Os 10 futebolistas com mais jogos pelo Messinense na II Divisão B

Fundada a 6 de outubro de 1975, a União Desportiva Messinense viveu o período de maior fulgor da sua história já no século XXI, quando se sagrou por duas vezes campeã distrital da AF Algarve (2001-02 e 2009-10) e participou nos campeonatos nacionais durante nove temporadas.

Messinense 2007-2008

Depois de uma longa travessia no futebol regional, a formação da vila e freguesia de São Bartolomeu de Messines, concelho de Silves, competiu na II Divisão B entre 2006 e 2008, após quatro anos a ganhar balanço na III Divisão. No terceiro escalão, os algarvios alcançaram um 8.º lugar em 2006-07 e um 12.º na época seguinte, em que acabaram despromovidos.
Apesar do bom arranque no século XXI, a popular UDM caiu nos distritais em 2009 e uma segunda vez em 2012, sendo que até chegou a desativar o futebol sénior. Atualmente milita na II Divisão da AF Algarve, para onde foi relegada em 2019.
Vale por isso a pena recordar os dez futebolistas com mais jogos pelo Messinense na II Divisão B.

10. Fernando Guimarães (27 jogos)

Fernando Guimarães

Defesa central/médio defensivo de elevada estatura (1,87 m), formado no Imortal e com experiência de II Divisão B adquirida ao serviço da formação de Albufeira e dos açorianos do Operário, reforçou o Messinense no verão de 2007.
Na formação de São Bartolomeu de Messines atuou em 27 partidas (20 a titular) e marcou um golo ao Madalena, não evitando a despromoção. Como consolação participou no encontro da Taça de Portugal em que os algarvios forçaram o Gil Vicente, então na II Liga, a ir a prolongamento.
Após um ano no Messinense chegou a estar com um pé no Farense, mas acabou por rumar ao Beira-Mar Monte Gordo.

9. Miguel Boto (30 jogos)

Miguel Boto

Médio ofensivo/avançado natural da localidade de Ferragudo, concelho de Lagoa, foi formado e estreou-se no futebol sénior com a camisola do Lagoa. Depois passou por Silves e Imortal e jogou na II Liga ao serviço do Portimonense, antes de reforçar o Messinense no verão de 2007.
Recrutado pelo treinador Luís Coelho, que já o tinha orientado no Silves, Miguel Boto disputou 30 partidas (21 a titular) e marcou um golo ao Lusitânia pela formação de São Bartolomeu de Messines na II Divisão B.
Após a despromoção regressou ao Lagoa, na altura também a militar na II B.

 

Cris Baiano

8. Cris Baiano (32 jogos)
Atacante brasileiro radicado em Portugal desde 2001, veio jogar para o Seixal, passou por Barreirense, União Micaelense, Juventude de Évora e Beira-Mar Monte Gordo nos campeonatos nacionais, até reforçar o Messinense no verão de 2007.
Com impacto imediato na formação algarvia, foi o melhor marcador da equipa no campeonato com 12 golos em 32 jogos (29 a titular), ainda assim insuficientes para evitar a despromoção.
Após a descida de divisão, rumou ao Louletano, então a militar na III Divisão. Depois continuou a jogar no Algarve até 2015, quase sempre no Lusitano VRSA.

Rui Graça

7. Rui Graça (42 jogos)
Defesa central natural de Almancil, começou a carreira no Almancilense, tendo depois passado por Quarteirense e Lusitano VRSA, até reforçar o Messinense no verão de 2004.
Na primeira época ajudou o clube a consolidar-se na III Divisão, na segunda foi promovido à II Divisão B, patamar em que competiu nos dois anos seguintes.
Em 2006-07 participou em 24 jogos (todos como titular) e marcou um golo ao Estrela de Vendas Novas, na jornada inaugural, ajudando a assegurar a permanência.
Na temporada seguinte atuou em 18 partidas (17 a titular), mas não conseguiu evitar a despromoção.
Após a descida rumou ao Farense, então a militar na III Divisão.

Edgar Raposo

6. Edgar Raposo (50 jogos)
Não podia faltar um guarda-redes nesta lista. Começou a jogar futebol nas escolinhas do Sporting, mas foi no Algarve que fez praticamente toda a carreira, tendo passado pelas camadas jovens do Farense e pelos seniores de Guia, Quarteirense, Culatrense e Beira-Mar Monte Gordo antes de reforçar o Messinense a meio da época 2004-05.
Importante para o crescimento da equipa, contribuiu em 2006 para a promoção à II Divisão B, patamar em que competiu pela formação de São Bartolomeu de Messines durante dois anos.
Em 2006-07 atuou em 23 jogos e sofreu 29 golos, ajudando os algarvios a assegurar a permanência. Na temporada seguinte participou em 27 partidas e sofreu 37 golos, não evitando a descida à III Divisão.
Após a despromoção rumou ao Campinense, a militar na III Divisão.

5. Franklim (52 jogos)

Franklim

Defesa central/médio defensivo internacional angolano, representou o Belenenses entre 1997 e 2003. Depois passou por Marco e União Micaelense antes de reforçar o Messinense no verão de 2006.
Titularíssimo, disputou 24 jogos no campeonato em 2006-07, ajudando os algarvios a assegurar a permanência. Na temporada seguinte atuou em 28 partidas (24 a titular), mas não evitou a descida à III Divisão.
Após a despromoção não voltou a jogar futebol.

4. Pituca (56 jogos)

Pituca

Médio de baixa estatura (1,69 m) com praticamente toda a carreira feita no Algarve, começou a jogar futebol no Silves, passou pelo Imortal e chegou a jogar na II Liga ao serviço do Portimonense, antes de assinar pelo Messinense em 2006-07.
Com impacto imediato na formação de São Bartolomeu de Messines, atuou em 26 jogos (todos a titular) e apontou uma mão cheia de golos em 2006-07, ajudando a assegurar a permanência. Na época seguinte participou em 30 encontros (28 a titular) e marcou quatro golos, não evitando a descida à III Divisão.
Depois continuou a jogar nos campeonatos nacionais ao serviço de clubes algarvios como Lagoa, Louletano, Farense e Quarteirense.

3. Bruno Cordeiro (57 jogos)

Bruno Cordeiro

Defesa central natural de Loulé e formado no Louletano, passou ainda pelo Silves antes de chegar a São Bartolomeu de Messines no verão de 2006.
Na primeira época ao serviço do Messinense disputou 25 jogos (todos a titular, em 26 possíveis) e ajudou o emblema algarvio a assegurar a permanência na II Divisão B.
Na temporada seguinte foi titular em todas as 32 jornadas, mas não evitou a descida à III Divisão.
Após a despromoção continuou a jogar na II B ao serviço de Lagoa e Louletano.

2. Zé Nascimento (58 jogos)

Zé Nascimento

Médio com todo um trajeto feito em clubes algarvios, esteve associado a várias subidas de divisão, como as do Almancilense à I Distrital em 1997 e à III Divisão em 1998, do Padernense à III Divisão em 2000 e à II B em 2001 e do Silves à II B em 2005.
Em São Bartolomeu de Messines não foi diferente. Depois de uma primeira passagem em 2003-04, voltou ao clube em 2005-06 para contribuir para a subida à II Divisão B, patamar em que competiu nos dois anos seguintes.
Na primeira época foi titular em todas as 26 jornadas do campeonato, ajudando a assegurar a permanência. Na temporada que se seguiu foi utilizado nos 32 encontros da prova, mas só foi titular em 28, tendo apontado dois golos, diante de Real SC e Madalena.
Após a descida à III Divisão mudou-se para o Farense.

  1. Mauro (58 jogos)
Mauro

Disputou 58 jogos tal como Zé Nascimento, mas amealhou mais 91 minutos em campo – 4677 contra 4586.
Avançado angolano de baixa estatura (1,69 m), passou pela formação de Anderlecht e Farense antes de se estrear no futebol sénior ao serviço do Almancilense em 2001-02. No verão de 2004 mudou-se para o Messinense, tendo alcançado a subida à II Divisão B dois anos depois.
Em 2006-07 participou nas 26 jornadas (23 a titular) do campeonato da II B e apontou seis golos. Na temporada seguinte voltou a ser utilizado na totalidade das jornadas (32, 30 das quais como titular) e marcou dois golos, diante de Lusitânia e Mafra, não evitando a descida à III Divisão.
Depois mudou-se para o Lagoa, continuando assim a jogar na II B.

 

Texto e Fotos de David Pereira, publicado em “O Blog do David”. https://davidjosepereira.blogspot.com/ e reproduzido com autorização do autor.

David Pereira: Licenciado em Comunicação Social (Ramo de Jornalismo). Jornalista do Diário de Notícias com passagens por A Bola e pelo jornal O Setubalense, e antigo colaborador do Jornal do Barreiro e da Revista Futebolista.

Veja Também

ExtremoSul distinguida por “Boas Práticas Associativismo Jovem”

A associação  ExtremoSul  foi distinguida com uma menção honrosa no concurso “Boas Práticas Associativismo Jovem” …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *