixou-se nos 1017€ (+1,2%) e em janeiro de 2020 nos 1190€ (-13,5%).

● Guarda é, novamente, o distrito que teve o maior crescimento percentual de 10,1% face a dezembro, ao passar de 426€ para 469€. Se a comparação for a janeiro de 2020, verifica-se igualmente um aumento percentual na ordem dos 42,1%.

● Os restantes destaques pela positiva em janeiro face ao mês anterior são Santarém (+7,3%) e Vila Real (+5,7%). Por outro lado, Bragança (-10,8%) e Beja (-9,7%) apresentam quebras no preço médio dos imóveis.

● Se compararmos janeiro de 2020 ao mesmo período deste, Beja (+50,9%) regista novamente a maior subida ao passar de 426€ para 643€. Em seguida surge a Guarda com um aumento de 42,1%. Nesta análise, e em sentido contrário, Porto (-20,4%), Bragança com (-16,7%) e Lisboa (-14%) surgem com as quedas de preço mais acentuadas.

VENDA

● Em termos absolutos, o preço médio anunciado em janeiro de 2021 foi de 347.955€ O que representa um ligeiro aumento de 0,5% face ao mês anterior, cujo valor foi de 346.386€, e de 1% em relação aos 344.441€ registados em janeiro de 2020.

● Neste mês de janeiro, o distrito com o maior crescimento do preço face ao mês anterior foi Beja (+3,2%) que, de resto, também se destaca com a maior subida (+9,8%) face ao período homólogo de 2020.

● Em seguida, nas regiões que se evidenciam por maiores aumentos face a dezembro de 2020, surgem Guarda (+3,1%), Vila Real (+2,4%) e Viana do Castelo (+2,4%). No polo oposto, Évora (-4,7%) aparece como o distrito com maior queda regista.

● Na comparação entre janeiro de 2020 e janeiro de 2021, depois de Beja, Aveiro (+8%), Viana do Castelo (+7,8%) e Coimbra (+7,5%) surgem no topo dos distritos com maiores subidas no preço.

No lado oposto, Portalegre (-14,8%) e Guarda (-8,7%) apresentam as quedas mais acentuadas no preço médio na comparação entre janeiro deste ano e o mesmo período do ano passado.

“Estes números mostram que, apesar das inúmeras contrariedades impostas por este contexto pandémico, o mercado continua a apresentar vários indicadores positivos. Se é certo que do lado do arrendamento a quebra era inevitável, sobretudo devido ao súbito aumento da oferta consequente da falta de turistas, o preço de venda mantém-se relativamente estável, mostrando assim a força contínua do setor. Existem algumas variáveis que poderão influenciar o futuro próximo deste segmento, nomeadamente o evoluir do processo de vacinação; o grau de limitações impostas à população e o tempo que estas durarão; o aproximar do fim das moratórias e a saúde financeira com que a generalidade das pessoas lá chegará; as taxas de juros praticadas no mercado; entre outras, por isso é muito arriscado nesta fase antecipar mais detalhadamente o que serão os próximos meses”, considera Ricardo Feferbaum, diretor Geral do Imovirtual.

Para consultar todos os dados analisados no estudo, por favor, visite: https://www.imovirtual.com/noticias/imoblog/mercado-imobiliario-em-numeros-barometro-mensal-de-janeiro

Veja Também

IEFP divulga ofertas de trabalho e estágios

O Instituto de Emprego e Formação Profissional divulga a  listagem de Ofertas de Emprego, Estágios …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *