António Costa anunciou as novas medidas- “um esforço que tem de se fazer agora”

O primeiro-ministro anunciou ontem as medidas que resultaram da reunião extraordinária do Conselho de Ministros.
A mais relevante diz respeito ao recolher obrigatório entre as 23h e as 05h nos dias de semana, a partir de segunda-feira, dia 9 e até 23 de novembro, nos 121 municípios mais afetados pela pandemia. Ao fim de semana, o recolher obrigatório é a partir das 13h nos mesmos 121 concelhos.

António Costa apresentou o novo conjunto de medidas que vão no sentido de reforçar as já existentes mas que não têm sido suficientes, destacando que é em contexto familiar que acontece cerca de dois terços dos contágios pelo novo coronavírus e que é portanto importante reduzir os contactos familiares e restringi-los a grupos mais pequenos. Já o contágios nas escolas representam apenas 3% do total, pelo que as mesmas devem permanecer abertas, defendeu o primeiro-ministro.

António Costa lembrou também os números crescentes da pandemia e tudo o que isso significa e insistiu na ideia da responsabilidade de cada um para travar a pandemia, salientando que apesar de ser difícil para todos e para a sociedade em geral, este é “um esforço que tem de se fazer agora”.

Medidas anunciadas

• a proibição de circulação, nos concelhos determinados com risco elevado, em espaços e vias públicas diariamente entre as 23h00 e as 05h00, bem como aos sábados e domingos entre as 13h00 e as 05h00, exceto deslocações urgentes e inadiáveis;

• a possibilidade de realização de medições de temperatura corporal, por meios não invasivos, no controlo de acesso ao local de trabalho, a serviços ou instituições públicas, estabelecimentos educativos e espaços comerciais, culturais ou desportivos, meios de transporte, em estruturas residenciais, estabelecimentos de saúde, estabelecimentos prisionais ou centros educativos, podendo ser impedido o acesso ao local controlado sempre que exista recusa da medição de temperatura corporal, ou a pessoa apresente um resultado superior à normal temperatura corporal;

• que possam estar sujeitos à realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2, os trabalhadores, utentes e visitantes de estabelecimentos de prestação de cuidados de saúde e de estruturas residenciais para idosos, unidades de cuidados continuados integrados da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados e de outras respostas dedicadas a pessoas idosas, a crianças, jovens e pessoas com deficiência, os trabalhadores do Corpo da Guarda Prisional, os utentes e trabalhadores da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, os reclusos e os jovens internados em centros educativos e respetivos visitantes, os trabalhadores, estudantes e visitantes do estabelecimentos de educação e ensino e das instituições de ensino superior, quem pretenda entrar ou sair do território nacional por via aérea ou marítima, bem como quem pretenda aceder a locais determinados para este efeito pela DGS;

• o reforço da capacidade de rastreio das autoridades de saúde pública;

• a possibilidade de requisição setor privado e social;

• mobilização de recursos humanos para controlo da pandemia.

Veja Também

Presidente da República propõe estado de emergência de âmbito limitado, de 9 a 23 de novembro

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, propôs, hoje, à Assembleia da República, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *